Como Sara, que obedecia a

Abraão e o chamava senhor. Dela

vocês serão filhas, se praticarem o

bem e não derem lugar ao medo.

—1 Pedro 3:6

 

Paz em Meio à Tempestade

Há quatro semanas atrás, eu abri a correspondência e encontrei uma carta do advogado do meu MT. Nela ele dizia que meu ele havia dado entrada no divórcio e continha cópias de alguns papéis que são enviadas quando alguém é intimido. Se isso tivesse acontecido antes do RMI, aquela carta teria me tirado do sério. Eu teria desabado e corrido para o telefone para ligar para amigos e familiares, teria contratado um advogado. Raiva e fofocas teriam se espalhado pela cidade inteira.

Em vez disso, eu fui para o meu cantinho de oração que eu fiz com umas almofadas e cobertas macias próximo ao meu lado da cama. Eu falei com meu MC, recitei de cor todos os versículos e Salmos que eu sabia. Cantei meus hinos favoritos, derramei as minhas lágrimas. O Senhor manteve os meus filhos (meus dois mais jovens de 18 e 22 anos) ocupados e fora de casa durante a maior parte da semana. Ninguém ficou sabendo que havia sido dada entrada no divórcio. Só isto já foi um milagre, porque eu costumava falar mais do que qualquer pessoa que eu conheça. Louvado seja o Nome de Jesus!

Meu MC está aqui ao meu lado e eu estou maravilhosamente calma. Eu sigo fazendo o que precisa ser feito e estou sendo capaz de me concentrar em abençoar outras pessoas. Ele está protegendo os meus filhos também. Duas semanas atrás, quando finalmente recebi os papéis, era de noite e minha filha estava esperando uma amiga chegar. Geralmente eu não atenderia a porta, mas eu estava passando por ali. Uma mulher me entregou os papéis de divórcio em um envelope enorme!!! Se minha filha (que estava no quarto) tivesse atendido a porta (ela tem idade suficiente para receber esses papéis aqui no meu estado), ela teria percebido o que eles significavam. (Meus filhos ainda não sabem sobre o pedido de divórcio.) Meu MC a protegeu de saber. Eu acho que a oficial também ficou muito surpresa quando eu sorri e agradeci de maneira muito agradável.

Na semana passada eu fui novamente chamada a jejuar, e isto é algo novo para mim desde que me uni ao ministério, em abril. A primeira vez que eu jejuei por três dias foi muito difícil. A comida tem sido um conforto para mim, o que me fez engordar durante estes últimos estressantes dez anos. Mas há um ano atrás eu comecei a perder peso, depois que Deus me ajudou a ver a conexão que eu fazia entre comida e estresse. O jejum é uma boa disciplina para mim porque me mostrou que eu ainda tenho a tendência de me voltar para a comida quando estou entediada ou agitada, ao invés de me voltar para Deus. Por isso o jejum está me ajudando a me livrar de alguns maus hábitos, enquanto foco no Senhor. Então, assim que passou a comemoração de 4 de julho, eu comecei o que pensei que seria um jejum de três dias. No entanto, Deus me chamou a estendê-lo e em seguida me confirmou que eu deveria estendê-lo um pouco mais e acabei completando um jejum de sete dias! Não foi fácil, mas também não foi horrível, e meu MC tornou claro para mim que deveria continuar e eu fui até o fim. Ninguém suspeitou de nada, e eu consegui fazer todas as coisas que mencionei durante o jejum!

Eu sou abençoada. Deus é bom. Eu sou cuidada, e nunca estarei sozinha. Glórias ao Senhor!

~ Ursula no Missouri

Assinando os Papéis do Divórcio

Durante a minha primeira vez neste vale do divórcio, eu consegui, através da sabedoria e do favor, passar sem ter que assinar os papéis. Honestamente, eu estava com muito medo de assinar porque eu havia aprendido como Deus se sente sobre o divórcio (Ele o odeia), e por isso eu estava com medo de que se eu assinasse eu estaria sendo uma “cúmplice” do pecado.

É engraçado quando eu penso sobre isso porque eu também já conhecia o princípio sobre submissão aos nossos maridos. Deus diz às mulheres para seguirem apenas dois exemplos no que diz respeito à submissão: Jesus (em 1 Pedro 2) e Sara (1 Pedro 3). Se olharmos para a vida de Sara, veremos que o seu marido, a quem ela chamava senhor, pediu a ela que concordasse em ser tomada como esposa do faraó, não uma, mas duas vezes!

Certamente ser uma “cúmplice”, no grau em que Sara foi chamada a se submeter ao seu marido, em nada pode se comparar com o que Deus me chamou a fazer, que foi assinar os papéis de divórcio desta vez. Mas Deus é bom, Ele só nos pede que façamos aquilo que somos capazes de fazer. E naquela altura em minha vida, eu tinha somente a fé para acreditar em Deus para me livrar de ter que assinar. Eu li no livro Restaurar Seu Casamento que se demonstrássemos um “espírito calmo e gentil”, encontraríamos favor com nossos maridos para sermos liberadas de assinar. Quando eu disse que faria se fosse preciso, mas que ele ganharia à revelia, essa “resposta gentil” levou embora toda a “raiva”. Eu perdi à revelia, mas não houve nenhum tipo de discussão.

E Deus usou o meu prévio testemunho para ajudar muitas outras mulheres que leram o primeiro livro Enfrentando o Divórcio que Erin escreveu. Muitas mulheres escreveram contando que elas foram capazes de aprender com o meu testemunho e com as das outras que também compartilharam o seus testemunhos, e Deus foi fiel para livrá-las! Aqui está o meu testemunho de 1991:

Em minha situação, após ler o testemunho de Erin que deu início ao RMI, eu também fiz a escolha de perder o meu divórcio à revelia. Eu tomei a Escrituras literalmente quando recebi os papéis de divórcio e nem compareci na audiência — e Deus me livrou! Como Erin, se eu tivesse procurado um advogado ou comparecido na corte, eu não teria visto o poderoso livramento que a mão de Deus me concedeu, porque Ele usou a minha obediência para anular o meu divórcio poucas semanas depois!

Nosso casamento foi misteriosamente restaurado apenas três meses após o divórcio ter sido concedido, devido em parte, à minha obediência em não contratar um advogado. Deus me livrou quando foi descoberto que, mesmo o juiz tendo concedido o divórcio, os papéis que haviam sido preenchidos pelo advogado do meu marido estavam errados. Para que o divórcio fosse “legalizado”, o advogado dele disse que meu marido precisaria enviar uma papelada extra para a corte. Quando este erro foi descoberto— o coração do meu marido já havia sido inclinado de volta para mim, e ele lamentava ter iniciado o processo! Quando perguntei o que ele pensaria se descobrisse que não estávamos divorciados, ele disse, “Divorciar de você foi o maior erro da minha vida!”

Meu marido ficou emocionado por Deus, de alguma maneira, tê-lo livrado do divórcio e simplesmente me pediu (quando eu disse a ele o que o advogado me dissera) que eu não “contasse para ninguém”, ou seja, não deixasse a OM saber. Minha restauração não aconteceu imediatamente, houve outros testes que eu precisava passar e provações que eu precisava enfrentar, mas Deus foi fiel durante todas elas.

A primeira vez que eu disse ao meu marido que não contestaria o divórcio e que não contrataria um advogado para mim mesma (como li o livro RSC), ele reagiu com cepticismo, até que ele procurou saber e viu que poderia se divorciar sem que eu assinasse os papéis ou comparecesse na corte. No caso de Caroline, abaixo, o marido insistiu para que ela comparecesse. Caminhar em obediência, e orando por um livramento, como você verá, fez com que Caroline me ajudasse a passar pelo divórcio novamente, sem medo.

Louvando a Deus com uma Alegria Indescritível!

Meus olhos estão inchados de chorar, não de tristeza, mas de uma alegria indescritível! Meu coração está tão cheio agora que é difícil expressar o quão maravilhoso é o Senhor, e como estou grata por este ministério e pelas bênçãos de se obedecer a estes princípios radicais que me foram apresentados.

Deus usou a minha obediência em não contratar um advogado e em não dar ouvidos à minha mãe, ao meu pai e mesmo ao meu pastor, porque todos tentarem fortemente me avisar que eu não precisava simplesmente “aceitar” tudo que vinha no processo. Eles queriam que eu contratasse um advogado agressivo que realmente fizesse meu marido sentir as terríveis consequências da sua conduta.

Pela maravilhosa e incrível graça de Deus, e tenho certeza, que pelas orações da minha eParceira e dos membros do RMI, hoje eu obedeci estes princípios e confiei em Deus.

Deus não somente trouxe bênçãos financeiras na audiência (a qual o meu marido me pediu firmemente que eu comparecesse), mas Ele usou também me usou como uma testemunha para a representante do tribunal, que disse nunca ter visto pessoas “tão cooperativas e agradáveis”em todos os seus anos de participação em alguns dos 19.000 divórcios realizados em nossa jurisdição. (Que Deus nos ajude!)

Mas o mais importante para mim foi que, depois de mais seis meses de separação e anos do meu comportamento contencioso, eu finalmente vi o muro de ódio do meu marido vir abaixo bem diante dos meus olhos!! Quando falamos sobre dinheiro ou custódia ao longo daquelas duas horas, Deus fechou a minha boca e eu só a abria quando tinha alguma coisa fabulosa para dizer a respeito do meu marido: sua integridade, sua enorme capacidade de adquirir lucros, seu cuidado com as crianças, e a sua maneira responsável de prover as nossas necessidades e administrar o nosso dinheiro! Embora eu tenha me arrependido mais cedo nesta “aventura espiritual”, meu marido não estava aberto para ouvir nada do que eu queria confessar (E eu tenho certeza de que o motivo disto foi porque ele tinha ouvido palavras “religiosas”da minha boca arrogante e cheia de autojustiça muitas vezes antes.). Deus continuou a me transformar, então eu continuei esperando.

Hoje Deus me deu a chance de admitir ao meu marido (e ao escrivão): meu problema em lidar com o dinheiro, minha desorganização, minha irresponsabilidade, e os problemas passados que ao fazer uso de remédios controlados para lidar com a minha dor crônica (eu os usei de forma legítima, mas agora, louvado seja Deus, estou livre deles!).

No fim da “entrevista”, quando eu admiti minha “instabilidade”, meu marido na verdade me contradisse e me elogiou na frente do escrivão. Ele disse que eu realmente conseguia fazer grandes coisas quando eu me esforçava! E disse também que eu era sensível e cuidadosa com as crianças, e muito compreensiva em relação às exigências do seus horários de trabalho! Isto é o que eu chamo de APAGAR as lembranças! Eu passei os últimos 10 anos reclamando CONSTANTEMENTE do trabalho dele! E eu nem mesmo pedi a Deus por essa benção! Glórias a Ele! Ele sabia que eu precisava!

Antes, quando nós nos víamos ele era indiferente ou abrupto, nunca me olhava ou falava mais do que o absolutamente necessário; hoje ele desceu no elevador comigo (eu estou incapacitada), em vez de ir pelas escadas. Depois ele saiu comigo do edifício, contou um pouquinho sobre como seria o seu dia, e então (Aleluia!), ele concordou em jantar conosco amanhã à noite! Eu me ouvi dizendo: “Se estiver muito difícil sair do trabalho, não se preocupe. Eu não vou contar para as crianças, no caso de você não poder ir.” (Hein!? Eu sei de onde AQUILO veio e não foi de mim!)

Ele disse, com convicção, “Eu vou estar lá!” E depois ele falou, “Te vejo amanhã”, quando correu para o carro. Se vocês tivessem a menor noção de como é o trabalho dele, vocês estariam pulando de alegria por nosso Deus ter inclinado o seu coração o suficiente para até mesmo DIZER uma coisa dessas!

Eu acesso o site para ler relatórios de louvor quando me sinto desencorajada. Apenas erguer a minha voz em louvor pelo que Deus tem feito pelas outras pessoas tem iluminado o meu semblante e feito com que “montanhas movidas pela fé” se ergam dentro de mim. Então, por favor, por favor querida leitora, tire um tempo neste minuto para usar a sua voz em agradecimento e louvor ao nosso magnífico Deus vivo que pode usar até mesmo uma audiência para o Seu bem! E “tenha coragem” porque Deus está trabalhando a seu favor neste exato momento, enquanto você O obedece!

Caroline* em Kentucky

Quantas vezes vocês já ouviram um relatório como este sobre uma audiência de divórcio? Nunca. Ao contrário, todo mundo ama compartilhar “histórias de terror” sobre o divórcio para te assustar e te convencer a contratar um “bom” advogado. Lembre-se apenas de que, “Mil poderão cair ao seu lado, dez mil à sua direita, mas nada o atingirá.” (Sl 91:7). Em vez disso, “Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.” (Rm 12:21). Dispense o seu advogado e confie em Deus somente para te livrar e te proteger. Ore por oportunidades de abençoar o seu marido antes e mesmo durante o divórcio, se você não tiver como evitar a sua ida à audiência.

Se o seu marido te pedir para assinar, não importa o que esteja sendo dito nos papéis, você não será cúmplice de um crime, ao contrário, você estará seguindo os princípios que Jesus nos ensinou para alcançarmos vitória. Em primeiro lugar, Ele disse que não devemos resistir a nenhum mal (isso inclui o divórcio), que devemos não somente concordar em caminhar a milha, mas seguir a segunda (e sem que nos peçam), e em seguida quando formos processados (isso significa quando estiverem se divorciando de nós), então devemos dar seja o que for que nos solicitem, e em seguida ir além e dar mais ainda!

Isto não é nenhuma ideia louca minha, mas é Deus quem diz. Como conselheiros Cristãos, pastores e amigos Cristãos podem ignorar este princípio, eu não faço ideia. Aqui está o versículo mais uma vez. Leia-o para ver o quanto Deus é claro sobre o que nós devemos fazer e o que todo mundo está te dizendo para fazer.

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente’. Mas eu lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe também a outra. E se alguém quiser processá-lo e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. Se alguém o forçar a caminhar com ele uma milha, vá com ele duas. Dê a quem lhe pede, e não volte as costas àquele que deseja pedir-lhe algo emprestado.” (Mateus 5:38-42).

Caroline teve a vitória e a alegria que agora a fazem chorar, porque ela humildemente foi à corte (por insistência do marido dela) e confiou em Deus. Ela conhecia e aplicava os princípios que não somente a fizeram passar pela audiência em paz, mas também derrubou o muro de ódio quando ela abençoou o marido na mais radical de todas as ocasiões!

Aqui estão mais alguns versículos que poucos pastores ou Cristãos conhecem ou te encorajam a seguir.

“Se algum de vocês tem queixa contra outro irmão, como ousa apresentar a causa para ser julgada pelos ímpios, em vez de levá-la aos santos?” (1 Co 6:1).

Esta Escritura é muito firme. Você ousa desafiar a Deus? Se você meramente escolher comparecer à corte estará se apresentando “diante dos ímpios”. Algumas pessoas acreditam que esta seja a oportunidade para consertarem a sua situação—não é. Caroline não escolheu comparecer; o marido a pressionou a estar lá. Ela orou para ser livrada, mas Deus tinha outros planos.

“Pois os Meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os Meus caminhos,’declara o Senhor. ‘Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os Meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos e os Meus pensamentos, mais altos do que os seus pensamentos.” (Isaías 55: 8-9).

Quando nós nos apoiamos no nosso próprio entendimento e fazemos os nossos próprios planos, Deus simplesmente dará um passo atrás e permitirá a nossa queda para que possamos aprender que o plano Dele está muito além e acima do nosso. Mais uma vez, caminhe em obediência e, se for preciso, ore para ser livrada, mas lembre-se apenas de que você será abençoada se tiver que passar pela fornalha de uma audiência— Deus tem um plano maior e irá te abençoar porque você passou por isso confiando Nele. Contudo, não escolha se jogar na fornalha ardente, ou você pode acabar se tornando uma mártir sem causa!

Ainda que seja difícil não ter um advogado e se recusar a lutar por apoio financeiro, há algumas pessoas que estão sendo chamadas a irem ainda mais longe, como aconteceu com Janet, na Pensilvânia:

Jesus, Nossa Fonte!

Eu louvo ao Senhor pela Sua força que se aperfeiçoa em nossa fraqueza. Ele colocou em meu coração, há vários meses, que eu deveria desistir da pensão que eu recebia do meu marido. Eu sabia que deveria, mas eu tinha medo de fazer isso com nossas duas filhas.

Uma noite Deus falou comigo novamente sobre este assunto. Eu disse ao meu marido que estava disposta a desistir da pensão que ele dava para mim e a das crianças. Ele ficou chocado. Imediatamente ele me perguntou como eu iria sobreviver e eu respondi que conseguiria.

Ele gostou de eu ter desistido da pensão para mim mesma, mas não permitiu que eu desistisse da das crianças. Ele não se sentiria bem se não ajudasse as nossas filhas. Ele ficou grato e eu fui obediente.

Quando eu desliguei o telefone, uma paz imediata tomou conta do meu coração e da minha mente. Eu comecei a orar e recebi um avanço em minha intercessão como eu não sentia há muito tempo. Eu iria conseguir pela graça de Deus. Jesus é nossa fonte— seja abençoada e seja obediente. Confie e obedeça— não existe outra maneira.

Janet na Pensilvânia

Paz, e uma porta aberta para Deus, é algo inestimável. E quando estamos dispostas como Janet a dar um passo de fé Deus irá nos abençoar.

Nós Haveremos de Julgar os Anjos?

“Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Se vocês hão de julgar o mundo, acaso não são capazes de julgar as causas de menor importância? Vocês não sabem que haveremos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas desta vida!” (1 Coríntios 6: 2-3).

Neste versículo Deus está zombando de nós, nos mostrando quão mesquinhos e insignificantes são os assuntos deste mundo em comparação à nossa vida com Ele.

Se nós estamos com medo de como a corte irá nos tratar e tentarmos apelar para elas (ou para nossos maridos ou esposas), iremos perder as bênçãos de Deus. Ele é capaz de inclinar o coração de reis, juízes, advogados e de maridos/esposas: os corações deles também estão nas mãos do Senhor.

“Como corrente de águas é o coração do rei na mão do Senhor; ele o inclina para onde quer.” (Provérbios 21:1).

E aqui é quando Deus vê o nosso coração; alguém que confia Nele, alguém que alegremente segue os Seus princípios e acredita nas Suas promessas— isto é o que faz com que Ele incline os outros corações para nós!

“Portanto, se vocês têm questões relativas às coisas desta vida, designem para juízes os que são da igreja, mesmo que sejam os menos importantes.” (1 Co 6:4)

Os tribunais no meu país (Estados Unidos da América) não seguem mais os ensinamentos Bíblicos como faziam quando o país foi fundado. O resultado disso é que temos regras e fardos sendo colocados sobre os crentes que nem Deus e nem os fundadores da nação tinham em mente. Se você escolher a corte para te ajudar, você estará escolhendo o julgamento dela em vez da proteção e provisão de Deus.

Provérbios 29:26 diz claramente, “Muitos desejam os favores do governante, mas é do SENHOR que procede a justiça.”

Mesmo nos países que requerem alguns anos de espera antes do divórcio ser concretizado, se você simplesmente disser que não quer, seu marido/esposa não irá te odiar porque você estará no caminho daquilo que ele/ela acredita que o/a fará feliz? É melhor que você saia do caminho do ímpio (Salmos 1:1), pare de resistir ao mal e caminhe a milha extra, dê a sua capa (Mateus 5:39), e observe o agir de Deus.

Isto também se aplica quando você sente que tem que declarar que não quer o divórcio.

Eu realmente acreditava, da primeira vez que enfrentei o divórcio, que eu tinha que deixar claro para o meu marido que eu não queria me divorciar, mais uma vez, porque eu tinha medo de ser cúmplice do crime de divórcio e terminar como a Safira do Ananias! (Veja Atos 5). Mas desta vez eu estava bem ciente de que Deus conhecia meu coração e Ele conhece o seu coração também. Ele sabia que eu não queria o divórcio, e com certeza se eu afirmasse isso para o meu marido eu ainda estaria sendo uma fariseia do pior tipo.

Contudo, se é você que continuava falando ou ameaçando se divorciar, ou se foi você quem iniciou o processo, então declarar que você não quer certamente seria justificável e uma ótima ideia. Não fique repetindo, apenas deixe claro que foi um erro se foi você quem falou disso.

Na situação de Kris, você verá que Deus a chamou também a um nível mais alto de fé e obediência. Foi o testemunho dela, e o de Vivian (que você lerá em seguida), que ME deram a fé e a coragem de assinar os papéis desta vez, quando meu marido me pediu que eu assinasse!!

Eu sou Verdadeiramente Uma Nova Criatura em Cristo!!

“Eu queria tirar um momento para louvar o meu Senhor e Salvador. Ele te dará a graça e a paz para passar por qualquer coisa se você apenas abrir o seu coração para Ele.

Meu marido veio na sexta-feira e me pediu para assinar os papéis finais do divórcio. Eu fui capaz de fazer isto com um sorriso e sem aquela “cena”que teria acontecido há apenas cinco meses atrás. Eu sou tão grata ao Senhor por me dar a oportunidade abençoada de mostrar a ELE que eu mudei. O Senhor me deu a chance de ver como o Seu amor, e a fé Nele me transformaram. Ele me mostrou que eu sou verdadeiramente uma nova criatura em Cristo, e eu não poderia estar mais grata.

Eu tenho sido tão abençoada por o Senhor ter atrasado os procedimentos da corte e causado uma confusão a cada virada, isto verdadeiramente é a mão Dele. Neste momento, pelo que eu entendi, o meu marido e o advogado dele podem ir ao tribunal a qualquer hora, pedir para que o protocolo seja acrescentado e o juiz assinará o decreto. Eu não preciso estar presente e não receberei mais nenhuma notificação antes do final.

Ou o Senhor irá me livrar e abrir o Mar Vermelho, ou eu passarei por esta prova. De qualquer maneira eu não estou com medo, estou firme. Eu estaria mentindo se dissesse que não chorei algumas lágrimas depois que o meu marido saiu, mas as palavras “Eu desisto.” nem passaram pela minha cabeça. O Senhor me prometeu que Ele estaria comigo; Ele prometeu e a Sua Palavra é boa; Ele prometeu me livrar; Ele prometeu restauração, se eu permanecesse firme; Ele não prometeu que não seria desconfortável ou que não iria doer. Então este é mais um passo que dói um pouco, mas não é o fim. O Senhor pode parar o divórcio, mas mesmo se for preciso que ele aconteça como parte do Seu plano perfeito, então eu esperarei seja o que for que o Senhor fará por mim.

Eu agradeço e louvo ao meu Senhor e meu Pai celestial por tudo que Ele fez, e está fazendo, não só no meu casamento, mas em mim! Eu O agradeço porque não importa o que eu veja, Ele está trabalhando e cuidando do meu marido e dos meus filhos. Eu O agradeço porque eu fui capaz de não fraquejar, e mostrar ao meu marido a alegria e a paz que vêm do Senhor!

Se parecer que você esteja se aproximando de uma situação assim, ou já esteja na posição em que agora me encontro, NÃO DESISTA! Confie no Senhor e permaneça no caminho. O choro pode durar uma noite, mas a alegria realmente vem pela manhã. Deus abençoe você!”

Kris no Texas

Um mês depois o RMI recebeu este email de Kris:

Querida Erin e todas as pessoas maravilhosas do RMI,

Eu queria apenas agradecer por terem publicado o meu relatório de louvor sobre assinar os papéis do divórcio em abril. Foi um lembrete na hora certa de tudo que o Senhor tem feito em minha vida. O divórcio realmente aconteceu em março. Algumas mulheres têm me perguntado se eu faria tudo que eu fiz (deixar ir o meu advogado, assinar os papéis que me foram pedidos, etc.), sabendo que ainda assim o Senhor deixaria que o divórcio acontecesse. A resposta é um simples sim. Eu faria tudo da mesma maneira novamente.

Eu poderia ter ficado amarga (como vi muitas outras ficarem) e lamentar porque eu fiz tudo que o Senhor mostrou a Erin que deveria ser feito e Ele ainda assim não parou o divórcio no meu caso, e eu acho que a raiva poderia ter se espalhado para todas as áreas da minha vida, incluindo na minha caminhada com Deus. MAS só porque as coisas não saíram “da maneira desejada”, como algumas pessoas veem a situação, eu ainda fiz o que o Senhor me direcionou a fazer, então eu alcancei o resultado exato que Ele tinha em mente para mim, o que, portanto, é o que eu também desejo. Eu também daria a outras mulheres o mesmo conselho que está no livro Enfrentando o Divórcio sem hesitação ou reservas, porque eu acredito que este conselho vem direto do Senhor.

De todas as coisas que passaram pela minha mente (e com as quais eu tenho lutado nestas últimas semanas), ter feito as coisas relacionados ao divórcio diferente do que ensina os princípios do livro RSC não é uma delas. Eu acredito que eu verei a bondade do Senhor na terra dos vivos, e que todas as coisas verdadeiramente contribuem para o Seu bem, e que algum dia Ele terá em mim um testemunho para provar exatamente isto!

Que o Senhor abençõe ricamente todas vocês do RMI!

Kris no Texas

Advogada do Marido Ora para que Não Haja Divórcio

Eu fui ao escritório da advogada do meu marido durante o meu intervalo de almoço dois dias atrás para assinar os formulários de consentimento. Eu pedi a Deus que fosse na minha frente e que fosse a minha retaguarda. Glória a Deus, Ele foi tão fiel!

Quando eu fui assinar os papéis, em obediência ao meu marido, a advogada dele perguntou se eu estava certa que queria ir em frente com aquilo. Eu olhei para ela e disse que tudo bem. Ela perguntou se eu compareceria à audiência dali a uma semana. Eu disse que não, já que não era obrigatória a minha presença.

Ela me perguntou, “Você não gostaria de ver o seu marido?”. Eu acho que não respondi. Mas com a pergunta dela, meus olhos começaram a se encher de lágrimas. Espero que ela não tenha percebido. Ela me perguntou se eu já havia pensado em convidar meu marido para sair e eu respondi que não. E ela então comentou que nós dois parecíamos ser pessoas tão agradáveis, que conseguimos resolver tudo por email. Eu disse que meu marido era um homem muito bom. Ela me perguntou, “Por que vocês dois não tentam mais uma vez?” e eu falei que fui uma péssima esposa. Ela perguntou por que nós não poderíamos nos encontrar e eu disse que isso era com o meu marido. Aí ela sorriu e disse que falaria com ele para me convidar! Ela me informou que com a audiência, o divórcio temporário seria aprovado e após três meses, ele seria definitivo. Ela foi tão agradável—eu realmente senti que estava prestes a romper em lágrimas.

Depois ela me perguntou se eu frequentava uma igreja e quando eu respondi que sim, ela me falou que meu marido contou que ele também estava indo à igreja! Ela sorriu de novo e disse que oraria por nós. Ela me encorajou e disse que ainda teríamos três meses antes que o divórcio se tornasse definitivo. O tempo todo, eu tentava não chorar. Quando eu estava saindo ela me disse que todo casamento recente enfrenta problemas e que eu não deveria me preocupar.

Eu nunca pensei que sairia do escritório de uma advogada, após assinar os papéis consentindo com o divórcio, me sentindo encorajada! Até a advogada do meu marido está orando por nós! Veja como Deus trabalha!

Realmente, o homem planeja os seus caminhos, mas o Senhor é quem dirige os seus passos! Ainda estou orando para que o divórcio não aconteça se esta for a vontade Dele, mas se Ele permitir que vá até o fim, eu oro para que Ele use isto para o BEM!

Uau, Senhor, Você é tão maravilhoso!

Vivian em Singapura

Por que Eu Tive Que Assinar

Quando meu marido tocou no assunto do divórcio—novamente, ele me disse que eu teria que assumir TODA a dívida da nossa família e do nosso negócio, e que não pagaria pensão para as crianças.

E deixe-me acrescentar algo aqui que eu acho que cada uma de vocês precisa saber e compreender. Como o meu marido sabia da minha participação no RMI há anos, o que levou à nossa restauração, ele conhecia cada uma das minhas convicções. E por isso foi que Ele as usou contra mim. Ele tirou vantagem de mim completa e absolutamente. Você ouviu o que eu disse? Ele tirou proveito das minhas convicções e abusou dos princípios em que eu acreditava e que ele sabia que eu seguiria! Foi por isso que ele sabia que poderia “se dar bem” não pagando pensão, deixando toda a dívida para trás, etc, etc.

É importante que você compreenda o que eu acabei de explicar porque muitas de vocês estão com medo de que se não fizerem o que é certo,eles irão se aproveitar disso. Então Deus na Sua sabedoria e amor por você enviou a mim e a muitas outras à frente e nos colocou nesta situação, se certificando de que enfrentaríamos condições muito difíceis, e permitiu que cada uma de nós caminhasse por vales diferentes e muito duros para o seu bem.

Desta vez eu não fui ingênua ou estava desinformada sobre o que estava acontecendo como da primeira vez. Desta vez eu sabia de tudo que ele estava planejando fazer e devido ao sentimento do amor do Senhor por mim, eu estava disposta a entregar a minha vida.

“Por isso é que Meu Pai me ama, porque Eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de Mim, mas Eu a dou por minha espontânea vontade.” (João 10:17-18).

Foi por isto que eu concordei “entusiasticamente”, porque meu marido sabia que eu não queria assinar os papéis do divórcio, mas quando ele explicou isso ao advogado, ele foi informado de que o juiz nunca concordaria com o “não pagar pensão” a menos que eu assinasse os papéis. E lembre-se, querida leitora, se te for pedido que assine isto não fará com que a restauração do seu casamento se torne mais difícil para Deus!

“Eu sou o SENHOR, o Deus de toda a humanidade. Há alguma coisa difícil demais para mim?” (Jeremias 32:27). E você responderá dizendo...

“Ah! Soberano SENHOR, tu fizeste os céus e a terra pelo teu grande poder e por teu braço estendido. Nada é difícil demais para ti.” (Jeremias 32:17)... escolha Ele fazer seja o que for?

Sabendo que Deus estava me chamando a um nível mais alto de obediência e confiança Nele, eu “entusiasticamente” disse ao meu marido que assinaria, quando ele me contou o que o advogado dele havia dito! Eu não tinha a menor ideia de quando eu deveria assinar, mas você acredita que Deus me levou a 2 Crônicas 20: 6-25 um dia ANTES da data em que eu assinei os papéis? Como eu disse, eu não sabia que seria no dia seguinte, mas Deus sabia! Eu li,

“SENHOR, Deus dos nossos antepassados, não és Tu o Deus que está nos céus? Tu dominas sobre todos os reinos do mundo. Força e poder estão em Tuas mãos, e ninguém pode opor-se a Ti.”

“Se alguma desgraça nos atingir, seja o castigo da espada, seja a peste, seja a fome, nós nos colocaremos em Tua presença diante deste templo, pois ele leva o Teu nome, e clamaremos a ti em nossa angústia, e Tu nos ouvirás e nos salvarás... Vê agora como estão nos retribuindo, ao virem expulsar-nos da terra que nos deste por herança.”

“Ó nosso Deus, não irás Tu julgá-los? Pois não temos força para enfrentar esse exército imenso que vem nos atacar. Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos se voltam para Ti.”

“...Não tenham medo nem fiquem desanimados por causa desse exército enorme. Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus.”

Amanhã, desçam contra eles... Vocês não precisarão lutar nessa batalha. Tomem suas posições, permaneçam firmes e vejam o livramento que o SENHOR lhes dará... Não tenham medo nem desanimem. Saiam para enfrentá-los amanhã, e o SENHOR estará com vocês.”

Isso foi o que Deus me mostrou um dia antes de eu ter que assinar os papéis finais do divórcio! Somente na noite seguinte é que eu voltei àquela passagem e notei que nela dizia duas vezes que eu precisaria ir amanhã! Aquilo foi mais confirmação do que eu precisava— mas talvez seja isso que você precisa para te ajudar quando chegar a sua vez!!

Como resultado da Palavra do Senhor para Josafá, ele respondeu ao Senhor prostrando- se “rosto em terra... em adoração perante o SENHOR.” E em seguida ele “se levantou e louvou ao SENHOR, o Deus de Israel, em alta voz.”

Quais foram os resultados desta confiança e deste louvor ao Senhor?

Os seus inimigos destruíram a si mesmos!!!!

Lá diz, “De madrugada partiram... Quando estavam saindo, Josafá lhes disse: Escutem- me, Judá e povo de Jerusalém! Tenham fé no Senhor, o seu Deus, e vocês serão sustentados; tenham fé nos profetas do Senhor, e terão a vitória.”

“Deem graças ao Senhor, pois o seu amor dura para sempre.”

Eles agradeceram antes mesmo de Deus ter feito qualquer coisa!!

“Quando começaram a cantar e a entoar louvores, o SENHOR preparou emboscadas... e eles foram derrotados. Depois de massacrarem... destruíram-se uns aos outros.”!! — “ninguém havia escapado”.

E como se isso já não bastasse...

“Então Josafá e os seus soldados foram saquear os cadáveres e encontraram entre eles grande quantidade de equipamentos e roupas, e também objetos de valor; passaram três dias saqueando, mas havia mais do que eram capazes de levar.”!!

O dia em que foi pedido que eu assinasse os papéis foi um dia cheio de compromissos. Eu sabia que aquilo tinha que ser parte do plano de Deus para me manter ocupada demais e para não permitir que a minha mente se concentrasse no que eu estava para fazer, o que poderia ter me deixado com medo ou ansiosa. Quando entrei para assinar eu não senti medo nenhum. Eu agi com animação e entusiasmo com o oficial que me levou até a sala. Minhas mãos não tremeram ou balançaram. Senhoras, foi Deus!! Ele havia me preparado para este “dia de batalha” e eu sabia que Ele iria lutar por mim.

Se não fosse pelo testemunho de Kris e Vivian, eu sei que eu não teria conseguido assinar os papéis “sem medo”! Deus nos diz que venceremos o maligno (que, a propósito, não é o seu marido/esposa ou a OM/OH) pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho. (Leia Apocalipse 12:11).

Sempre tenha em mente que aquilo pelo que Deus está pedindo que você passe hoje ou amanhã, algum dia se transformará no testemunho que capacitará uma outra pessoa a passar por alguma coisa “sem medo” também! Eu sou grata a Kris e Vivian por terem construído a ponte para “assinar os papéis sem medo” para você e para mim!

Se você estiver pronta para fazer um compromisso com SENHOR sobre o que você leu, clique em seu DIÁRIO, assim você concorda que está pronta para registrar esta próxima parte da sua Jornada de Restauração no formulário "Meu Diário". Não se apresse, sente-se, pegue seu café ou chá e derrame seu coração em seu Diário.

Como “As mulheres mais velhas também ... ensinam o que é bom, para ENCORAJAR as moças…” (Tito 2:3), você terá a oportunidade de falar com as mulheres mais jovens que ainda são solteiras como parte de seu ministério.