"Ele falará contra o Altíssimo,

oprimirá os seus santos e

tentará mudar os tempos e as leis"

— Daniel 7:25

Você também poderá enfrentar a oposição se quiser move uma montanha em sua vida. Mas, o problema não é a "fonte ou intensidade da oposição"; o problema é como respondemos a isso. Vamos ser honestas; quando a oposição atrapalha o caminho do nosso milagre, e nossa montanha em movimento, todos nós respondemos da mesma maneira, resistimos a ela ou pressionamos contra ela. Quando o fazemos, estamos fazendo o oposto completo do que moverá nossa montanha. O pior é que a resistência vai nos desgastar, e logo desistiremos, porque é exatamente isso que a oposição deve fazer.

Ao falar sobre o inimigo, este versículo faz alusão ao fato de que este é um dos esquemas do inimigo: quando diz no livro de Daniel 7:25 "Ele ... destruíra os santos do Altíssimo". Em outras versões de a Bíblia diz que “ele desgastará, será cruel, dificultará e oprimirá”. A opressão sempre foi algo com o qual tive problemas para lidar. A opressão é definida como: “sujeitar uma pessoa ou pessoas a uma forma dura ou cruel de dominação, ser uma fonte de preocupação, estresse ou problemas para alguém, e manter algo sob controle ou pôr um fim nela; coagir, tiranizar, dominar, reprimir, subjugar ”, o antônimo, no entanto, é libertar!

Deixe-me neutralizar toda a sua opressão e libertá-la de ser destruída, desgastada ou perturbada, para que você não sinta mais a oposição, dizendo que é tão simples como isto: nunca resista à oposição, nunca.

Jesus nos disse exatamente isso, lembra? “ Mas eu [Jesus] lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe também a outra. E se alguém quiser processá-lo e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa” (Mateus 5:38–40). Em outras palavras, não somos instruídas apenas a não resistir quando alguém se opõe a nós; nossa resposta, Ele diz, é seguirmos felizes e irmos além do que nos é pedido ou exigido.

Apesar disso, ao encontrar a montanha que está no nosso caminho, decidimos tolamente que a maneira de movê-la é empurrá-la. Isso é ridículo quando você realmente pensa racionalmente. A imagem na capa deste livro nos mostra fazendo exatamente isso, tentando fazer algo ridículo. Todas nós sabemos que não há maneira, quantidade de tempo e força humana capaz de mover qualquer montanha, grande ou pequena, empurrando-a. Não obstante, nós, mulheres, muitas vezes pensamos tolamente que pressionar contra algo ou alguém (como resistir aos homens ou às crianças em nossas vidas) nos dará o que queremos. Continuamos fazendo isso porque, às vezes, podemos conseguir o que queremos. No entanto, como resultado, esses mesmos homens ou nossos filhos voltam um coração amargo contra nós, e os relacionamentos que estimamos acabam sendo quebrados.

Entretanto a mulher que realmente “tem tudo”, aquela que “come e se lambuza” é uma mulher que sabe não resistir, mas é terrivelmente agradável, para que os homens e todas as pessoas ao seu redor dela, quer abençoá-la e não se opor a ela. Não é porque eles realmente "querem" fazê-lo. É simplesmente a maneira como Deus criou o universo.

Tentar parar a energia é como tentar colocar o dedo em uma tomada elétrica para que a energia não saia e nos machuque. Essa energia é suficiente para nos matar e, de fato, é isso que acontecerá emocionalmente toda vez que você tentar resistir à força da oposição.

Jesus disse para NÃO resistir ao mal por um bom motivo: Ele sabia que isso não era apenas tolice, mas que era contrário às leis do universo. Em vez disso, Ele e Sua vida nos ensinam o poder da não resistência.

A água é o poder que prova que a fonte de energia máxima é a da não-resistência. A água se adapta a todas as situações e, no entanto, esse poder de não resistência é capaz de criar energia para iluminar uma cidade enorme e criar maravilhas como o Grand Canyon e as Cataratas do Niágara. Isso também pode mudar seu mundo de maneira magnífica, depois que você aprender a explorar sua verdade, que é simplesmente: não resista à oposição.

No meio da escrita deste livro, o Senhor tem sido fiel em colocar algumas montanhas horrendas em minha vida para que eu aprenda e, portanto, ensine a você o que é necessário para mover uma montanha. Desde que você está lendo este livro, significa, querida, que Ele escolheu você para começar a mover as montanhas da sua vida, a fim de chamar a atenção de todos ao seu redor. Quem não tem montanhas que precisam se mover? Então, no processo de você mover sua montanha, se você seguir o plano Dele, em breve muitos pedirão que lhes conte mais, enquanto observam sua montanha começar a se mover, em paz absoluta e sem esforço. Dessa forma, você terá a oportunidade de apresentá-los a Quem lhe deu o poder que eles estão testemunhando em sua vida. Este é o verdadeiro evangelismo. É assim que “testemunhamos” ao incrédulo.

Como eu disse no capítulo um, o Senhor faz você começar com as pequenas montanhas; então, Ele solicitará que você mova uma maior com o mesmo princípio. Foi o que aconteceu comigo ao longo de alguns dias. Acredito que compartilhar esta história/testemunho com você fornecerá uma imagem que vale mais que mil palavras, para que você se lembre de como e por quê.

Para manter nossa família e ministério funcionando, temos pelo menos quatro serviços telefônicos que pago por mês. Um deles, em particular, me causou muita frustração por anos, sobre os quais falei brevemente no último capítulo. Agora, olhando para trás, vejo que as falhas do serviço (e atitudes) faziam parte de me ensinar esse princípio muito importante, de não resistência, para mover montanhas.

Surgiram sobretaxas que o Senhor me fez adiar por semanas e esperar para cuidar. Honestamente, eu não entendi o porquê, mas como estava muito ocupada, não foi tão difícil deixar isso para lá. Então, aconteceu outra coisa que me forçou, naquele exato momento, a “ter que” cuidar disso. Quando os contatei, o Senhor me lembrou que devo manter uma atitude muito positiva e gentil, não importa o quê. Então, eu tive certeza de que minha voz estava animada quando tentei explicar a situação. Tudo correu surpreendentemente bem, até que eu perguntei sobre os encargos adicionais (quase o dobro do que deveriam ter sido) nos quatro meses anteriores, quando a representante de repente ficou desagradável. Preste atenção, porque essa é a oposição e o mal que não devemos resistir, mesmo que naturalmente nos sintamos assim. Devemos ser como água limpa, fresca e adaptável, permitindo-nos fluir sem esforço, sendo tão agradáveis ​​que vira a maré espiritual e as forças que estão tentando vir contra nós.

Como o Senhor tinha me ensinado a ser amorosa durante todo o meu divórcio, eu concordei entusiasticamente que o dinheiro adicional “não era grande coisa” e até “agradeci” a ela. Então, imediatamente, a maré mudou quando ela disse: “Você pode esperar enquanto eu procuro um supervisor? Talvez ele possa reembolsar as cobranças extras”, e foi exatamente isso que aconteceu! Sem esforço, sem forçar, isto foi o caminho da não resistência.

Embora fosse uma pequena montanha movida, a técnica e o resultado foram significativos. Foi assim que o Senhor me treinou para o grande feito, no dia seguinte, de que também falei no capítulo anterior, e farei novamente. Embora eu esteja me sentindo um pouco desconfortável ao escrever um segundo capítulo sobre o mesmo testemunho, felizmente não resistirei à minha própria carne que não quer parecer tola.

Uau, nós somos nosso pior inimigo! Não somos?  De passos largos, como escrever o testemunho idêntico em dois capítulos de um livro que será publicado, a passos tão pequenos e insignificantes quanto a cor do cabelo que acabei de escolher para colocar no cabelo, temos medo de parecer tolas se fizermos algo errado, não somos?!

Quando senti que o Senhor estava me pedindo para usar o mesmo testemunho (que na verdade escrevi na semana passada, depois escrevi novamente, sem perceber que estava escrevendo novamente, até que estivesse quase terminado), apenas um momento depois, levantei-me e entrei ver no balcão a cor do cabelo que o Senhor me levou a comprar e depois usar. Mas o impulso de resistir brotou em mim, que agora eu sei, tem sua fonte de orgulho. Uau, eu deveria saber.

Quem de nós quer parecer tola? Não eu, com certeza, e você também não. Estou certa? E agora que o Senhor descobriu a fonte do motivo de resistirmos aos Seus sussurros, que são simplesmente nosso orgulho, é seguro dizer que a dificuldade de usar esse testemunho se deve ao meu orgulho, parecer tola porque escrevi sobre o testemunho de arranjar essa lua de mel milagrosa que meu filho e sua noiva mais tarde rejeitaram. Surpreendentemente revelador, não é?

Então, qual é a solução? Bem, para começar, eu fui em frente e pintei meu cabelo com um tom de vermelho que pode ser muito intenso, como o último que me senti levada a experimentar. No entanto, prefiro parecer tola do que perder a lição que certamente fará mais pela minha vida do que a cor do cabelo que tenho na cabeça! Portanto, para continuar movendo aquela montanha, devo dar o próximo passo, sim, para escrever sobre o mesmo testemunho, dois capítulos seguidos, porque, adivinhem? Quando tomei a decisão de fazê-lo, por mais idiota que parecesse, o Senhor me lembrou de como a Bíblia conta a mesma história, testemunho ou parábola repetidas vezes, não é? E embora você possa me lembrar que é porque as histórias foram escritas por pessoas diferentes, para mostrar que Deus estava apenas confirmando o que Jesus disse, meu orgulho estava muito à sua frente. Essa razão para resistir já experimentei, mas sem sucesso, então aqui vai.

Cerca de três semanas atrás, recebi um telefonema chocante do meu filho, de quem falei em um testemunho no meu livro Mentalidade de Pobreza. O Senhor me permitiu abençoar meu filho e sua noiva com uma lua de mel que (se eu tivesse pago por isso) teria custado mais do que o casamento deles. Foi uma das experiências mais incríveis e emocionantes da minha vida!

Mas um drama emocional ocorreu, quando, apenas algumas semanas antes do casamento, meu filho ligou uma noite dizendo simplesmente que eles haviam decidido não ir, que não era a hora certa, e continuou dizendo que as coisas estavam apertadas financeiramente. Não era só o fato deles não irem; era também o fato de saberem que tudo estaria perdido: o resort e os vôos eram intransferíveis, sem reembolso e absolutamente sem alterações. E não era que eles não sabiam a sobre as reservas, pois eles estavam ali quando eu estava fazendo a reserva de tudo, e tomei cuidado, a cada passo do caminho, para perguntar a eles, quando os agentes de reservas me perguntaram: “Você tem certeza, já que nada pode ser alterado após esse ponto?”

Durante cada parte da reserva, os agentes perguntavam pelo menos três vezes e a deixava salvo em negrito na folha de confirmação, para que soubessem que tudo seria perdido se desistissem.

Como a falta de dinheiro foi considerada uma das razões, eu imediatamente disse a ele que estava mais do que feliz em lhes dar dinheiro suficiente para cobrir todas as coisas, a fim de economizar os pontos já investidos e as milhas que eu perderia se eles socorrido. Mas ficou claro que isso não era o motivo real e nenhum foi realmente revelado. Honestamente, isso me atingiu com mais força do que eu imaginaria, então fui ao meu quarto de oração em busca de conforto e compreensão. Honestamente, fiquei arrasada.

Depois de muitas lágrimas, o Senhor simplesmente disse: “Michele, você pode confiar em mim?” E, é claro, eu poderia.

Ser discreta era minha principal preocupação neste momento. Eu sabia que se meus outros filhos soubessem disso, eles lutariam com sentimentos desagradáveis em relação ao casal, e eu não queria isso. Mas Deus tinha outras idéias, porque poucas horas depois as outras crianças ouviram isso de suas próprias bocas, quando o irmão e a noiva dele vieram tentar fazer com que todos entendessem. A partir daquele dia, essa crueldade se espalhou para quase todo mundo que conhecíamos, apesar dos meus esforços para mantê-la em silêncio, mas eu precisava saber que isso também fazia parte do plano de Deus. Como Ele iria tornar isso para o bem? A grandiosidade de tudo isso é que nunca precisamos saber COMO; nós simplesmente temos que SABER que ELE irá.

Isso começou a acontecer no dia em que as notícias chegaram ao meu filho mais velho, que contou a sua noiva, e eles começaram a “tentar fazer alguma coisa”, talvez tirar as “férias” com outro casal, qualquer coisa eles disseram, para facilitar o processo do golpe para mim. Isso não é doce demais?! No entanto, nenhum de seus esforços provou fazer nada, exceto para provar que esta montanha era imóvel. E depois…

Sinais de que essa montanha poderia se mover começaram a surgir. Primeiro, a noiva do meu outro filho disse a ele que, se os ingressos e as reservas pudessem ser trocados, ela se casaria com ele imediatamente e a usaria como lua de mel (algo que ela nunca consideraria quando ele sugerisse esse tipo de casamento; quando ela não podia encontrar um local para o casamento, ou o vestido, ou onde realizar a recepção). Em seguida, ela contou à mãe sobre a situação, que disse: “Querida, se os arranjos derem certo, vá em frente! Isso é Deus, sem dúvida! ”Essa afirmação era de uma mãe que dissera à filha, desde pequena, que, se alguma vez fugisse para casar sem ela estar lá, ela a renegaria!

Em seguida, eles também falaram em não ter dinheiro, quando, de repente, a noiva do meu filho lembrou que sua mãe lhe dera o dinheiro para o casamento antes do tempo. Sinais de que a montanha poderia se mover estavam surgindo por toda parte! Foi quando vi a montanha tremer, só um pouco, e comecei a ficar animada com o pensamento do que acreditava que estava prestes a acontecer.

O próximo passo significativo foi quando a noiva do meu filho me ligou certa manhã, me dizendo que ela queria seguir esse sonho, mas que meu filho havia dito que não deveria. Ela me disse que não queria ir contra a autoridade dele, já que ele era seu líder espiritual, então o que ela deveria fazer? Oh, que coisa, eu me senti abençoada. Uau! Foi quando me foi dada a oportunidade (como mulher mais velha de buscar orientação) para compartilhar com ela que, como mulher, especialmente como esposa, quando surgem situações como essa, quando sentimos algo forte, que não devemos fale sobre isso com alguém, mas, em vez disso, como Maria fez, “pondere em seu coração”. Se fosse o plano de Deus, o noivo dela mudaria de idéia.

Cerca de uma hora depois, meu filho ligou e me disse que ele poderia dizer que isso era algo que sua noiva realmente queria, então o que ele poderia fazer para que isso acontecesse? Obrigado Senhor!! Deus inclinou seu coração quando a viu se submeter silenciosamente, e quando eu fui sábia o suficiente para também ficar calada e assistir o milagre se desenrolar. Porque, como mãe, é tentador falar com nossos filhos adultos, no entanto, com quem é melhor falar do que com nosso próprio MC, que tão maravilhoso espera e até anseia por cuidar das coisas para nós, e fazê-lo tão bem sem um ondulação ou consequência. Então, agora, desde que meu filho apareceu e me perguntou o que ele poderia fazer, eu disse a ele que nós dois precisávamos ver o que nós PODÍAMOS fazer, em vez de tentar fazer o que não podíamos.

Essa foi a lição que o Senhor me mostrou dois meses seguidos, quando Ele me levou a fazer meus próprios impostos, dos quais, aqui vou eu de novo, falei no capítulo anterior. Mais uma vez, vi que essa era outra razão pela qual Ele me levou a pagar meus impostos; Ele precisava construir minha fé nas impossibilidades e me ensinar este princípio: Quando você sabe que Deus quer que você mova uma montanha, observe o que você PODE fazer, e não o que você não pode.

Mais uma vez, perguntei ao meu filho: “O que você pode fazer?” E o que veio à mente foi perguntar-lhe: “Se isso funcionar, onde você vai se casar?” Ele me disse: “Pronto! No Havaí, acredito que deveríamos ter um casamento e a lua-de-mel no mesmo destino!” Então perguntei se ele sabia se havia um período de espera naquele estado, e ele não tinha certeza. Então, ele começou a pesquisar os detalhes. *Para entender o quanto de uma “impossibilidade” esse milagre foi, essa conversa ocorreu na segunda-feira à tarde e o voo para o Havaí foi marcado para o início da manhã de sábado.

Então, busquei ao Senhor o que eu poderia fazer. Imediatamente, Ele lembrou da pasta da lua de mel, aquela que eu nunca havia dado ao meu outro filho, que era outro sinal para mim. Como ainda estava comigo, esse era o plano do Senhor o tempo todo. Havia sinais aparecendo em todos os lugares que eram claros: por que esse casal nunca conseguiu encontrar um lugar para se casar, nunca encontrou o vestido certo, meu filho não tinha encontrado a igreja para alugar, tudo fazia sentido agora. Deus tinha outro plano para este casal, o que levou a aumentar minha fé de que isso iria acontecer!

O Senhor me levou a procurar a pasta e ver que havia três partes nessa montanha, e o próximo passo era seguir para segunda parte mais impossível, o resort. Novamente, era intransferível, mas eu simplesmente sabia que nada era impossível para Deus, e se esse fosse realmente o plano Dele, isso aconteceria. Levou cinco minutos no telefone, pronto! Mais uma vez, incrível e impossível. Isso também serviu para fortalecer nossa fé (meu filho, a noiva dele e a minha) acreditando em Deus para tudo isso.

Sinceramente, o carro alugado nunca realmente me preocupou, pois perdê-lo não seria uma grande perda financeira; no entanto, mesmo isso foi realizado sobrenaturalmente quando o Senhor me levou a cancelá-lo (que, a propósito, eu havia tentado sem sucesso com esse mesmo site em uma de minhas próprias viagens). No entanto, desta vez eu cancelei sem penalidade, então, quando perguntei em voz alta: “O que devo fazer agora, Senhor?” Eu vi umas letras grandes, em negrito e em vermelho: “Você quer reservar outro carro?” Eu ri e disse “Sim”, e cliquei!

Duas partes da montanha caída, agora só falta uma! Claro, a última parte foi a mais difícil. Pelo menos foi o que consideramos mais difícil, todos os feitos são iguais para Deus. Como disse a meu filho e sua noiva: “Todas as nossas dificuldades e Seus milagres são os mesmos para Ele; Ele não está sentado ali pensando: ‘Oh, que coisa, agora deixe-ME pensar como vou fazer esse’”. Nós sabíamos e podíamos ver, e agora acreditávamos que era a vontade Dele e que, claro, nada era impossível para Deus, a montanha estava prestes a se mover!

O próximo passo para mover essa montanha foi quando recebi uma ligação dizendo que meu filho estava na fila do aeroporto para conversar diretamente com eles sobre a transferência. A noiva dele ligou para me dizer para “orar”. Ela disse que sua mãe espiritual, a quem ela havia contado mais cedo naquele dia (que começou a chorar e sentir arrepios ao ouvir os detalhes) contou ao próprio marido, que voa muito, dizer ao meu filho para ir ao aeroporto, que quando o vissem, eles fariam as mudanças. Foi quando o Senhor me lembrou algo que eu tinha visto, uma visão, do meu filho na fila no aeroporto alguns dias antes, então, pouco antes de desligar, compartilhei isso com a noiva do meu filho para encorajá-la que “era isso ai!”

Entusiasmadamente, entrei na sala para falar com o Senhor (como ela havia pedido) com meus três filhos mais novos (todos que têm fé como uma criança), e começamos a nos alegrar com o fato de que estava prestes a acontecer. Eu apenas sabia, sabia que isso aconteceria em um instante; portanto, comecei a agir como se já tivesse acontecido!

Cerca de uma hora depois, recebi uma ligação do meu filho, ele estava a caminho de casa e me disse que a companhia aérea havia tentado e tentado, mas os campos na tela do computador que precisavam ser abertos para fazer as mudanças certas não abria. O agente de bilheteira do aeroporto disse que a única pessoa que poderia fazer esse tipo de alteração era o agente de reservas onde eu resgatava minhas milhas aéreas. Embora meus sentimentos quisessem despencar e os dele também, eu disse a ele que esse era simplesmente “o próximo passo”. Desliguei e liguei, apenas para descobrir que eles haviam fechado. Nós sentimos falta deles por apenas dez minutos.

Ainda assim, eu disse ao meu filho que tudo fazia parte do plano dele, que Deus precisava me mostrar algo, e foi aí que ele me levou para as letras miúdas de um documento online, que dizia em negrito, que os bilhetes aereos não eram transferível, sem alterações, etc. etc. Mas então...continuou, no fundo do parágrafo em letras minúsculas que, se a companhia aérea aprovasse uma alteração, deveríamos entrar em contato com eles primeiro! Estava lá “estava escrito”, agora tudo que eu precisava fazer era esperar até a manhã para entrar em contato com eles primeiro!!

Novamente, esse atraso apenas provou que o Senhor precisava me mostrar outra coisa, ou talvez apenas que eu precisasse falar com alguém que estaria trabalhando na manhã seguinte, ou, como discutido no capítulo anterior, a espera serviu para renovar minha força espiritual que eu precisaria para o último passo do bebê. Por alguma razão, tudo fazia parte do plano Dele! Naquela noite, adormeci rapidamente, mas acordei abruptamente às 4 da MANHÃ. Não apenas essas quatro horas (enquanto eu esperava o escritório abrir) não foram desperdiçadas, mas também provaram aumentar minha excitação e expectativa, pois o Senhor me levou a terminar de reescrever os capítulos anteriores deste livro. Ao ler e reescrever, isso provou aumentar minha fé em Sua capacidade e desejo de mover essa montanha enquanto eu falava!

Observando os últimos três minutos, eu tremia de emoção. (Lembre-se, a emoção queria aparecer como medo, que discutiremos em mais detalhes no capítulo 9). Quando finalmente liguei, o Senhor me lembrou o caminho da não resistência e estar alegremente animada que haviam funcionado tão milagrosamente no dia anterior com a companhia telefônica quando eles se opuseram a mim.

Com certeza, a primeira pessoa com quem falei me garantiu com firme oposição que o que eu queria fazer era impossível, então você acredita que ela começou a me vender alguma coisa? É quando nossas emoções querem pular da nossa pele (e da nossa boca), esse é um desafio, não é? É desafiador continuar em paz, acima de tudo, agradável, e não deixar que a pressa ou a inquietação, que leva ao pânico assumir o controle. E, então, ouvi silenciosamente seu discurso de vendas empolgada, mas depois pude dizer gentilmente que acabara de comprar o que ela queria me vender, mas agradeci-lhe profundamente, o que a levou a dizer: “Ei, agora, espere um minuto, deixe-me ver se eles podem ajudá-la neste departamento”, e ela me transferiu.

Sem passar por todas as próximas sete pessoas com quem conversei, a etapa final foi quando conversei com uma mulher encarregada de resgatar milhas, que me garantiu que a companhia aérea tinha o poder de alterar os detalhes do voo, mesmo que eles disseram que não, e ela me deu o número de telefone da companhia aérea para tentar.

Durante toda essa provação, disseram-me a mesma coisa: que os pontos teriam que ser reembolsados, então novos bilhetes aereos teriam que ser reservados e recolocados a partir do zero, o que até essa data tardia certamente seria uma missão totalmente nova e impossível.

No entanto, “nada é impossível para Deus”, foi o que li anos atrás, quando li o testemunho de Erin. Quando li, disse ao Senhor que, se Ele fizesse o impossível restaurando meu casamento após adultério e divórcio, assim como Ele fez por Erin, já que eu também tinha um marido que disse que nunca voltaria para mim porque não me amava e nunca me amou, então eu me juntava a Erin para dizer ao mundo que nada era impossível para ele. Deus restaurou o impossível e, desde então, achou oportuno manter mais impossibilidades entrando em minha vida para continuar a provar que esse princípio é VERDADEIRO e unir forças com Erin.

Em um instante, ouvi a senhora ao telefone, cujo nome era Débora (lembre-se na Bíblia de que Débora era uma profetisa que era juíza em Israel e liderava o exército de Barak?). Bem, foi Deborah quem me disse para “segurar” enquanto ela MUDAVA OS NOMES! O que? Fomos informados desde o 11 de setembro que era ilegal mudar nomes em passagens aéreas. Com uma alegria antecipada, fiquei em espera por mais de 20 minutos para que nosso milagre se tornasse realidade. Mas, muito gentilmente, a cada poucos minutos ela me agradecia por minha paciência, porque isso é apenas algo que eles NUNCA fizeram, então eles realmente não sabiam como fazer isso! Foi depois da segunda vez que ela me tranquilizou que lágrimas brotaram nos meus olhos porque eu estava realmente observando minha montanha, a que me causou tanta dor, cair no mar! As emoções eram mais do que eu podia conter agora, e comecei a chorar de tanta alegria.

Então, logo depois que ela voltou pela terceira vez, quando me disse que estavam “quase terminando”, pulei da minha cadeira para louvar ao Senhor e contundi minhas costas completamente. Ai que dor! Tudo que eu podia fazer era rir, e me sentar com dor, mas meu coração estava disparado.

Quando ela me agradeceu e desligamos, fiquei atordoada, chorando e tremendo, enquanto tentava entrar em contato com meu filho. Enquanto gritava, contei a ele, que acordou meus filhos. Então, enquanto conversava com meu filho, meus filhos estavam ali dançando, o irmão deles iria se casar no Havaí! Oh, que romântico, e mais ainda, Deus havia movido uma montanha de proporções impossíveis! O Fim, novamente.

*Bem, então, aí está. Agora, posso lhe perguntar uma coisa; seja honesta: você foi uma das que leu o testemunho novamente ou pulou para o final da página? Só estou perguntando, porque eu entendo completamente aquelas que estavam um pouco entediadas em ouvir esse testemunho pela segunda vez.

Ao ler isso, depois que me recusei a continuar resistindo a escrever esse mesmo e exato testemunho em meu livro, muitas coisas tentaram me opor. A primeira vez que me lembrei quando escrevi este “exato”testemunho. Enquanto examinava novamente (como normalmente faço quando escrevo), fiquei pensando se o que escrevi era “exato” e isso me fez querer voltar ao capítulo anterior para verificar.

Você entende; e se eu escrevesse algo um pouco diferente? Perderia credibilidade com meus leitores, não perderia? Mais uma vez, este reduto do orgulho está determinado a permanecer, não é? No entanto, ao continuar fazendo o que o Senhor estava me levando a fazer e fazendo o possível para não resistir à Sua liderança (enquanto fazia o possível para me opor ao meu próprio orgulho), lembrei-me de algumas razões do porque Ele poderia ter me levado a fazer essa pquena tarefa, mas muito reveladora.

Dois dos depoimentos mais transformadores que tive que ouvir pelo menos duas vezes para que ele se apossasse de mim. E nas duas vezes, você acredita que pensei: “Por que ele está contando a mesma história?”, e minha opinião sobre esses dois homens mudou um pouco.

Anos antes, quando um evangelista visitante começou a contar a mesma história, imaginei como ele poderia ir a diferentes igrejas e contar a mesma história repetidas vezes: ele não fez anotações para não se repetir ou era porque sua vida era tão superficial que isso era tudo o que ele tinha a oferecer? Que podre eu sou! O engraçado é que existem algumas de vocês que pensaram o mesmo sobre mim, agora seja honesto! No entanto, sei que se não tivesse ouvido a mesma história exata da menininha que estava morrendo, que dissesse simplesmente: “Não se preocupe comigo, tenho tudo o que quero e tudo o que preciso, eu tenho Jesus”, eu nunca teria experimentado a vida abundante que estou vivendo agora. E falando em viver ...

Se eu não tivesse ouvido a história que meu pastor contava sobre o homem que clamava a Deus “em voz alta” quando ele estava sob a mira de uma arma, sem se importar com quem ouviu seu clamor, eu não teria feito a mesma coisa quando meu marido (no momento) e eu fomos os primeiros a ver dois meninos em uma vala, o que deveria ter sido um acidente de carro fatal. Com essa história fresca em minha mente (desde que ele a contou várias vezes, pelo menos três vezes), eu também gritei a Deus, muito alto na frente da multidão que estava ao meu redor. Eu gritei em voz alta para salvar o garoto que estava caído lá, e fiz isso novamente momentos depois, quando eu pude ver que ele estava prestes a morrer (quando o sangue encheu seus pulmões e ele estava lutando para respirar). Nas duas vezes em que Deus se moveu, o segundo instantaneamente trouxe um homem que fez uma traqueostomia bem ali na vala com a faca do meu filho e um pano que eu tinha acabado de usar para limpar o painel do carro!

A vida daquele garoto poderia ter sido poupada, em parte, ao meu pastor, que escolheu compartilhar a mesma história repetidas vezes, o que foi muitas vezes, na minha opinião. Agora minha opinião mudou. Será que esses dois homens compartilharam a mesma história, o mesmo testemunho para meu benefício, e não porque eles esqueceram estupidamente que era uma repetição ou porque não tinham nada melhor para compartilhar? Seria possível que eles resistissem ao seu orgulho para mudar minha vida e salvar a vida de um jovem?

“Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” (João 7:24).

“Eu não posso de Mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo, e o Meu juízo é justo, porque não busco a Minha vontade, mas a vontade do Pai, que Me enviou” (João 5:30).

“Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes, seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão” (Romanos 14:13).

“Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados” (1 Coríntios 11:31).

*Anos depois, ouvi o jovem viver e sua família tentou encontrar e me agradecer por ter clamado abertamente pelo Senhor. Eles eram cristãos e Deus usou esse jovem, que viveu, mas ficou instantaneamente paralisado, de várias maneiras, ao se tornar um orador motivacional.