Intro: Aquela Mulher Tão Perfeita de Provérbios 31!

Palavras do rei Lemuel,  a profecia
que lhe ensinou a sua mãe
—Provérbios 31:1 

Deixe-me começar dizendo que a “Mulher de Provérbios” é inteiramente fictícia e que ela não existe. Mas é claro que você já sabia disso! Mesmo assim eu senti que seria importante que todas nós concordássemos que ela simplesmente não é real. A razão pela qual precisamos concordar quanto a este fato também é muito simples: esta “mulher” era a minha heroína e eu queria ser exatamente como ela— tanto assim que modelei a minha vida segundo a vida dela. Eu, tolamente, a usei como uma vara de medir para determinar como eu estava me saindo como esposa, mãe e dona de casa. E, se eu tivesse que adivinhar, diria que você também tem se debatido ao tentar se comparar com essa personagem fictícia.  

Portanto, eu não sei quanto a você, mas esta mulher já me assombrou por tempo suficiente. Durante toda a minha vida, especialmente durante a minha vida de casada, eu relutei desesperadamente, e me esforcei ao longo dos meus dias para ser exatamente como ela, para que assim eu pudesse ser considerada “boa o suficiente” e “justa o suficiente” e “agradável o suficiente” para Deus. 

O que eu descobri, há poucos anos atrás, foi que este nãoé o modelo padrão que Deus tem para as mulheres; ao contrário, Provérbios 31 foram orientações que uma mãe usou para instruir o seu filho quando ele fosse escolheruma esposa— uma esposa que seria a sua rainha. Portanto, é bom encorajarmos nossos filhos a procurar por uma esposa assim, ainda mais que sabemos que esta mulher é quase impossível de ser encontrada, muito mais agora do que naquele tempo, porque ela é uma joia rara e cara. Felizmente, nada é impossível para Deus, e como mães nós podemos confiar que Ele trará a ajudadora perfeita para os nossos filhos, contanto que ponhamos nossa confiança Nele.  

A minha esperança é que através deste capítulo você compreenda a verdade de que a 

Mulher de Provérbios não é real. Eu espero que só o fato de saber disto já tenha retirado um fardo pesado e removido um peso das suas costas, exatamente como aconteceu comigo, para que você não mais tente ser como ela. Como agora estou livre desta sobrecarga, isto me deu a liberdade e a leveza de simplesmente permitir que Ele me transforme. Embora eu ainda deseje, e sempre irei desejar, ser agradável ao meu Deus, e também ao meu Senhor, que agora é meu Marido, eu não acredito mais na mentira de que preciso estar à altura dela. Pelo contrário, por viver mergulhada em Seu amor há mais de um ano, agora eu sei que não há nada, nem uma única coisa, que eu precise fazer para agradá-Lo— contanto que Ele tenha todo o meu coração, que é tudo que Ele deseja. Isso não é maravilhoso? 

Agora, por causa dessa nova compreensão, tudo que eu faço é resultado desse amor. Não há esforço e nem desapontamentos da minha parte porque, como eu disse, eu sei que não tenho que estar à altura daquela mulher! Finalmente estou livre: livre para amar as outras pessoas e livre para desfrutar a minha vida abundante! 

Perdoe-me, eu simplesmente não poderia prosseguir com este capítulo sem primeiro reestabelecer este ponto fundamental mais uma vez: o seu Amado ama você assim exatamente do jeitinho que você é. Isso pode te parecer impossível, surreal e bom demais para ser verdade, mas lembre-se apenas de que foi “enquantoainda éramos pecadores…”. Aí foi quando Ele morreu e entregou a Sua vida por você e por mim. Nós não fizemos nada, foi “enquanto éramos pecadores”. Ele não deu a Sua vida depoisque nos arrependemos ou tentamosser bons. Essa é a questão. Foi quando éramos maus, ruins e não tínhamos nenhum desejo por Ele que Ele demonstrou o Seu amor por nós— abrindo bem os Seus braços— esses mesmos braços com os quais Ele anseia nos abraçar por toda a eternidade. Então pare, separe um momento e pondere realmente essa verdade por um tempo. Não existe verdade maior do que essa. 

Infelizmente, agora me parece até um pouco rude pular direto para o assunto de que este capítulo vai tratar, quando você simplesmente acabou de sondar o mais profundo da sua alma, mas há uma outra verdade libertadora a ser lembrada: a de que tudo que nos diz respeito importa para o nosso Amado— tudo— até mesmo as coisas materiais. Então vamos voltar a nossa atenção para um assunto prático: o estado dos nossos lares, e como podemos apreciar a tarefa de criar um paraíso para nós mesmas, nossa família e nossos amigos. Como podemos simplesmente nos tornar o tipo de noiva que nosso Marido quer que sejamos, um Marido que quer que nos sintamos livres das preocupações ou dos fardos e que sejamos inexplicavelmente felizes. Uma noiva que se sinta satisfeita e realizada— algo que hoje em dia as mulheres acham impossível de conseguir, embora se esforcempara obter isso diariamente. Isso porque a maioria delas aceitou a mentira de que, se imitarem um homem e copiarem aquilo que faz com que eles se sintam realizados, nós também, como mulheres, iremos nos sentir realizadas. Mas a verdade é que em Provérbios, e ao longo de toda a Bíblia, Deus explicou lindamente como Ele nos criou, diferentes e únicas, em nada parecida com o homem. “Vocês não leram que, no princípio, o Criador os fez homem e mulher?” (Mateus 19:4). Então vamos nos concentrar no que realmente importa para nós como mulheres, onde nos encontramos realmente, e ler esta passagem:  

“Atende ao bom andamento da sua casae não come o pão da preguiça.” (Provérbios 31:27). 

Este versículo, que também faz menção à Mulher de Provérbios 31, é algo que eu sempre pensei que pelo menosjá tinha conseguido alcançar, porque… eu simplesmente nunca fui preguiçosa. Por isso eu pensava que já havia alcançado as duas coisas: eu cuidava bem da minha casa e não era preguiçosa. Nem tanto. Estas são duas áreas distintas que podemos usar para buscar a ajuda de Deus ao pedirmos a Ele que nos transforme nestes aspectos específicos de nossas vidas.  

Mais uma vez, não há nada que possamos fazer por nós mesmas, lembre-se do que Ele diz, “Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em Mime Eu nele, esse dá muito fruto; pois sem Mimvocês não podem fazer coisa alguma.” (João 15:5), “… mas paraDeustodas as coisas são possíveis.” (Mateus 19:26). 

Então por que não, usando a Sua força, sabedoria e unção, pedir a Ele que nos ajude a realizar a tarefa de cuidar bemdo andamento dos nossos lares, com o desejo de criar um refúgio para nossa família, amigos, e para que nós mesmas possamos viver como Suas noivas? Mas, repetindo, se tentarmosfazer isso usando a nossa própria sabedoria ou força, ou mesmo seguindo nosso próprio tempo, nossos esforços serão simplesmente fúteis e sem valor. Nenhuma quantidade de livros sobre organização ou planejamentos que criemos irão funcionar. Sim, livros ou artigos e programas de televisão são bons para nos dar conhecimento, mas somente Ele pode preencher este (ou qualquer outro) aspecto das nossas vidas. Simplesmente discuta este assunto, ou qualquer outro, com Ele para que assim Ele possa fazer com que aconteça— sem esforços. 

Faxina Geral 

Enquanto voltava para casa, vinda da Ásia (eu mencionei em meu primeiro livro Encontrando a Vida Abundanteque continuo viajando para a nossa igreja através do ministério televisivo), eu descobri que teria muito tempo livre para pensar e conversar com o Senhor sobre vários assuntos durante a viagem. Uma coisa que me veio à mente, durante este voo, foi um profundo desejo que eu tinha de fazer uma “faxina geral”. Confesso que eu nunca havia feito uma faxina assim antes em toda a minha vida e, por alguma razão, eu simplesmente queria que a minha casa ficasse completamente limpa e desentulhada, inclusive, e especialmente, os closets, gavetas e armários. Há algo muito libertador em se ter uma casa livre de tudo que você não precisa e/ou não usa. É como se um peso enorme fosse retirado de você e da sua vida. Talvez isso seja devido a algo que ouvi alguém dizer recentemente sobre o livro da Erin, Trabalhadoras no Lar, que eu amei e segui por anos. Ou possivelmente foi devido a alguma coisa que Ele tinha para mim (e minha família) mais à frente e a faxina geral e/o livrar-se das coisas desnecessárias seria o primeiro passo. 

Independentemente do motivo verdadeiro, eu sabia, por ter estado viajando tão extensivamente desde o ano anterior, que a minha casa realmente precisaria de uma atenção completa. Mas há uma lição muito importante que aprendi também neste ano que passou: eu não posso fazer nadapor mim mesma. Nada. Antes eu punha muito de “mim” em tudo que eu fazia e completava com uma pequena “cobertura adocicada” do Senhor. Mas quando você é colocada em uma posição em que, de repente, você se vê como mãe solteira de uma família grande, com mais um adolescente extra, uma irmã com necessidades especiais que exige muito da sua atenção e, para completar, você ainda é enviada para viajar ao redor do mundo parte do tempo, bem, aí você descobre que é forçada a se apoiar 100% no Senhor, ou do contrário você simplesmente afunda. E Ele sabia que era disso que eu precisava para aprender— a contar completa e inteiramente com Ele— e a descansar verdadeiramente Nele. Mesmo quando há tanta coisa para ser feita que você sente que nunca irá dar conta ou se vê prestes a cair morta de exaustão. 

Então, durante o voo, eu simplesmente disse ao Senhor que eu amariafazer uma faxina geral, e apenas entreguei esse assunto a Ele, não uma, mas todae cada vez que eu me lembrava disso. E foi o que pensei e fiz. Quando cheguei em casa, depois de passar quase um mês fora, meu lar precisava da minha atenção, embora tudo estivesse maravilhosamente limpo, até mesmo para uma visita que chegasse de surpresa. Eu agradeci muito a Ele pela confirmação de que, como mãe, eu não havia negligenciado o treinamento dos meus filhos. Contudo, eu ainda estava determinada a deixá-Lo fazer o impossível e providenciar tempo e o Seu plano para uma faxina completa se, claro, esse fosse o Seu projeto. Sabendo mais uma vez que tudo que eu tentasse fazer, em vez de esperar por Ele, seria uma fração mínima do que Ele faria— em Seu próprio tempo— eu deixei que Ele realizasse os desejos do meu coração. E, portanto, eu esperei até que eu fosse carregada para dentro do Seu plano e do Seu curso.  

Então, de repente, eu vi que estava começando a acontecer. 

Sabe, senhoras, esta é a maneira como o Senhor trabalha— Ele quer que esperemos, e então subitamenteEle se move. É mais ou menos como acontece com as crianças que dão aqueles “pulos” no seu crescimento. Esta é a maneira Dele e nós precisamos saber e compreender como Ele trabalha para que possamos nos acalmar quando não vemos nada acontecendo: o cumprimento das promessas acontecem em surtos depoisda nossa espera. Neste momento não consigo me lembrar de por qual cômodo eu comecei; ah, eu sei, foi pelo quarto das meninas. Eu as abençoei com novos edredons, lençóis, cortinas, etc. depois que a sua prima (minha sobrinha) voltou para casa após passar um ano morando conosco. Elas estavam dividindo o quarto de novo e mereciam ser abençoadas por demonstrar tanto amor à prima. Deus me deu até mesmo uma vantagem porque, enquanto eu estive fora, um dos meus filhos se mudou para outro quarto e arrumou a suas roupas com muito capricho nas gavetas. Foi aí que senti aquela onda de animação e de energia para pegar os meus quatro recipientes e as etiquetas para começar a separar o que estava nas gavetas! Sim, eu também comprei o livro da Erin Trabalhadoras no Lare sou guiada a seguir o que ele diz periodicamente. E naquele momento mesmo Deus colocou uma unção sobre mim, ou em mim, além do conhecimento e da sabedoria que ganhei através deste livro e  ao assistir todos aqueles programas sobre organização do lar. Nós demos a partida. 

Para começar, eu busquei ao Senhor para saber quais poderiam ser estes recipientes grandes a serem usados: baldes, cestas e bolsas. A questão é que, naquele momento, eu poderia ter tomado o controle: eu, minhas ideias— minha carne ou minha tentativa de seguir o livro, mas eu queria permanecer dentro da Sua unção para que assim eu pudesse dar toda a “glória a Deus”. E, o mais importante, alcançar o tipo de resultados que te fazem querer dançar e gritar de alegria! 

Imediatamente Deus me guiou pela casa e pela garagem, recolhendo tudo o que eu precisaria. Eu fiz as etiquetas grandes de papel: #1 jogar fora, #2 doar, #3 separar, #4 guardar. Nos recipientes #1 e #2, eu coloquei uma sacola de lixo preta bem grande para facilitar na hora de levar o #1 para o lixo e o #2 para o porta-malas do meu carro. (Se você não leu o livro de Erin, Trabalhadoras no Lar, me acompanhe, ou melhor, adquira um exemplar; assim o que eu vou dizer irá fazer mais sentido.) Eu enfileirei estes recipientes de 1 a 4 e expliquei para as minhas filhas que este é o método para se limpar qualquerquarto, qualquergaveta, qualquercloset, ou qualquer carro— qualquer coisa

Então, o nosso objetivo, conforme eu expliquei, era remover qualquer coisade qualquer “lugar” em que elas se sentissem guiadas a trabalhar: uma gaveta, o closet, debaixo da cama, e em seguida perguntar ao Senhor se aquele objeto deveria ser: 

#1 jogado fora (está estragado ou não vale a pena doar para alguém?) ou 

 #2 doado (você não usa mais, ou não precisa dele ou ficou pequeno?) ou 

#3 separado (o lugar dele não é no seu quarto; ou não te pertence), ou  

#4 guardado (ele deve voltar para a cômoda, ou closet que você acabou de limpar; mas não para debaixo da cama). 

 Eu disse às minhas filhas que o objetivo delas era tentar colocar o máximo de coisas que elas conseguissem no #1, em seguida no #2 e assim por diante, para que no #4 ficasse somente aquilo que Deus queria que elas guardassem— o resto era para deixar ir.

Para ajudá-las eu me senti guiada a parar e comer alguma coisa, quando Ele começou a lhes dar, através de mim, uma sabedoria essencial sobre a qual irei compartilhar no próximo capítulo. 

Diário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *