“Na sétima vez o servo disse:

‘Uma nuvem tão pequena quanto a mão de um homem

está se levantando do mar.’”

—1 Reis 18:44.

 

Este verso de abertura se refere à fé de Elias, o profeta, e sempre foi um dos meus favoritos devido a este princípio que eu amo abraçar. De fato, ele é uma das razões pelas quais Erin começou a postar relatórios de louvor no site do RMI, como ela contou, e foi assim que começou o compartilhamento dos relatórios. No começo ela anunciou que gostaria que eles ensinassem aos membros do ministério a olhar para as suas “pequenas nuvens” que anunciavam, pela fé, que o seu milagre estava a caminho. Quando eu ouvi isto comecei a enviá-los regularmente, anunciando todas as vezes que o Senhor fazia alguma coisa na minha vida a fim de que outras mulheres pudessem se animar, não importando quão pequena fosse a nuvem.

Caso também tenha lido o livro Restaurar Seu Casamento, você viu os muitos versos que ele traz sobre fé. Só para refrescar nossa memória, deixe-me listar apenas alguns dos meus favoritos:

“Eu lhes asseguro que, se vocês tiverem e não duvidarem, poderão fazer não somente o que foi feito... mas também dizer a este monte: ‘Levante-se e atire-se no mar’, e assim será feito.” (Mateus 21:21). Não importa o quão impossível.

“Consequentemente, a vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo.” (Romanos 10: 17). Aqui se trata de edificar a fé uma da outra ao ouvirmos sobre as coisas impossíveis que Ele está fazendo em nossas vidas, não importando o tamanho delas.

E por último os dois versos que provavelmente são os meus dois absolutamente favoritos: “Ora, a é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” (Hebreus 11:1). “Sem é impossível agradar a Deus...” (Hebreus 11:6).

Contudo, o princípio deste capítulo é semelhante ao próximo verso, provavelmente o mais importante concernente à nossa fé: “Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa , muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória.” (1 Pedro 1:6–7).

A prova da fé de Elias foi mais preciosa do que ouro para Deus, já que resultou em louvor, glória e honra para Ele. Deus não precisa do nosso dinheiro porque todo o ouro e a prata (tudo que está embaixo e sobre a terra) Lhe pertencem de qualquer maneira. Deus somente pede para que dizimemos, e em seguida para que também abençoemos outros com ofertas, a fim de abrir as janelas do céu sobre nós. Mesmo quando damos, Ele está perscrutando as nossas almas para ver a nossa fé. Nós confiaremos Nele ou não?

É engraçado que as finanças acabam sendo o primeiro exemplo que vem à mente quando falamos sobre fé, e é sobre isso realmente que eu gostaria de compartilhar com você. Nesta semana, eu recebi uma pequena nuvem pelo correio, um dinheiro não maior do que a mão de um homem. Mas, assim como Elias estava total e completamente confiante que apenas a visão daquela pequenina nuvem significava chuva prestes a ser derramada sobre a sua vida, eu também estou confiando plenamente que o meu aguaceiro (uma chuva torrencial) está para me atingir nas finanças. A palavra confiante, na verdade, é definida como “certo de se possuir uma habilidade, discernimento e recursos necessários para ser bem sucedido.” Sim, Senhor.

Então, uau—isto resume perfeitamente aquilo que quero dizer; eu tenho confiança em Deus de que Ele tem a habilidade, o discernimento, e claro, os recursos necessários para me ajudar a ser bem sucedida. Minha confiança não está em mim mesma—de maneira alguma! Na realidade, eu sei que não possuo a habilidade, o discernimento e nem os recursos necessários para alcançar o sucesso em minha nova posição como uma mãe solteira de tantas crianças, e também não possuo a habilidade, o discernimento, ou os recursos para prover para mim mesma—e é por isso que procuro pela nuvem indicadora de que o temporal está chegando.

“Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de uma abundante chuva. E Acabe subiu a comer e a beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos. E disse ao seu servo: Sobe agora, e olha para o lado do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então disse ele: Volta lá sete vezes. E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça. E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva.” (1 Reis 18:41-45).

A história de Elias começou com Deus trazendo uma seca sobre Samaria, local onde ele vivia. E esta seca foi causada pelo Senhor a fim de colocar Elias em posição de dar glória a Ele (e de destruir o mal na terra). Esta é absolutamente uma das minhas histórias favoritas na Bíblia por muitas razões. Primeiro porque ela me lembra de que cada situação que enfrentamos foi preparada de antemão por Deus, para nos colocar em posição de mostrar o Seu poder e nos elevar. E o que me faz querer gritar e dançar é o testemunho de fé de um homem que viu apenas uma pequena nuvem, quando ele na verdade precisava e esperava por uma chuva torrencial, e o fato de que a mera visão de uma nuvenzinha fez com que ele entrasse em ação. Que maravilha!!

Observe que, antes mesmo que se pudesse ouvir, Elias disse que HAVIA o som de uma forte chuva. Isto me lembra deste próximo verso que memorizei no começo da minha jornada, e já mencionei que é um dos meus favoritos, “Consequentemente, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo.” O que ele ouviu foi a palavra de Deus dizendo que devemos confiar Nele a este ponto. Embora Elias tenha enviado o seu servo para comer e beber, ele mesmo permaneceu em comunicação com Deus. A Bíblia A Mensagem diz que ele, “prostou-se em oração” que é o que eu imagino que ele tenha feito, ou talvez tenha se prostrado simplesmente para ouvir.

Claro, a melhor parte de tudo é como Elias continuou, por sete vezes completas, a dizer ao seu servo que olhasse—SABENDO que as nuvens viriam! E, mais uma vez, seu servo não veio correndo de volta, gritando que tinha visto uma tempestade no horizonte ou soprando em seu caminho. Tudo que ele disse que viu foi uma pequena nuvem, não maior do que o tamanho da mão de um homem! Isto não se refere ao momento em que você recebe aquele cheque gordo pelo qual tem esperado, mas sim alguma quantia tão pequena e insignificante que não pagaria nem ao menos uma das suas contas vencidas. Ou, no caso de uma cura, não é quando você levanta e sai andando, mas sim quando consegue sentir apenas uma pequena sensação em um dos seus pés.

Prova adicional de fé foi que Elias não esperou para enviar seu servo até que se reunissem mais nuvens de chuva, mas, havendo apenas aquela nuvenzinha, ele insistiu para que seu servo fosse naquele momento, advertindo-o para que não esperasse, ou do contrário ele ficaria preso no meio do temporal e ficaria impedido de avisar a todos que a chuva estava chegando!!

Isto não é excitante? E, se você quiser ficar animada de verdade, apenas leia o capítulo 18 inteiro em 1 Reis. Não, melhor ainda, comece em 1 Reis 17, porque ele nos mostra uma outra coisa a respeito de Deus—Ele constrói a nossa fé a um ponto em que nós também veremos apenas pequeninas nuvens para que também ajamos com crença total.

Sabendo como a fé de Elias me abençoou, eu só consigo imaginar como ela abençoou a Deus, já que em toda a história da humanidade somente poucas pessoas confiaram Nele a este nível—e eu quero ser uma delas. E você? A que nível anda a sua fé ultimamente? Nós cristãos somos engraçados. Nós clamamos que desejamos um testemunho poderoso, mas não queremos passar pelas horríveis situações de dificuldade e crises que produzem esse tipo de testemunhos—aqueles que mudam vidas quando as pessoas presenciam a nossa fé e paz no meio deles, nunca confiando em nós mesmas ou nas outras pessoas para nos ajudar, mas simplesmente esperando, ouvindo e confiando que Ele fará o que prometeu.

Mas, no entanto, como acontece com todas as coisas, é preciso que o Senhor e o Seu amor nos transformem até um grau em que possamos exercer este tipo de fé—e frequentemente, isto significa que será Ele Quem irá nos levar— nos carregar através destas crises que sacodem o nosso mundo. Eu sei. Honestamente, é durante as crises “me carregue” que as nossas mudanças mais verdadeiras acontecem da maneira mais dramática. Eu creio que, quando Ele nos carrega, nós descansamos muito perto do Seu coração. Isto por si só já deveria nos ajudar a nunca temer que possa haver terríveis catástrofes mais à frente e que precisaremos passar por elas. E, se estivermos em Seus braços amorosos, se enterrarmos o nosso rosto profundamente em Seu peito, sabemos que Ele pode nos fazer passar por, ou acima de, qualquer coisa, certo? Só o fato de mencionar isto para você me trouxe uma grande paz e alegria em meio à minha situação atual. Eu espero que o mesmo tenha acontecido com você também!

Então, antes de passarmos para o próximo capítulo, vamos terminar este lendo mais alguns dos meus versos favoritos que usei recentemente, quando parecia que não havia mais nenhuma esperança.

JFA: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado; TODAVIA eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é minha força, Ele fará os meus pés como os da corça, e me fará andar sobre os meus lugares altos.” (Habacuque 3:17-19).

NVI: “Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação. O Senhor Soberano é a minha força; Ele faz os meus pés como os do cervo; Ele me habilita a andar em lugares altos.” 

Se você tem dificuldades em louvar a Deus com total e absoluta fé EM MEIO às crises, então eu sugiro que você compre ou procure em sua biblioteca local o livro O Louvor que Liberta de Merlin R. Carothers. E se você estiver preocupada, temendo que o Senhor permita que o fogo na sua vida se torne mais quente do que você consiga suportar, certifique-se de ler o devocional do dia 29 de outubro de Mananciais no Deserto que inicia com o verso, “Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata.” (Ml 3:3) e o poema termina assim, 

O refinador experiente nunca sai de perto do cadinho,

mas senta-se ao lado dele,

para que porventura um grau excessivo de calor

não venha a danificar o metal.

Mas logo que retira da superfície a última escória

e vê ali refletido o seu próprio rosto,

ele apaga o fogo.

Diário