"Porque vocês ainda não levam Deus a sério"

— Mateus 17:20 A Mensagem

Por que minha vida não mudou? Por que as promessas que eu sei que Deus me deu não tem acontecido? Eu acho que é “porque vocês ainda não levam Deus a sério”, disse Jesus. ‘A verdade simples é que, se vocês tivessem fé, pequena como uma semente de mostarda, poderiam dizer a essa montanha: ‘Saia daqui!’, e ela se sairia. Não haveria nada que vocês não pudessem enfrentar’” (Mateus 17:20 A Mensagem). Foi o que Jesus nos disse.

Deus realmente nos deu as chaves, mas falhamos em usá-las adequadamente, apenas porque não levamos Ele a sério? “Eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra será desligado no céu” (Mateus 16:19). O que você "desligou" em sua vida e o que ligou, não em alguma oração barulhenta, mas de um modo que moverá montanhas, simplesmente falando, da mesma maneira que Jesus fez.

A felicidade e a prosperidade são a vida abundante que Jesus morreu para lhe dar, reinando livremente em sua vida. Ou você se perdeu em desgraça, tristeza, medo e fracasso?

O obstáculo final, acredito, é quando você e eu realmente andamos por aí, conversamos e meditamos sobre o que acreditamos sobre a nossa situação. Fale para e sobre nossa montanha de uma maneira que liberte o poder que Deus nos deu para lançá-la ao mar, libertando-nos para receber Suas bênçãos em nossas vidas. Precisamos “curar os enfermos, ressuscitar os mortos, purificar os leprosos, expulsar demônios. De graça recebestes, de graça dai” (Mateus 10:8). “Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente” (1 Coríntios 2:12).

O poder de mover montanhas, assim como a salvação ou o batismo do Espírito Santo, não é algo que precisamos ganhar. Deus deu. Ser livre de dívidas, dor, preocupação e pecado é mesma coisa para Deus. Nada é impossível com Ele, e, portanto, é simplesmente oferecido a nós sem nenhum esforço ou custo. Quem Deus inclui nesta oferta? “Venham, todos vocês que estão com sede, venham às águas; e vocês que não possuem dinheiro algum, venham, comprem e comam! Venham, comprem...sem dinheiro e sem custo.”(Isaías 55:1). Sua dúvida e seu medo farão com que você tropece no que acredito ser o obstáculo "final",  e como aconteceu comigo?

Acredito que meu último obstáculo também possa ser o mais importante, porque a linha de chegada está finalmente à vista. No entanto, nosso obstáculo final geralmente é o mais difícil, porque, por um lado, estamos cansadas. Meu obstáculo final veio contra mim com grande força e inesperadamente, onde eu tentei fazer um esforço para continuar cercada naquilo que eu acreditava que me protegiam.

Deixe-me perguntar uma coisa: o que você e eu naturalmente vemos e sentimos nos leva a imaginar, acreditar e falar em desgraça, melancolia e desânimo? Ou você e eu, em vez disso, veremos aquela montanha sobrenaturalmente mover, baseada inteiramente em Suas promessas e nos passos de bebê que já tomamos fielmente? A escolha é nossa. Você notou que eu me incluo nessa pergunta? Sim, porque acredito que tinha visto que minha montanha de dívidas mostrava sinais de queda e quero que meus sentimentos, agora e para sempre, reflitam minhas crenças, em vez do espírito agourento que está tentando se apossar de mim.

Neste capítulo, tentarei compartilhar meu último obstáculo; a pergunta é que forma tomará?

Final?

Uma após a outra, as montanhas caíam à esquerda e à direita, grandes e pequenas, e então ... do nada, recebo um envelope enorme e grosso, uma carta do meu ex-marido disfarçada como se ele tivesse enviado um cheque. O cheque era na verdade para minha filha, um reembolso para mim pelos pneus do carro dela. “É um cheque”, disse minha filha mais nova, quando me entregou alegremente o envelope. Você sabia que o inimigo terá acesso à sua mente, alma, corpo e espírito de maneiras e quando e de quem você menos espera? Eu sabia disso e, no entanto, estava calma e não estava muito sóbria em meu pensamento, devido principalmente ao fato de eventos recentes terem significado que nós (meu ex-marido, sua nova esposa e seus filhos) como um grupo, estávamos nos dando otimamente bem. Recentemente, eu até os recebi em minha casa, não uma vez, mas duas, devido ao casamento do meu filho.

“Portanto, não durmamos como os demais, mas estejamos atentos e sejamos sóbrios” (1 Tessalonicenses 5:6). “Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar” (1 Pedro 5:8). Devorar-me, foi o que ele fez.

Sem pensar, comecei a ler uma carta terrivelmente vil e condenadora, carregada de acusações e ameaças terríveis. Antes que eu soubesse o que havia me atingido, ouvi o Senhor me dizer para parar de ler, o que eu fiz, mas não de imediato, o que eu havia lido já havia tomado conta e esmagado meu coração. Naquela noite, joguei e me virei, orando sem cessar, pedindo a Deus os porquês e os comos, para saber como responder. O tempo todo, eu implorava a Ele que me permitisse não ter que responder, mas, em vez disso, estava procurando uma maneira de, novamente, abençoar meu inimigo.

Deixe-me desviar por um momento e confessar algo para você. Minha carne quer tirar este capítulo do livro. Se estou sendo sincera, pois minha maior preocupação, além da possibilidade de perder seu respeito, é que o princípio que estou compartilhando será mal utilizado: usado para alimentar a carne daqueles que abrigam raiva e amariam, mais do que qualquer coisa, para ter uma razão, uma desculpa realmente, para abusar do princípio. Mas no entanto, meu público (você querida leitora), acredito que você seja verdadeiramente Sua noiva. Portanto, como Sua noiva, Seu amor transformou sua própria natureza em paz, gentileza, bondade e amor aos que a maltratam.

Agora, de volta ao obstáculo. Em suma, essa nova batalha contra mim se prolongou por mais de uma semana, principalmente devido a um plano de batalha que eu não estava acostumada, nem familiarizada, e que, portanto, eu estava mais do que hesitante em aceitar. Antes desse dia fatídico, eu havia conhecido, abraçado e vivido uma vida de não resistência, concordando e abençoando meus inimigos. Assim, como você certamente poderá imaginar, quando o Senhor me fez responder ao que foi dito com total honestidade, ainda que com ousadia e, para meu choque, de uma maneira cínica e às vezes sarcástica, questionei minha caminhada com Deus, minha capacidade de ouvi-Lo corretamente e, de muitas maneiras, entrei em pânico e senti como se meu mundo estivesse girando fora de controle.

Durante toda essa provação, comecei a pedir a Deus “uma palavra”, algo que eu não tinha precisado há anos. Eu conhecia Suas promessas, Seus caminhos, Seus métodos e Seus princípios, a tal ponto que os caminhos de Deus estavam escondidos no fundo do meu coração, de modo que Sua Palavra sempre estava lá para me guiar. Mas o que você e eu fazemos, quando o que sentimos que Ele está nos dizendo, o que sabemos que Ele está nos dizendo, é contrário a tudo o que é pacífico? Nosso mundo é abalado, sacudido, e isso aparece em nossos corpos, mentes e espíritos.

No entanto, Deus continua sendo fiel, inabalável, provando mais uma vez, como disse, que “Pois os Meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os Meus caminhos”, declara o Senhor. “Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os Meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os Meus pensamentos,mais altos do que os seus pensamentos.’” (Isaías 55:8–9 NVI). Embora eu não entendesse, e certamente não quisesse, eu obedeci.

Quando terminei de responder à primeira, longa e horrível carta, deixei meu email nos rascunhos, sem querer enviá-lo. Eu precisava desesperadamente de um sinal, uma palavra e queria freneticamente saber, entender o porquê. Então, eu me aventurei no meu quarto de oração, um lugar que raramente tenho que visitar mais. Longe se foram os dias em que eu precisava ir até lá para ouvir Sua voz mansa e quieta; Fazia quase dois anos, desde que descobri que podia ouvi-Lo em qualquer lugar e em todos os lugar. No entanto, quando a confusão entra na mente, ela penetra na alma, e a conexão espiritual experimenta interferência, em grande parte devido ao medo.

Enquanto procurava Ele em meu quarto de oração, em vez de me dar respostas para minhas perguntas, o Senhor simplesmente me perguntou: “Michele, por que você não quer enviar o e-mail?” Minha resposta foi simples e me pegou de surpresa. Foi porque eu estava com medo. Eu tinha medo de que, se simplesmente não "concordasse" com o que meu ex-marido havia dito e concordasse com seus termos ameaçadores, ele tentaria se vingar. Ao qual Ele me perguntou: "E o que acontece quando baseamos o que fazemos no medo?" Minha resposta novamente foi simples: "Nossa decisão está sempre errada".

O Senhor continuou a me perguntar por que mais eu não queria enviá-lo, e isso era porque eu estava preocupada com o que as pessoas pensariam de mim, pessoas como meu ex-marido, sua esposa, meus filhos e até você, meus leitoras , junto com todas os seguidoras do RMI. Sim, Ele me mostrou que, em vez de me concentrar no que pensava de mim, eu havia voltado minha atenção para o que os outros pensariam, novamente um erro.

Saindo do meu quarto de oração, e agora focado no plano Dele (que não fazia sentido para mim), enviei o email.

Demorou cerca de dois dias para obter a resposta que eu temia. Todo o meu ser, mais uma vez, queria correr e se esconder, encontrando uma maneira de escapar, simplesmente porque não estava fazendo o que havia feito antes, queria abençoar; Eu queria concordar; Eu queria ir a favor do fluxo. “Quero dizer, querido Senhor, eu não tinha acabado de escrever sobre esse mesmo princípio de não resistência no capítulo que acabou de ser postado no site do RMI?” Novamente, lutei com os pensamentos sobre o que todos pensariam, sabendo no fundo do meu coração que o que importava é o que ELE sozinho pensava sobre mim, e resistir a Ele era pior do que resistir a esse mal vil que continuava vindo até mim.

Durante toda essa batalha (que eu acredito que tinha que ser meu último obstáculo), o Senhor foi paciente e continuou me dando uma palavra, aqui e ali, como eu Lhe pedi. Quando perguntei a Deus por que não estava mais respondendo em paz e concordando (mas somente depois de ter obedecido e enviado a resposta), fiquei surpresa ao ler o pequeno devocional Chamado por Deus (que eu mantenho no meu cantinho de oração) isso...

“Ouça, ouça, eu sou seu Senhor. Antes de Mim não há outro. Apenas confie em mim em tudo. A ajuda está aqui o tempo todo. O caminho difícil está quase no fim, mas você o aprendeu nas lições que não poderia aprender de nenhuma outra maneira.

"O Reino dos céus sofre violência, e são os violentos que a tomam à força."

Arranca de mim, pela firme e simples confiança e pela oração persistente, os tesouros do Meu Reino. Coisas maravilhosas estão chegando até você, Alegria, Paz, Garantia, Segurança, Saúde, Felicidade, Risos.

Reivindique coisas grandes, realmente grandes agora. Lembre-se de que nada é grande demais. Satisfaça o desejo do Meu Coração de dar. Bênçãos, abundante bençãos, para vocês agora e sempre. Paz.

Após o segundo e-mail ao qual eu respondi (cada parágrafo, com respostas sarcásticas, sim, cínicas, sem ter ideia de onde elas vinham), entrei em pânico e pedi a Deus que me ajudasse, por favor, a entender, pois sabia que isso era “não era certo”, especialmente quando eu zombei das acusações de meu ex-marido. O Senhor então me mostrou uma visão do poderoso Elias, exibido quando ele estava no alto da cidade, zombando dos sacerdotes de Baal. Quando fui procurar, encontrei no livro de Segundo Reis, intitulado "Julgamento na Casa de Acabe".

O capítulo 10, versículo 10 disse algo incrível: “Saibam, então, que não deixará de se cumprir uma só palavra que o Senhor falou contra a família de Acabe. O Senhor fez o que prometeu por meio de seu servo Elias”. Isso era quase idêntico ao que o Senhor havia falado comigo dois anos atrás, quando meu ex-marido me deixou. Eu deveria saber que estava realmente escrito na Bíblia.

No entanto, o versículo que mais me ajudou foi a última batalha, o último obstáculo que Elias deveria superar, conforme descrito nos Primeiros Reis, sob o título “Deus ou Baal”. “E sucedeu que, ao meio-dia, Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; porventura, dorme e despertará’” (1 Reis 18:27). Foi Elias, ou foi Deus quem falou através de Elias?

“Por que se amotinam as nações, e os povos imaginam coisas vãs?  Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos se mancomunam contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:  Rompamos as suas ataduras e sacudamos de nós as suas cordas. Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.  Então, lhes falará na Sua ira e no Seu furor os confundirá” (Salmos 2:1-5).

A maneira como eu estava respondendo não era da maneira que me sentia confortável, porque me sinto tão confortável vivendo "pacificamente". Mas a minha paz teria algum custo?

Enquanto falava com meus filhos, o Senhor me mostrou as manchetes que eu tinha lido na adolescência, que cobriam a primeira página de todos os jornais, “America Mantida Refém”, que era sobre um de nossos presidentes dos EUA, que foi ridicularizado na época , dizendo que é era um covarde, porque permitiu essa atrocidade, cedendo às ameaças impostas. Ao ler, ouvi Deus me perguntar se ser covarde seria o que eu escolheria para meus filhos ou para as mulheres que eu esperava encorajar. Ou, em vez disso, incentivaria outros, pelo meu próprio exemplo, a se mover sem medo em direção à batalha? O que eu escolheria se tivesse que fazer uma escolha?

Foi então que o Senhor me mostrou algo que eu nunca tinha visto antes. Durante minha resposta ao meu ex-marido (quando eu disse que não aceitaria mais qualquer ameaça dele sobre que eu poderia publicar ou postar no site da RMI, que ele estava lendo diariamente, seria inútil para ele me ameaçar de novo), foi quando percebi que, sem saber, continuara a permitir que meu ex-marido administrasse o ministério que Deus me deu, e até mesmo controlar partes de RMI, é até onde chegaria meu cumprimento das ameaças!

Outra coisa que gostaria de compartilhar...vários anos atrás, ouvi algo que o autor John Bevere disse enquanto falava em nossa igreja, e isso me causou uma profunda impressão. Ele disse: “Se você não usar a autoridade que Deus lhe deu, alguém a aceitará e a usará contra você!”

Isso não quer dizer que eu fiz a coisa errada, quando não briguei com meu ex-marido, quando ele bloqueou meu site de comércio quase imediatamente após o divórcio (ou pode até ter sido antes do final do divórcio. Eu não posso lembrar agora.) Nem Deus estava me dizendo que eu deveria ter chamado a polícia e eu ex-marido ser preso (como muitos de meus amigos e familiares me pediram), quando ele veio em meu estoque enquanto eu estava viajando e destruiu as caixas de livros, devocionais e fitas de vídeo do RMI que comprei para vender. Não, não foi um erro, mas agora as coisas eram diferentes, isso, como eu disse, acredito e espero que seja meu último obstáculo que estava à minha frente.

Havia outra coisa que o Senhor me mostrou que me chocou. Dizia respeito à minha nova amizade com meu ex-marido e sua esposa (e seus filhos), e foi por isso que fui pega de surpresa por essa carta vil. Mais uma vez, enquanto pedia “uma palavra, apenas uma palavra”, já que eu estava tão certa e aterrorizada que caíra em desgraça ou intimidade com o Senhor, não estava entendendo por que respondi da maneira que respondi às cartas dele de acusações e ameaças, em vez de simplesmente ignorar ou concordar.

Foi então que eu simplesmente abri minha Bíblia para ver “A Aliança Desagrada a Deus”. Enquanto lia, afirmava em 2 Crônicas 20:35: “Porém, depois disso, Josafá, rei de Judá, se aliou com Acazias, rei de Israel, que procedeu com toda a impiedade”. Isso foi feito pelo mesmo rei que havia orado anteriormente: “Se algum mal nos sobrevier, espada, juízo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti; pois teu nome está nesta casa; e clamaremos a ti na nossa angústia, e tu nos ouvirás e livrarás” (2 Crônicas 20:9).

Esse versículo me levou a lembrar uma das minhas passagens favoritas da Bíblia, quando o rei Asa comete o mesmo erro tolo, buscando a amizade com seus inimigos, em vez de confiar em Deus para libertar. “Pois os olhos do Senhor se movem de um lado para o outro por toda a terra, para que Ele possa apoiar fortemente aqueles cujo coração é completamente dele. Você agiu tolamente nisso. De fato, de agora em diante você certamente terá guerras” (2 Crônicas 16: 9).

No entanto, mesmo vendo esses versículos que me vieram à mente instantaneamente toda vez que pedi ao Senhor a confirmação de que o que estava fazendo era Seu plano, ainda me sentia insegura, pois o modo como vivo nos últimos dezesseis anos da minha vida tem sido exatamente o oposto do que eu estava fazendo agora. Por mais de uma década, minha própria natureza foi transformada; todo o meu ser foi renovado. “Estou fazendo novas todas as coisas” (Apocalipse 21:5). “E darei a eles um coração, e porei um novo espírito dentro deles. E tirarei o coração de pedra da carne deles e lhes darei um coração de carne” (Ezequiel 11:19).

Enquanto escrevia este capítulo, o Senhor me lembrou e me levou a ler um verso que muitos de nós sabemos, mas nunca citei. Isto é do homem mais sábio, Salomão, quando ele tenta explicar que há um tempo para todas as coisas. Ele diz,

Para tudo há uma ocasião certa;

E há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu—

Tempo de nascer e tempo de morrer,

          Tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou,

 Tempo de matar e tempo de curar,

         Tempo de derrubar e tempo de construir,

Tempo de chorar e tempo de rir,

         Tempo de prantear e tempo de dançar,

Tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las,

        Tempo de abraçar e tempo de se conter,

Tempo de procurar e tempo de desistir,

       Tempo de guardar e tempo de jogar fora,

Tempo de rasgar e tempo de costurar,

       Tempo de calar e tempo de falar,

Tempo de amar e tempo de odiar,

       Tempo de lutar e tempo de viver em paz” (Eclesiastes 3:1-8).

Assim como eu havia compartilhado uma e outra vez em todos os meus livros, uma boa maneira de ver se o que você está fazendo (ou está prestes a fazer) é de Deus, é se perguntar se isso é bom para sua carne, ou se precisa da ajuda do Espírito Santo para realizá-la? Sem dúvida, minha carne se encolheu ao pensar em dizer algo remotamente próximo do que escrevi em cada uma das minhas respostas por e-mail.

Embora todos nós nascemos com uma natureza pecaminosa e raivosa, uma vez refinadas (um processo que geralmente leva anos, como aconteceu comigo), essa pessoa não é mais a mesma. Para muitas de vocês, repreender o ex-marido seria ótimo! E, como eu disse, não é realmente sobre o que fazemos, pois muitos de nós não dizem nada, devido ao medo ou porque nos preocupamos com o que as outras pessoas pensariam de nós.

O que o Senhor está mostrando a todas nós é simplesmente isso: o que fazemos, ou o que alguém faz, não pode ser julgado pelo que vemos. É por isso que nunca devemos julgar alguém ou algo que uma pessoa faz, porque o que não vemos (a razão por trás de suas ações) é realmente o que conta. É o que Deus vê, e como Ele nos prova, para ver se somos reais. Ou talvez seja mais para que Ele possa nos mostrar o que realmente somos. “O crisol é para a prata e o forno é para o ouro, mas o Senhor prova o coração” (Provérbios 17:3).

Inicialmente, não queria responder. Depois, uma vez escrito, não queria enviá-lo, principalmente devido ao medo e à preocupação com o que os outros pensariam de mim. Certamente, acreditei ter deixado essas deficiências há muito tempo, mas elas ainda estão presentes em minha vida, e ambas são falhas de caráter que me impedirão do lugar e posição em que Deus me chamou. O mesmo vale para qualquer coisa que Deus continue trazendo à tona em sua vida.

Esperamos que esses sejam os obstáculos finais que você precisa superar para mover sua montanha. Mas, uma vez superado isso, você descobrirá que sente emoções, sentimentos, que devem ser canalizados para a frequência certa de energia que acabará por criar ou quebrar sua montanha.

Mas antes de ir para o próximo capítulo, deixe-me compartilhar apenas mais uma coisa. Para você chegar ao local onde pode mover uma montanha, você precisa chegar até ela. Quando você está a quilômetros do obstáculo final, a altura e a magnitude da sua montanha podem parecer grandes, mas não da maneira que acontece quando você está parada ao pé dela. Parada lá, bem no fundo, você olha para cima para ver sua montanha é ENORME. Parada ali, você vê que não há outra maneira de contornar isso; tem que se mover.

Deus propositalmente nos coloca diante dela: não há dinheiro em sua conta; não há cura possível; não há como entrar em contato com seu ente querido, as impossibilidades são infinitas, e você está sem idéias para saber como lidar com isso.

Para que o homem mau não exista mais, a maldade precisava (e ainda precisa) aumentar. Não há outro caminho. “Um pouco de tempo, e os ímpios não mais existirão; por mais que você os procure, não serão encontrados” (Salmos 37:10). “Quão grandes são, Senhor, as tuas obras! Mui profundos são os teus pensamentos! O homem brutal nada sabe, e o louco não entende isto. Brotam os ímpios como a erva, e florescem todos os que praticam a iniquidade, mas para serem destruídos para sempre” (Salmos 92:5–7).

É assim que Deus trabalha, Ele propositalmente permite que tudo se torne impossível. Ele também espera até o último momento para se mover: Ele não esperou até o último momento com a lua de mel que se perderia, apenas para “no último minuto” transformá-la na bênção de um casamento romântico e lua de mel para minha filho e sua noiva?

Todas vocês têm seus próprios testemunhos de “último minuto” e “as coisas pioraram”; portanto, repasse-os agora. E se você tende a lutar regularmente, não se esqueça de anotá-las e, melhor ainda, enviar seus relatórios de louvores como eu faço ao site da RMI, para que o mundo inteiro saiba como “nada é impossível para Deus”, nem mesmo o final inesperado será obstáculo.