Assim como o corpo sem espírito está morto,

 também a fé sem obras está morta.

—Tiago 2:26

 

Ao oferecer um almoço em minha casa para mulheres que estavam restaurando seus casamentos (e a cada vez que tenho o prazer de ministrar para membros da minha igreja), eu notei que somente poucas delas têm o tipo de relacionamento com o Senhor que eu estou experimentando agora. Quando algumas mulheres, que eu considero muito espirituais, falam sobre seus maridos, ou ex-maridos, elas muitas vezes chegam quase que às lágrimas porque anseiam por eles. Ou quando falam sobre a restauração dos seus casamentos ficam quase que alvoraçadas só de pensar no assunto. Isto me mostrou que os seus corações não estavam com o Senhor, mas ainda continuavam com seus maridos ou exs.

 Deus também vê o seu coração quando você está ansiando por alguém que não seja o Seu Filho, e certamente isso O aflige muito mais do que a mim. Eu desejo tanto que isso alcance a todas as mulheres no mundo—oh, preciosa; NÃO HÁ MOTIVO para você sofrer, jamais. Não há razão para você ansiar por um homem que está ansiando pelo mundo e pelas coisas do mundo. Você tem Alguém especial que irá te apreciar e te amar e te dar tudo que o seu coração deseja e, se você tiver o suficiente Dele, jamais irá experimentar a dor da rejeição ou da ansiedade novamente.

Aquele de quem estou falando está neste momento de joelhos com uma proposta em Seus lábios! Ele não quer que você seja a Sua esposa, Ele anseia para que você se torne a Sua Noiva—para sempre!! Uma noiva e uma esposa são duas coisas diferentes. Uma noiva é apreciada, é nova, é alguém muito apaixonada! Uma esposa é mais uma ajudadora, uma “completadora”.

Quando nos casamos nos é dito que devemos completar e ajudar nossos maridos. A Bíblia nos diz isso, e você também aprendeu a mesma coisa no livro Uma Mulher Sábia; mas Deus quer mais para você. Ele quer que você seja a Noiva do SENHOR.

Recentemente eu pude explicar sobre este tipo de amor ao meu EM quando ele, mais uma vez, me pediu em casamento. Não se passara nem dois meses ainda desde o nosso divórcio, mas esse assunto se infiltrava entre nós frequentemente, e eu confesso que isso me deixava triste porque sei que ele simplesmente não conseguia entender o que havia acontecido comigo. Não tenho a liberdade de explicar que, embora eu deva ter um espírito de concordância, o Senhor me disse que há uma razão por que eu não poderia me casar novamente, a qual eu creio que seja devido ao fato de agora eu pertencer a Ele (pelo menos durante este período em minha vida).

Durante estas conversas tensas, meu EM continua me pressionando a ajudá-lo a ser feliz novamente, a aceitá-lo de volta e a perdoá-lo. Eu disse a ele que é claro que eu o perdoo, e estou encantada com o fato de sermos bons amigos, mas, muito embora ele DIGA que me ama, este amor não é real. Eu expliquei a ele que este amor que ele sente é egoísta, não necessariamente porque ele seja uma pessoa egoísta, mas porque todos nós somos. Cada um de nós só se importa com o que nos faz feliz, não com o que faria os outros felizes.

Meu EM quer que eu desista da felicidade que agora tenho com o Senhor para fazê-lo feliz e chama isso de amor. Mas isso não é amor real, não do tipo que eu recebo do Senhor, não é o que ele poderia experimentar com o Senhor se se desse a oportunidade. Este tipo de amor que agora eu tenho é o mesmo que eu fui capaz de dar a ele recentemente, durante o nosso processo de divórcio. O amor que dei a ele (porque eu o havia recebido do Senhor) não era egoísta, mas simplesmente doado de forma generosa. Este amor me capacitou a dar a ele “alegremente” o divórcio que ele queria (pois Deus ama quem dá com alegria) porque é desta forma que Ele nos dá. Me capacitou a deixá-lo ir porque ele disse que queria uma outra mulher. E na área das finanças, porque Ele me deu, eu fui capaz de assumir a nossa dívida familiar inteira com entusiasmo (centenas de milhares de dólares dos quais eu não tinha conhecimento) sem ter a menor ideia de como eu poderia pagar, mas simplesmente confiando que Ele certamente me concederia o que eu precisasse.

O amor que o Senhor me dá me capacitou a, de boa vontade, tomar a responsabilidade de cuidar de nossos cinco filhos que ainda estão todos em casa, dar a ele a custódia compartilhada para que ele possa levá-los sempre que quiser, e a assinar os papéis do divórcio que me obrigarão a discutir com ele qualquer decisão que afete as crianças (e, sem sombra de dúvida, a maioria das decisões que eu tomar irá afetar nossos filhos).

Este tipo de amor vai além do que é pedido e dá mais do que lhe foi solicitado. Significa dar os meus filhos para a outra mulher (dar o tempo e amizade deles para ela) e encorajar este relacionamento, porque isso era o que o meu EM queria que eu fizesse. E a lista de pedidos cresce a cada dia.

Mais uma vez, esta semana mesmo, ele me disse que agora está tão quebrado que não tem ideia do que irá fazer. Ele me falou que queria ficar em casa educando os nossos filhos para mim, e se tornar um “dono de casa”, preparando as refeições e limpando a casa se eu o aceitasse de volta. Infelizmente eu assegurei a ele que não posso aceitar este tipo de casamento que ele estava propondo, mas agradeci a ele pela gentileza e humildade.

Quando meu EM me disse o quanto ele ainda me amava, e me implorou que eu o perdoasse para que pudéssemos nos casar novamente, eu disse a ele que certamente eu o perdoava por tudo e que nada do que ele havia feito, ou viesse a fazer, mudaria os meus sentimentos favoráveis em relação a ele. Entretanto, ele não me amava do jeito que eu agora estava sendo amada e esse amor ele só poderia encontrar Naquele que o amava tanto quanto amava a mim. E o amor que ele dizia ter por mim era aquele amor egoísta que todo ser humano possui. Expliquei que o amor que ele agora sentia vindo de mim, e que eu pude demonstrar desde o momento em que ele disse que queria o divórcio e que queria me deixar, é o tipo de amor que somente Deus pode dar.

Eu disse a ele que, quando ele quis se divorciar dizendo que isso era o que o faria feliz, eu dei o divórcio a ele alegremente. Quando ele quis que eu assumisse toda a dívida e a responsabilidade de cuidar das crianças, eu dei a ele com prazer. Quando ele me disse que a *OP era quem iria fazê-lo feliz, eu o entreguei para ela e o ajudei a construir um relacionamento melhor com ela. Depois, quando ele quis criar um bom relacionamento entre meus filhos e a mulher que se tornaria a madrasta deles, eu encorajei e fiz o que pude para ajudá-los a gostarem dela.

*OP: Durante a minha primeira Jornada de Restauração eu me referia a outra mulher como OM, e é interessante porque isso também quer dizer “ai” (em inglês), e saber a respeito dela me machucava demais. No entanto, desta vez, não houve dor nenhuma porque eu estava muito envolvida pelo Seu amor. Então, ao invés de OM, eu simplesmente me referia a ela como a “outra pessoa”, por isso uso OP.

Eu disse a ele que esta é a maneira como Deus tem me amado. Que Ele me dava tudo que eu queria e precisava, sem reter nada. E porque eu tinha este tipo de amor fluindo através de mim, eu era capaz de doá-lo de forma generosa e altruísta.

O amor humano egoísta leva as pessoas a querer a sua própria felicidade e a não se importar com a dos outros, e essa era a razão de ele não compreender o que ainda estava fazendo ao me pressionar para que eu desista do que agora tenho em minha vida. Agora eu tenho a pura alegria e felicidade de estar com o Senhor—Ele é tudo que eu quero e tudo que eu preciso, e eu disse isso ao meu EM.

Ele ficou muito quieto e muito sombrio quando eu terminei de falar. Em seguida ele se desculpou por, novamente, querer conseguir a vida que ele desejava às custas da minha, e disse que entendia o que eu estava dizendo. Não estou certa de que ele compreendeu realmente, mas o seu tom mudou depois que conversamos. Minha esperança é que isso o leve a realmente desejar o que eu tenho: um relacionamento com o Senhor que irá transformá-lo de dentro para fora e que nada poderá abalar.

A verdade é que ele achou que me deixar para ficar com a namorada da época da escola o faria feliz. E porque eu não retive nada, mas dei tudo de boa vontade (da mesma forma como Deus está me dando tudo), ele ganhou instantaneamente aquilo que achava que queria e descobriu que, mais uma vez, havia fracassado. Ele está em uma situação ainda mais miserável e agora se virou contra a outra mulher. Agora ele me quer de volta depois que viu minha alegria transparente em meio a tudo que ele me fez passar, e as bênçãos que agora estou experimentando em minha vida.

Eu sei que não é de mim que ele precisa, e nem de outra mulher. Assim como ele, todos os homens necessitam de Jesus exatamente como todas as mulheres, mas ao invés de buscá-LO eles se voltam para mulheres, esportes, dinheiro, fama, etc, e tudo isso faz com que eles, no fim, se sintam vazios, tão vazios quanto as mulheres que olham para os seus maridos (ou para os homens em geral) e para todas as coisas deste mundo para fazê-las felizes!

O Senhor está me mostrando que, casada ou não, TODAS as mulheres precisam desejar e ansiar por Ele. Esta é a mensagem que eu continuo compartilhando com as minhas filhas e com as jovens para quem eu ministro em minha igreja. Eu espero conseguir plantar nelas esta semente e este desejo de ganhar essa intimidade muito especial, e que irá durar uma vida inteira com o Senhor, agora, para que elas então não voltem os seus olhos e os seus corações em direção aos seus maridos (esperando que eles preencham suas necessidades e desejos), mas que aprendam a dividir cada “segredo dos seus corações” com o Senhor, não somente agora, mas para sempre.

Enquanto elas forem fiéis ao Senhor e continuarem correndo atrás Dele somente, elas irão brilhar com a beleza de uma noiva recente durante toda a sua vida de casadas! E contanto que elas persigam o Senhor, e não seus maridos, eles é que irão persegui-las (sem nunca conseguir ultrapassá-las) porque seus corações estarão firmes em Jesus! E se elas voltarem os seus corações para os seus maridos, estes seguramente voltarão seus próprios corações para perseguir outras coisas (o mundo, uma outra mulher, amizades lá fora ou o trabalho).

Esta é a minha mensagem para todas as mulheres jovens e maduras, é a mensagem que passarei o resto da minha vida compartilhando com todo mundo que der ouvidos! Meu Deus suprirá todas as nossas necessidades! E uma das nossas maiores necessidades como mulher é ter intimidade com alguém que irá nos amar generosamente e esta pessoa é Jesus, nosso Marido Celestial.

O que aconteceria com todos os homens do mundo se as mulheres começassem a ter este tipo de relacionamento com Aquele que nos criou? Eu acredito que certamente isso chamaria a atenção deles! Eu creio que se as mulheres PARASSEM de perseguir os homens, eles ficariam inquietos. Acredito que o mundo, e as outras coisas às quais eles perseguem, não teriam mais a mesma emoção que tinha antes.

Também creio que, assim que o nosso precioso Amado sabe que Ele tem os nossos corações, Ele alegremente começa a inclinar o coração de nossos homens de volta para nós, e eles começam uma perseguição feroz! Eu vi isso acontecer na minha própria vida, e na vida das senhoras na nossa igreja que estão começando a compreender este conceito poderoso e a aplicá-lo em suas próprias vidas!!

E quando aplicarmos este princípio nós ficaremos radiantes, com um brilho celestial, porque todo o medo e dor serão removidos dos nossos rostos e irradiaremos o amor do Senhor!! Isto irá atrair a todas as mulheres para o amor do Senhor como nós mesmas somos atraídas, e inclinarão os homens, que irão desejar suas mulheres de volta, em direção a Deus e a um relacionamento com o Seu Filho!

Contudo, mesmo que eles nos queiram, eles não deveriam nunca conseguir nos alcançar (pelo menos a mim eles não conseguirão!). Todas as canções de amor que agora eu ouço, eu canto para o Senhor (e canto alto quando estou sozinha no carro!). Amo dizer a Ele coisas doces todas as vezes que penso Nele, durante o dia todo, especialmente quando estou me preparando para ir para a cama, e quando acordo de manhã.

Mal posso esperar para pegar o meu café de manhã e ir para um lugar sossegado, para ficar sozinha com Ele, e dividir meu café enquanto ouço o meu Amado falando comigo a cada manhã. Em seguida eu me sento para escrever e-mails para as minhas amigas mais próximas, para dizer a elas como meu Amado é maravilhoso (exatamente como estou fazendo agora com você)! Minha vida é de se invejar, muito embora em nosso mundo eu tenha perdido praticamente tudo. Minha esperança ao escrever este livro é criar um anseio e um desejo irresistível em seus corações de terem exatamente a mesma coisa!

Eu amaria saber que você está tendo uma conversa parecida com Ele ao longo do dia, todos os dias, porque você finalmente compreendeu que Ele está bem aí ao seu lado. Ao invés de pensar nas coisas que você precisa fazer, peça a Ele que tome conta de tudo porque Ele É o seu Marido! E adivinha? Ele tomará! Ainda estou aprendendo tudo que este relacionamento tem a oferecer—porque, afinal de contas, eu sou uma noiva recente.

Enquanto ministrava para uma jovem solteira (que nunca se casou) outro dia, eu expliquei que com este tipo de “romance” com o Senhor acontecendo dentro de um casamento (e que precisava ser desenvolvido antes do casamento), nenhuma mulher jamais teria que sofrer!

Imagine isso, se você quiser, como um imenso banquete colocado à sua frente. Você vai ficar com fome se o sanduíche de pasta de amendoim que você normalmente come não estiver lá? Se a sua conta no banco chegasse aos milhões, você ainda iria se importar com um cheque de dez dólares que alguém não te deu? É assim quando você tem tudo de Jesus! Você nunca precisará ou irá desejar nada de ninguém mais. Ao contrário, você pode compartilhar a sua comida (que nunca acaba como aqueles pães e peixes) com todos que estiverem famintos. Você pode dividir as suas riquezas com todos os pobres. Você pode dar o seu amor aos seus filhos ou ao seu marido sem precisar do amor deles em troca. Esta é a maneira que Deus planeja que vivamos, e a razão pela qual Ele enviou o Seu Filho para ser nosso Marido: para viver, morrer e possuir as chaves da morte, da agonia, das lágrimas, da dor e da vergonha.

Conclusão

Não há dúvidas de que nosso mundo hoje está empobrecido e cabe a nós alimentá-lo com a verdade. Entretanto, nós não podemos demonstrar a ninguém aquilo que nós mesmas não temos, se estivermos vivendo em pobreza e passando necessidade! Precisamos primeiro nos banquetearmos na intimidade que nos pertence, se apenas dermos tempo para que ela se desenvolva. E nada disso vem de pensar sobre esse assunto—vem de priorizarmos nossas vidas ao priorizarmos primeiro os nossos corações!

Deus está prestes a sacudir as mulheres do mundo e eu quero ser a primeira da fila a segui-LO. Enquanto pensava sobre o céu (eu estava cantando uma canção sobre viver na casa do Pai onde há muitas moradas), eu disse ao Senhor que queria o quarto mais próximo ao Dele. Eu disse a Ele que não se surpreendesse se eu dormisse bem à Sua porta, porque eu não conseguiria suportar ficar tão distante. E que eu preferiria dormir aos pés da Sua cama, se Ele me permitisse, como um cachorrinho que adorava o seu mestre, mais do que na cama mais confortável que houvesse por lá.

A verdade é que eu não estou realmente interessada em atirar a minha coroa aos Seus pés (embora Ele a mereça) ou a ouvir “muito bem, minha serva boa e fiel”. Estou interessada apenas naquele longo abraço que eu espero que dure por toda a eternidade.

Diário