Eu creio que a História de Salvação desta semana ajudará a cada uma de vocês a confiar ainda mais em Deus, e também na “ordem em que as salvações acontecem” em suas famílias. Todas nós temos aqueles familiares que sabemos que precisam conhecer o Senhor, e por isso, muitas vezes, nos concentramos neles quando o Senhor, frequentemente, vem e escolhe outros para abrir o caminho.

Foi assim com essa História de Salvação que é muito querida e muito especial para o meu coração. É sobre a minha sobrinha, filha de um dos meus irmãos mais velhos,  a quem eu soube, de antemão, que o Senhor usaria para trazer os pais dela para o Senhor. Muitas vezes o Senhor nos inspira a perguntar sobre “coisas que virão”, coisas que estão “ocultas” e foi esse o caso em relação ao meu irmão, que eu sabia que precisava desesperadamente do Senhor em sua vida.

Ao contrário da minha experiência na igreja católica, onde o Senhor usou uma freira para me ensinar a abrir o meu coração para Ele, meu irmão teve uma experiência completamente diferente. Quando éramos crianças, ele e eu gostávamos de brincar de nos fantasiar: ele de padre e eu de freira. Claro, isso foi antes de eu descobrir que uma freira não poderia ter filhos, e filhos estavam no topo da minha lista para quando eu crescesse. No entanto, eu dizia ao meu irmão que eu queria ser freira para poder “me casar com Deus”; uma coisa meio profética, não era? 😉

Enfim, meu irmão foi transferido para uma escola só para meninos e os padres lá pertenciam a uma ordem conhecida por ser muito rígida, não somente em relação aos outros, mas em relação a si próprios também, porque acreditavam que assim gerariam melhores seguidores de Cristo. E, não que meu irmão fosse pessoalmente maltratado, mas foram as coisas que ele presenciou ali. Ele via os seus colegas de classe sofrendo abusos o que, por fim, o levou a voltar as costas para Deus, e, aí foi quando ele começou a se interessar em buscar respostas nas religiões orientais.

No dia seguinte à sua formatura do Ensino Médio meu irmão foi de carona da Califórnia para Nova York, e de lá pegou um cargueiro para começar a viajar ao redor do mundo. Nos primeiros anos ele viajou para a Europa, Ásia e Oriente Médio, e aí conheceu sua futura esposa no Japão, que, como aproximadamente 75% das pessoas em seu país, tinha sido criada como budista.

Meu irmão e a esposa se casaram em um templo budista, e isso foi há muito, muitos anos antes de terem as suas duas filhas. Embora meu irmão, muitas vezes, tenha me dito como o Cristianismo “deveria ser real, porque eu estava tão diferente”, ele nunca esteve pronto para abraçar ao Senhor. Então, em uma ocasião, eu creio que foi o Senhor quem me inspirou a perguntar a Ele como isso aconteceria (notou que eu não disse “se” aconteceria?).

Isaías 45:11—

"Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele que o formou: ‘Perguntai-me as coisas futuras …’”

Foi então que, Ele me lembrou não somente do que Ele tinha me revelado, mas, na verdade, do que tinha feito na família do meu irmão mais velho, mas a história de salvação completa (que eu sei que vocês vão amar!!) está agendada para uma outra data.

Entretanto, como uma prévia, antes mesmo que acontecesse, Ele me mostrou que o meu irmão mais velho de todos viria a conhecê-LO através da sua única filha. Ela era claramente a garotinha do papai, então fazia todo o sentido chamá-la para  conhecê-LO primeiro, e assim abrir o caminho para os pais. Quando eu perguntei sobre o meu irmão no Japão, eu soube que seria dessa forma para esse outro irmão também.

Naquele tempo estávamos morando no nosso sítio, e recebemos um email urgente do meu irmão, seguido de uma ligação de longa distância. Embora ele não tenha falado de cara qual era o assunto, ele estava muito preocupado com a depressão da filha mais nova. Depois eu soube que o Japão é assombrado pelo suicídio de adolescentes, com o dobro do número que acontece nos Estados Unidos e o triplo do Reino Unido. Como nada estava funcionando e até a escola já estava advertindo ao meu irmão e à sua esposa para ficarem atentos, ele fez o que eu jamais pensei que ele faria. Ele enviou a filha para nos visitar, sabendo muito bem que eu nunca mantive segredo sobre o meu amor e devoção ao Senhor.

Como eu disse, eu nunca testemunhei para ninguém como a maioria dos cristãos são ensinados a fazer: eles são treinados e exortados a “testemunhar” de uma certa maneira, como a maioria das igrejas evangélicas fazem. Ao contrário, para mim o Senhor simplesmente é uma parte da minha vida tão inerente, que ninguém que ficar um tempo perto de mim, deixaria de notá-LO também.

Assim, Monica veio nos visitar e logo na manhã seguinte, ela acordou e encontrou a família inteira sentada na sala, ouvindo Alexander Scourby (Bíblia em áudio) e seguindo a leitura em nossas Bíblias. Depois que terminamos, ela perguntou o que estávamos fazendo e quando as crianças tentaram explicar ela falou: “O que é isso, Bíblia?” Embora eu pudesse ter explicado, saí da sala para que meus filhos pudessem compartilhar aquilo que eles fossem inspirados a dizer. Qual foi a minha surpresa quando, mais tarde, eu ouvi que uma das crianças tinha mostrado à Monica uma foto dela ainda bebê, com a família, que estava colada nos nossos Cartões de Oração 3x5.  A foto mostrava ela sentada no meu colo com a família atrás, e meus filhos explicaram que desde aquele dia nossa família orava para que um dia ela conhecesse o Senhor.

Monica iria passar só algumas semanas conosco, então eu poderia ter ficado ansiosa, sabendo que a sua visita era curta e o tempo para compartilhar a verdade com ela era limitado. Mas eu sabia muito bem que aquilo NÃO era problema meu e nem era o meu objetivo, e nem dependia de mim ou dos meus filhos “salvá-la.”

Êxodo 14:13—

“Não temais; estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará..."

2 Crônicas 20:17—

“Nesta batalha não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados, e vede a salvação do Senhor para convosco... Não temais, nem vos assusteis … porque o Senhor será convosco.”

Efésios  6:12—

"Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais."

Então, eu apenas fiz como diz no versículo, simplesmente fiquei parada para ver a salvação do Senhor em favor da nossa família, sabendo que havia anos, até mesmo gerações de principados que lutavam para que ela não O conhecesse, razão pela qual eu sabia que não era para NÓS fazermos nada, Ele sozinho realizaria a salvação! 🙂

A primeira coisa que aconteceu foi ver os meus filhos correrem para mim com Monica a tiracolo, explicando que ela tinha “pedido” para orar pela sua salvação, e então eles a tinham guiado na “oração do pecador”. No entanto, meu filho adolescente dizia que se sentiria melhor se ela fosse até o altar, muito provavelmente porque ele mesmo fazia parte do V.I.P. Programa da Juventude (e logo passou a liderá-lo), e que, por acaso, aconteceria naquela noite mesmo!

Basicamente em uma certa altura do culto, o pastor dos jovens pediu que todos que fossem novos ali erguessem a mão, para que pudessem seguir os voluntários até a sala V.I.P. para fazerem um lanche e se divertirem. Assim que eles cruzavam a porta, um voluntário para meninos e outra para meninas, bem animados e amáveis, lanchava e conversava com os recém-chegados. Depois eles voltavam, muitas vezes se sentavam com eles, até a chamada do altar quando também se levantavam e iam lá na frente, e, mais tarde, explicavam a eles sobre a sua salvação.

Claro que para Monica tinha que ser o primo dela, aquele foi um dos cultos absolutamente favoritos de Easton, e depois eu soube que ele fez muita questão de deixar claro que seria ele quem conduziria a prima. 😉 Sim, parte disso era ele sendo um adolescente normal, mas eu também creio que veio do fato de ter orado ANOS por aquela prima! Eu acredito de verdade que Deus não “necessita” das nossas orações, mas foi nos dito que elas sobem como  incenso quando as fazemos. Mas, mais do que isso, como eu disse antes, quando nós oramos pelos outros ou os outros oram por nós, e inevitavelmente Ele FAZ o que pedimos, nós todos SENTIMOS como se tivesse acontecido conosco, e é por isso que eu acredito que Ele aja dessa maneira. 🙂

Assim, então, naquela noite Monica foi para a sala V.I.P., se sentou com Easton e ficou emocionada de ir ao altar e marcou para ser batizada no próximo domingo. O próprio batismo dela poderia ser um testemunho, mas vamos simplesmente dizer que, mesmo com seu inglês fraco, quando a igreja soube que a mãe a havia criado como budista, e ouviu que  “minha família ora por mim desde que eu era bebê”, a igreja irrompeu em excitação,  todo mundo se levantou e deu glórias!

No entanto, tudo isso é necessário?

Ou, na verdade, isso afetou negativamente os resultados porque teve publicidade demais da minha parte? 

Se uma pessoa se senta tranquilamente, e até mesmo quando eu peço a alguém para ir para casa e falar com o Senhor quando estiver sozinha, OU se eles, ao contrário, tiverem o acompanhamento de uma fanfarra como aconteceu com Monica, a prova verdadeira  é SE a pessoa parece NOVA, claramente Nascida de Novo. 

João 3:7—

“Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo.”

Salmos 34:4-5—

“Busquei o SENHOR e ele me respondeu, e dos meus temores todos me livrou. Contemplai-o e sereis iluminados de felicidade; vossos rostos jamais experimentarão a decepção.”

No entanto, a verdadeira prova veio quando Monica voltou para casa e os seus pais disseram que simplesmente não a reconheceram!! Eles diziam que o seu rosto estava realmente iluminado, e chegaram mesmo a falar que aquilo era devido ao AMOR que eu tinha dado a ela! Essa é a pura verdade, eles repetiam isso todas as vezes que nos falávamos e Monica surgia na conversa. E embora eu amaria poder ter dito “Oh, não, não é o MEU amor, mas o amor do Senhor”, eu sabia que isso poderia facilmente intervir com o que Deus já tinha começado a fazer, e era Ele quem precisava terminar aquela  história.

Monica, como muitos jovens, estava assustada com várias coisas, principalmente com o seu futuro e como ela não se sentia capaz de corresponder às expectativas dos pais, além de competir com a irmã mais velha, Lila. No entanto, quando ela encontrou e abraçou o Senhor, Ele a salvou de todos aqueles medos e o rosto dela se iluminou com o amor Dele!

Isso aconteceu há muitos anos atrás, e poucos anos depois, Monica veio morar conosco para frequentar a escola nos Estados Unidos por um ano, o que ajudou a solidificar o seu relacionamento com o Senhor. Não foi nenhuma surpresa que suas notas melhoraram imediatamente e ela disse que nunca mais teve dificuldades na escola outra vez; ao contrário, ela simplesmente pedia ao Senhor que a ajudasse. Além disso, ela nunca compartilhou a sua experiência com os pais ou com a irmã, como eu a encorajei a fazer, a permanecer discreta. Eu sabia muito bem como Monica seria forçada a  defender a sua fé e ela não estava preparada de forma alguma para fazer aquilo, eu diria que a maioria das pessoas poderia muito bem nunca defender a sua fé, não precisamos fazer isso. Ao contrário, ao simplesmente viver o Seu amor, Monica começou a transbordar a Sua misericórdia e graça, o que levou a sua irmã Lila a também vir a conhecê-LO, e esta será a nossa História de Salvação da semana que vem!! 

Atualização: Monica acabou de se casar com um jovem pesquisador. Foi uma história de amor tão maravilhosa, quando ele a viu pela primeira vez ele quis se casar com ela, mas ele a perdeu de vista, finalmente quando a encontrou novamente, no primeiro dia em que se viram que ele pediu a ela que se casasse com ele. Eles se casaram poucas semanas depois.

 

Diário