WW-Portuguese-Cover

Capítulo 8 "Mulheres, sejam Submissas"

“Mulheres, sujeitem-se a seus maridos,
como convém a quem está no Senhor”.
— Colossenses 3:18 

 

Uma mulher me telefonou um dia e me perguntou, “Deus espera que uma mulher vá até que ponto a respeito de sujeitar-se ao seu marido?”. Talvez você esteja se fazendo a mesma pergunta ou talvez você realmente não queira saber, porque você acha que isso é cafona, desatualizado ou que não se aplica hoje em dia.

Na luta pelo meu casamento, eu enfrentei sérias decisões sobre submissão. Deixe-me andar com você pela mesma jornada que o Senhor me guiou enquanto eu procurava nas Escrituras por Suas respostas. Primeiro, vamos olhar dois exemplos de submissão que Deus pede para que as mulheres sigam:

Jesus

Sigam os Seus passos. “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os Seus passos. Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça.” (1 Pedro 2:21-23).

Sujeitem-se da mesma forma. Logo após 1 Pedro 2 nos dizer para “seguir os Seus passos”, o capítulo 3 começa imediatamente com, “Da mesma forma”. Ele nos diz que “Da mesma forma” nós mulheres devemos nos sujeitar aos nossos maridos como Ele se sujeitou a Deus, Seu Pai Celestial. Jesus foi submisso à autoridade de Deus o Pai e nós devemos ser submissas à autoridade dos nossos maridos.

Cristo é a cabeça de TODO homem. Agora que temos certeza de que Deus está falando a todas as esposas, o que ele ordena? “Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra; considerando a vossa vida casta, em temor” (1 Pedro 3:1-2).

Esse mesmo verso na versão NVI diz “pela conversa de suas mulheres, sejam ganhos sem palavras”. Eu pensei, “Isso é ótimo; eu posso dizer para o meu marido todos os seus erros!” Bem, advinhe só? Eu olhei no meu livro de concordâncias e descobri que a palavra “conversa” significa “atitude”, e não falar! O que me surpreendeu ainda mais foi o verso em 1 Pedro. Esse verso diz que Sara obedeceu seu marido Abraão, e que eu deveria ser igual a ela.

Sara

Chamando-lhe senhor. Conforme continuamos a ler, esse capítulo diz: “Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto.” (1 Pedro 3:6).

Nós podemos nos tornar como Sara: 1) Obedecendo nossos maridos como ela fez, e 2) fazer isso “não temendo nenhum espanto”. Do que você teria medo? Bem, o que o marido de Sara, Abraão, pediu que ela fizesse que a deixou com medo?

Em Gênesis 12:11-13 e também em Gênesis 20:2, náo vemos como Abrão (que depois passou a se chamar Abraão) pediu para Sarai (que depois passou a se chamar Sara) mentir! Pecar! Abraão pediu para que ela disesse que eles eram irmãos, permitindo assim que ela se tornasse mulher de outro homem! Ela obedeceu seu marido. Isso é submissão!! Não são muitas mulheres que são chamadas para se submeterem dessa forma!

Se essa fosse a única parte das Escrituras que fala sobre a submissão de uma esposa para com seu marido, talvez nós pederíamos desprezá-la. Entretanto, essa não é a única parte das Escrituras que fala sobre a submissão de uma esposa para com o seu marido. Nós descubriremos que as Escrituras tem muito mais a dizer sobre esse assunto.

Sujeitas em tudo. Esse verso explica que o seu relacionamento com o seu marido deve ser da mesma forma do relacionamento de Cristo e a igreja. “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Pois o marido é a cabeça da mulher, assim como Cristo é a cabeça da igreja, Ele mesmo sendo o Salvador do corpo. Assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.” (Efésios 5:22). Não é triste como tantas igrejas não se submetem a Cristo e a Seus ensinos, e da mesma forma, tantas mulheres não se submetem a seus maridos? Há alguma correlação?

Como nós podemos confiar em Deus se a autoridade que está acima de nós nos feriu? As Escrituras dizem, “Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá.” (Romanos 13:3). Como as Escrituras podem dizer isso, quando nós sabemos que muitas vezes a autoridade sobre nós não está cuidando de nós ou se importando conosco? Como Sara lidou com a submissão a seu marido? Sara confiou totalmente em Deus. Ela não estava confiando em seu marido. Abraão foi responsável duas vezes por comprometer Sara com Faraó! Ela simples e completamente confiou em Deus. “...Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR.” (Jeremias 17:7). “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!” (Jeremias 17:5).

Muitas mulheres pensam, “Eu me casei com o homem errado”. Sara certamente deve ter pensado isso nessa ocasião; eu pensei também. Nós podemos passar dias pensando “e se...”. Ao invés disso, vamos descansar nesse verso: “Toda a alma esteja sujeita às (autoridades) superiores; porque não há (autoridade) que não venha de Deus; e as (autoridades) que há foram ordenadas por Deus.” (Romanos 13:1). Nosso Pai sabia com quem iríamos nos casar antes da fundação da terra. Ele usará isso para o nosso bem, se nós pararmos de pensar nos “e se...” e nos concentrarmos nos propósitos de Deus para o nosso sofrimento. “Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que Ele padeceu” (Hebreus 5:8). (Veja a lição 10, “Várias Provações”, pois “Meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento…” Os. 4:6).

Quando eu vejo o exemplo de Cristo e Sua submissão, eu vejo que a situação Dele foi muito parecida com a minha. Jesus estava lidando com homens irracionais que O insultavam, causaram-Lhe sofrimento, e O ameaçaram. “Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não somente aos bons e humanos, mas também aos maus... E quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se Àquele que julga justamente.” (1 Pedro 2:18, 23). “Levantando-se contra ti o espírito do governador, não deixes o teu lugar, porque a submissão é um remédio que aplaca ou impede grandes ofensas.” (Eclesiastes 10:4). Deus é claro nisso, não importa qual o tratamento que nós estejamos recebendo, nós devemos ser respeitosas e submissas.

A Palavra do Senhor não deve ser blasfemada. Por que é tão importante nos sujeitarmos aos nossos maridos? Porque quando não fazemos isso, nossas ações blasfemam Deus! “As mulheres idosas... ensinem as mulheres novas...a amarem seus maridos... serem obedientes a seus próprios maridos...sendo obedientes a seus maridos, a fim de que a Palavra de Deus não seja blasfemada.” (Tito 2:5).

Como convém no Senhor. “Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor.” (Colossenses 3:18). A forma que você age para com o seu marido, é como convém ao Senhor? Em outras palavras, você agiria para com o Senhor da mesma forma se Ele estivesse no lugar do seu marido? Esse pensamento é muito sério, não é?

A mulher foi enganada. A razão mais importante porque devemos está sob a autoridade de nosso maridos é a nossa proteção. “A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação”.(1 Timóteo 2:11-15).

Por causa dos tempos em que vivemos hoje em dia, muitas de nós tem dificuldades em aceitar o conceito de submissão. Mas, querida irmã em Cristo, não há nada que Deus nos ensinaria se não fosse para o nosso bem. Sujeitando-se nós seremos protegidas da decepção, que causará a nossa destruição.

Agora que nós revisamos as Escrituras, vamos responder algumas outras perguntas que você pode ter, usando a Sabedoria de Deus...

Testemunho

É com a permissão do meu marido, Dan, que eu compartilho esse testemunho de submissão com você. Nossa esperança é que isso cesse o seu medo de se submeter ao seu marido. Nossa esperança é que o nosso testemunho mostre a você que há proteção quando você toma uma atitude extrema de submissão ao seu marido, mesmo quando ele está desobedecendo a Palavra. Senhoras, submissão é aplicável hoje.

Meu marido nessa época estava desviado e em adultério. Ele odiava e zombava da minha submissão ao Senhor e a ele. Uma noite, quando estávamos em uma viagem com alguns dos seus colegas de trabalho, ele me disse que nós iríamos a um clube noturno onde havia danças com nudez. Então ele se aproximou de mim e disse, “Bem, você irá se submeter?” Ele fazia questão que eu fosse, então eu concordei. Ele saiu para comprar os ingressos, eu fui ao banheiro e orei “em alta voz” como eu nunca tinha orado antes. Imediatamente Deus agiu! Nós fomos falar com um de seus amigos que nos perguntou onde nós estávamos indo. Quando meu marido disse, esse homem ficou louco, dizendo para Dan o quão horrivel isso era e para não me levar nesse lugar. Eu podia flutuar – minha fé em Deus estava decolando!

Sem hesitar, ele pegou outros ingressos para outro show (um pouco menos vulgar). Mas minha fé estava tão grande que eu sabia que Deus iria me livrar! Conforme íamos chegando mais e mais perto do nosso destino, eu continuei imaginando como Deus iria impedir meu marido. Entretanto, eu fiquei chocada quando eu entrei, me sentei, e ele pediu bebidas. Só para que você saiba a magnitude dessa submissão, a adúltera do meu marido estava sentada na mesa conosco quando nós chegamos lá! Meus olhos se encheram de lágrimas quando o show começou, não porque meu marido tinha me levado até aquele lugar, mas porque eu senti que Deus tinha me abandonado.

Mas, senhoras, Deus é tão fiel e nós podemos confiar Nele. Quando as luzes se apagaram, logo após a primeira apresentação (que por sinal eu NÃO conseguia nem ver por causa das lágrimas), meu marido se virou e me disse, “Rápido! Vamos sair daqui!” Novamente me submetendo, eu corri! Rapidamente meu marido se encontrou comigo do lado de fora com lágrimas em seus olhos. Ele disse, “Eu não consigo acreditar que eu fiz isso com você. Me desculpe. Eu nunca irei te pedir para que você se submeta dessa forma novamente. Eu estou envergonhado de mim mesmo.”

E ele nunca mais pediu. Na verdade, mesmo antes da nossa restauração, ele assumiu o papel de meu protetor contra a imoralidade do mundo. Deus tem uma bênção para nós todas as vezes que nós confiamos e provamos nossa fé Nele somente! Normalmente Deus nos livra, mas algumas vezes nós temos que passar pelo “fogo da provação” para que possamos receber a nossa recompensa! Deus é fiel; nós podemos confiar Nele mesmo quando nossos maridos colocam a nossa submissão em teste!

Perguntas Respondidas pelas Escrituras

O que é submissão ou sujeitar-se? É obedecer sem dizer nenhuma palavra, especialmente quando seu marido está sendo desobediente a Palavra de Deus (1 Pedro 3:1). E não insultá-lo e ameaçá-lo. 1 Pedro 3:9 diz “não tomando mal por mal, ou insulto por insulto, ao contrário, bendizendo...”

A submissão é aplicável hoje em dia? “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente” (Hebreus 13:8). Em Mateus 5:18, Jesus diz: “em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.”

Mas eu não deveria usar o “amor difícil”?

 O amor, é dito em 1 Coríntios 13, é paciente e bondoso, e não difícil.

Em 1 Timótio 2:11 é dito que a mulher não deve exercer autoridade sobre o homem.

Em 1 Pedro 2:23 Jesus não revidava quando estava sofrendo, e Ele diz que é para seguirmos os Seus passos!

Em 2 Timótio 4:4 é dito que nos últimos dias nós iremos nos voltar para os mitos. Usar o “amor difícil” com os nossos maridos é um mito, já que a palavra “difícil” não aparece na descrição de amor em 1 Coríntios 13. Pode ser difícil para nós responder aos nossos maridos de forma amorosa mesmo quando eles não são amáveis!

Em 2 Timótio 4:3 também é dito que nós acumularemos mestres para nós mesmos, segundo os nossos próprios desejos. É bom para a nossa carne dar ultimatos ou confrontar os outros. Mas o Espírito e a carne estão em oposição um ao outro, “... de modo que vocês não façam o que desejam.” (Gálatas 5:16-17). (Para mais informações sobre o amor difícil, leia o capítulo 3 novamente, “Um Espírito Manso e Quieto”.)

Como eu faço o que Deus pede?

Como eu posso fazer tudo o que o Senhor me pede para fazer enquanto esposa no mundo de hoje? Pela Graça! E como obtemos a graça? Através da humildade. Em Tiago 4:6 diz, “Deus odeia o soberbo, mas dá graça aos humildes.” E em 2 Coríntios 12:9 diz, “A minha graça de basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” E sim, ao contrário das tolas opiniões do mundo, mulheres são mais fracas do que os homens. “Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco...” (1 Pedro 3:7).

Vamos agradecer a Deus pela proteção que Ele nos dá quando obedecemos a Ele e quando estamos em submissão aos nossos maridos! Ao invés de lutar para sair debaixo da autoridade protetora dos nossos maridos, vamos louvar ao Senhor por escolher que sejamos mulher.

Submissão. Para nos ajudar a “deixar ir” o medo da submissão, podemos olhar mais de perto o exemplo de Sara. Eu tenho sido acusada de ensinar “submissão para o pecado”. Entretando, essa frase soa quase como que se fossem das Escrituras, é quase fictício. Mas o significado por trás dessas palavras é certamente encontrado na vida de Sara. Eu posso te assegurar que essa tem sido uma jornada cautelosa com muita busca pela Verdade. Deus diz, “busque, e você encontrará” (Mateus 7:7) e “E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente.” (Tiago 1:5).

Muitos cirstãos e líderes religiosos não concordam com os meus ensinamentos de submissão, mas na verdade eu achei isso uma forma de me encorajar a buscar e encontrar a verdade. Quanto mais eu  me aprofundo na Palavra, e quanto mais eu sigo com uma obediência radical, mais eu sou capaz de ensinar submissão com ousadia. Senhoras, eu descobri que a falta de submissão é a verdadeira raiz da existência da mulher contenciosa. Nâo é quando ou a quem você se submete; é o “espírito de rebelião” que existirá se você não confiar em Deus completamente com os resultados da sua submissão.

As verdadeiras bênçãos vem de confiar em Deus, não da confiança na liderança dos nossos maridos, pois “O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos.” (Provérbios 16:9). Você e eu precisamos “Confiar no Senhor” e não “confiar no homem, e fazer da carne o seu braço”. (Jeremias 17:5). Nós precisamos desejar a busca pela Verdade na Palavra de Deus. Eu pessoalmente vivo o que eu escrevo e meus testemunhos comprovam a Verdade das Escrituras. Eu também vi muitos “maus frutos” vindos daqueles que se opõem a Verdade da submissão completa. “Por seus frutos os conhecereis...” (Mateus 7:16). Submissão seletiva não é submissão de jeito nenhum; é rebelião! E rebelião é feitiçaria! “Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a arrogância (insubordinação) como o mal da idolatria.” (1 Samuel 15:23).

Qualquer mulher que se protege demonstrando um espírito de desobediência nunca terá a completa proteção de Deus nem verá as verdadeiras bênçãos que Deus tem para ela! E infelizemente, um esposa rebelde possivelmente nunca verá seu marido se submetendo a autoridade Dele, Jesus Cristo.

Sara se submeteu para o Pecado?

 A obediência de Sara foi submissão para o pecado? Não, Sara não pecou. Foi Abraão, que era a autoridade sobre Sara, que pecou. Quando ele pediu que ela contasse uma meia-mentira (claro, uma meia-mentira ainda é uma mentira e, portanto, um pecado), Sara obedeceu e, como resultado de sua obediência a seu marido, Deus a protegeu.

Como eu disse, é importante para nós mulheres entender a ordem que nos foi dada enquanto mulheres. “Como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem e não temendo nenhum espanto” (1 Pedro 3:6).

Nós devemos buscar a Verdade na Palavra de Deus para que nós, enquanto mulheres, consigamos o conhecimento da Verdade, “...São estes os que se introduzem pelas casas e conquistam mulherzinhas sobrecarregadas de pecados, as quais se deixam levar por toda espécie de desejos. Elas estão sempre aprendendo, mas não conseguem nunca se chegar ao conhecimento da verdade.” (2 Timóteo 3:6-7).

Nós não devemos discutir sobre as Escrituras. Nós devemos estar “sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15). E também, nós devemos nos lembrar de “fazer isso com mansidão e respeito, conservando boa consciência, de forma que os que falam maldosamente contra o bom procedimento de vocês, porque estão em Cristo, fiquem envergonhados de suas calúnias. É melhor sofrer por fazer o bem, se for da vontade de Deus, do que por fazer o mal.” (1 Pedro 3:16-17).

Contendas de palavras. “Se alguém ensina alguma outra doutrina e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras.” (1 Timóteo 6:3-5).

Todos nós devemos ser cautelosos ao obedecer a Palavra de Deus e, pelo nosso exemplo, ensinar outros o que Ele ordena. “Todo aquele que desobedecer a um desses mandamentos, ainda que dos menores, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será chamado menor no Reino dos céus; mas todo aquele que praticar e ensinar estes mandamentos será chamado grande no Reino dos céus. Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus”. (Mateus 5:19-20). Isso inclui nossas filhas, noras, irmãs, e mãe, bem como as suas amigas cristãs ou não cristãs.

Escribas e Fariseus. Jesus se referiu aos Fariseus como homens cegos, hipócritas, crianças do diabo, quando tentavam pegar ou emboscar Jesus quando Ele falava. Ele também disse que os Fariseus atrapalhavam os possíveis crentes, pervertiam as Escrituras, tinham justiça própria perante os homens, eram externamente justos e cegos para as coisas espirituais. Os escribas eram especialistas em questões legais. Ele se refere a eles como sendo exteriormente justos, ensinando sem autoridade, e questionando Jesus em Sua autoridade. Jesus os expôs, os condenou, e, também, os chamou de hipócritas. Não vamos deixar que nossas vidas sejam iguais as vidas dos escribas e Fariseus. Vamos deixar os nossos corações abertos enquanto procuramos pela Verdade.

Seus próprios desejos. Você irá facilmente escutar alguém te dizer o que você quer ouvir. “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.” (2 Timóteo 4:3-4). Nós estamos vivendo um tempo onde as mulheres não suportam a sã doutrina? Você irá se voltar para os mitos?

Se você quer conhecer a verdade, me acompanhe enquanto mais uma vez nós procuramos a Verdade que se refere à obediência de Sara.

A obediência de Sara

 A resposta para a pergunta “Até que ponto uma mulher deve sujeitar-se ao seu marido?” é encontrada na vida da mulher, a única mulher, que a Palavra de Deus diz que é o nosso exemplo de submissão, Sara. (1 Pedro 3:6) Vamos dar uma olhada de perto em todas as referências que falam de Sara e seu relacionamento com o seu marido Abraão.

A Bíblia se refere a Sara 59 vezes! Em todas essas referências, apenas três vezes Abraão pediu que ela fizesse algo. Lembre-se, ela deve ser o nosso exemplo de obediência aos nossos maridos. Em Gênesis 12:11 Abrão diz a Sarai como ela é bonita e quando entrassem no Egito, ela deveria dizer aos egípcios que ela era sua irmã para que ele sobrevivesse. Isso era uma meia-verdade já que ela era sua “meia-irmã”. Perceberam depois que Abrão estava “cuidando bem” dela (Sarai). Ela pecou ao contar uma mentira ou ela é inocente porque a autoridade acima dela disse para ela mentir?

Então em Gênesis 12:17, “...o Senhor feriu Faraó e sua casa com grandes pragas.” Então o verso diz que “por causa de Sara” Faraó perguntou a Abrão (não a Sara) por que ele tinha feito aquilo. Abrão no fim das contas foi considerado culpado. Faraó então mandou Abrão e sua mulher Sarai para longe com todos os seus pertences. Então em Gênesis 17:15-21 a Palavra nos diz que Sarai seria a “mãe de muitas nações” e “reis das nações viriam até ela”. Então, novamente, Abrão é considerado culpado pelo que ele mandou sua mulher fazer e Sarai foi abençoada por sua obediência.

Depois, em Gênesis 18:6-15, nós vemos Abraão pedindo para Sara (Deus agora já tinha dado a eles os seus novos nomes) ir e fazer bolos para os visitantes. Nós vemos que Sara mais uma vez obedece ao seu marido e faz os bolos.

Acredite ou não, em Gênesis 20:2-18 “Abrãao disse de Sara, sua esposa, ‘Ela é minha irmã’. Então, enviou Abimeleque, rei de Gerar, e tomou Sara.” Dessa vez, não pediram que Sara mentisse; o Senhor a livrou disso. Entretanto, ela ainda foi tomada como a mulher de outro homem! Mas, então no verso 5 nós vemos o rei implorando a Deus por sua vida. No verso 7 vemos a proteção de Deus com Sara quando Ele diz para o rei, “Eu não te permito tocá-la”. A Palavra de Deus nos diz que “Sara obedeceu a Abraão, chamando-o de senhor” e que nós não devemos “temer nenhum temor” não importando o que nossos maridos nos peçam para fazer. Deus protegeu Sara e Ele irá nos proteger também!

Para provar que nós não somos responsáveis quando obedecemos aos nossos maridos, nós vemos no verso 9 que quando o rei culpa alguém, ele culpa Abraão. “Então Abimelque chamou Abraão e lhe disse, ‘O que fizeste conosco... O que me fizeste não se faz a ninguém!’” No verso 12, Abraão explica a sua meia-mentira (o que ainda é um pecado). Então, no verso 13, Abraão isenta Sara de qualquer dano. Ele confessa ao rei que foi ideia dele enganá-lo. “Assim você me provará sua lealdade: em qualquer lugar aonde formos, diga que sou seu irmão.” Agora veja: novamente no verso 16, Deus abençoa Sara. O rei diz a Sara que ele deu a seu irmão 1000 peças de prata para mostrar que ela estava isenta de qualquer culpa. Sara novamente foi exaltada em sua inocência como é dito no verso 18, “Porque o Senhor havia tornado estéreis todas as mulheres das casa de Abimeleque por causa de Sara, mulher de Abraão.” Quando nós obedecemos como Sara fez, nós também seremos protegidas, inocentadas de qualquer coisa que for pedida para que façamos, e abençoadas!

O próximo verso, Gênesis 21:1, diz, “O Senhor foi bondoso com Sara, como lhe dissera, e fez por ela o que prometera”. Deus “testou” a obediência de Sara para descobrir se ela era digna de ser mãe da Promessa e de muitas nações. Nós podemos ter certeza que Deus irá testar os nossos corações também.

Porém as bênçãos que Deus deu a Sara não terminaram como nós podemos ver em Gênesis 21:12, “Mas Deus disse a Abraão, ‘... atenda a tudo o que Sara lhe pedir...!’” Deus disse a Abraão para fazer o quer que fosse que Sara disesse para ele fazer com Hagar, já que Sara estava aflita com a atitude de Hagar. Mesmo Sara tendo se preciptado, indo a frente de Deus, quando enviou Hagar para Abraão para apressar a Sua promessa para ela, Deus fez com que tudo desse certo! Nós vemos essa evidência em Gênesis 21:14 quando Abraão manda Hagar e Ismael embora.

Obedecer

Nas Escrituras há oito diferentes palavras para obedecer. Três estão em hebráico no Velho Testamento, e cinco então em grego do Novo Testamento. A palavra Hupaku (5219 na Strong’s Concordance), se pronuncia  roop a ku o, é usada com as mulheres em relação a obediência aos seus maridos. A definição da palavra obedecer é: ouvir, está abaixo como um subordinado está, escutar atentamente; prestar atenção ou obedecer a um comando ou autoridade; escutar, ser obediente, obedecer. Essa palavra obedecer é encontrada em 1 Pedro 3:6 quando as mulheres são instruídas a obedecerem, como Sara fez com Abraão. Também é encontrada em:

Rom. 6:17 quando é dito que nós devemos ser servos e obedecer de coração (veja também Gên. 21:1).

1 Ped. 1:22 também diz que nós devemos ser obedientes de coração.

E Heb. 11:7 quando Abraão teve de obedecer deixando Canaã (veja Gên. 12:5).

Alguns, que tem contestado minha forte convicção sobre submeter aos nossos maridos, tem usado outras referências nas Escrituras para provar que nós não devemos obedecer como Sara obedeceu. Entretanto, eles estão usando uma palavra diferente, como a palavra PEITHO (3982) pie tho que significa convencer por argumentação, pacificar, persuadir. Mas essa palavra não é usada no relacionamento entre uma esposa e seu marido.

Também há a palavra PEITHARCHEO (3980), pie thar ke o, que significa persuadir através de um governante (magistrado). Isso está em Atos 5:29, quando Pedro e seus apóstolos responderam e disseram, “Nós devemos obedecer a Deus ao invés de homens”. Mas novamente, essa palavra obedecer não é usada em relação ao marido e sua esposa.

Uma quarta palavra para obedecer é SHAMA (8085) que significa ouvir, considerar, ou discernir. Essa palavra para obedecer é usada em referência a Daniel quando ele faz um apelo para não comer a comida da mesa do rei. Muitos tem encorajado mulheres a usarem esse obedecer para apelar a seus maridos; entretanto, a Palavra de Deus não usa nenhuma dessas palavras para obedecer em referência ao marido e sua esposa.

Vamos Revisar

 Nós andamos juntos pela Palavra para encontrar a Verdade sobre submeter-nos aos nossos maridos. Então, vamos revisar o que nós encontramos:

  1. A única mulher nas Escrituras que é considerada como um exemplo de obediência para que as mulheres sigam é Sara.
  2. Deus protegeu Sara porque ela foi submissa “bem como ao Senhor” obedecendo seu marido e confiando Nele para ser protegida. (Efésios 5:22)
  3. Apenas três referências nas Escrituras dizem que Abraão pediu para Sara fazer alguma coisa: fazer bolos, contar uma “meia-mentira”, dizendo que ela era sua irmã, e ir uma segunda vez como esposa do Faraó.
  4. Abraão foi o responsável por tudo que Sara fez quando ela o obedeceu.
  5. Após a obediência de Sara pela segunda vez, Deus “anotou” e a abençoou com Sua promessa de um filho na sua velhice.
  6. Aqui estão 5 referências mostrando que Abraão (e Sara) foram abençoados e protegidos por causa de Sara:
    • Em Gên. 12:16, “ele tratou bem Abrão por causa dela.”
    • Em Gên. 20:7 diz, “então eu [Deus] não permito que você toque nela.”
    • Em Gên. 20:14-15, a esposa de Abraão foi devolvida com presentes de ovelhas, bois, e servos. Ele também permitiu que Abraão ficasse na terra do rei onde ele quisesse e deu mil peças para “purificar Sara”!
    • Em Gên. 20:18, os úteros das mulheres da casa de Abimeleque foram fechados “por causa de Sara”.
    • Em Gên. 21:12, Hagar foi mandada embora com Ismael porque Deus disse para Abraão escutar Sara e fazer o que ela dissesse para ele fazer com Hagar.
  7. Abraão deveria proteger Sara; no entanto, Deus protegeu Sara porque ela O obedeceu através da submissão ao seu marido Abraão.      

Nós, então, não precisamos ter medo de nos submeter porque nós temos a proteção de Deus. “Vocês que temem o Senhor, confiem no Senhor! Ele é o seu socorro e o seu escudo.” Salmos 115:11.

Todos os que agora ficam no caminho da submissão tem um espírito de rebelião. “Pois a rebeldia é como o pecado da feitiçaria, e a insubordinação como o mal da idolatria. Porque vocês rejeitaram a Palavra do SENHOR, Ele também rejeitou vocês...” (1 Samuel 15:23). Uma vez que começamos a nos submeter de coração e remover a rebelião de nossas ações e atitudes, provações “aparecem para nos testar”. Entretanto, Deus está esperando para nos ajudar: “Os justos clamam, o Senhor ouve e os livra de todas as suas tribulações.” Salmos 34:17. (Veja o capítulo 10, “Várias Provações”, pois “o Meu povo foi destruído pela falta de conhecimento. Porque vocês rejeitaram o conhecimento...” (Oséias 4:6).

Eva e a Queda

 Nós temos estudado a vida de Sara para ver a verdadeira submissão em ação. Nós vimos na vida dela tantas bênçãos como proteção. E nós sabemos que Sara é exaltada no livro de 1 Pedro por causa de sua submissão radical ao seu marido Abraão. Mas, para nos trazer mais entendimento, ajudaria muito estudar a vida de Eva, para que possamos obter mais sabedoria.

Quais os princípios de submissão que Eva violou que causaram “A Queda”?

Duvidar de Deus e questionar Sua Palavra. “E ela perguntou à mulher, ‘Foi isto mesmo que Deus disse: ‘Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim’? “ Gên. 3:1. Se ela pelo menos soubesse que  “Cada palavra de Deus é comprovadamente pura; Ele é um escudo para quem nele se refugia.” Prov. 30:5. Se Eva soubesse e aplicado esse verso, isso teria nos livrado de muitas dores! 

Adicionar à Sua Palavra. “E a mulher disse à serpente, ‘podemos comer do fruto das árvores do jardim, mas Deus disse, ‘Não comam do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem toquem nele; do contrário vocês morrerão’’”. Ela adicionou que ela não deveria nem “tocar no fruto”. Quando nós acrescentamos algo a Palavra de Deus, isso viola as Escrituras e criamos o pecado. “Nada acrescente às Suas Palavras, do contrário, ele o repreenderá e mostrará que você é mentiroso.” Prov. 30:6.

Ouvir a voz de Satanás. “E a serpente disse a mulher, ‘Você certamente não morrerá! Pois Deus sabe que no dia que você comer do fruto, seus olhos serão abertos, e você será igual a Deus, conhecendo o bem e o mal.’”  Nós nunca podemos nos esquecer que Satanás é um mentiroso.  “Quando ele mente, ele fala sua própria língua; pois é mentiroso e pai da mentira.”  João 8:44.

Considerar o mal. “E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu...” Gên. 3:6. O que ela deveria ter feito? “Afaste-se do mal e faça o bem..” 1Ped. 3:11. Vamos aprender com o erro dela e, ao invés disso, fazer como Jó fez… “ Fiz um acordo com os meus olhos…” Jó 31:1. Jesus nos disse como é importante os nossos olhos para o nosso futuro: “E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.” Mat. 18:9.

Fazer outro tropeçar. “E ela deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.” Gen. 3:6-7.  “Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão.” Rom. 14:13. “Bom é não... fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.” Rom. 14:21.

Atraído por seu próprio desejo. Eva foi culpada pelo pecado de Adão? “É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem! Melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma mó de atafona, e fosse lançado ao mar, do que fazer tropeçar um destes pequenos…” Lucas 17:1-2. Entretanto, “…Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.” Tiago 1:14. Há um perfeito equilíbrio aqui. Se por nossa causa nossos maridos tropeçam e pecam, nós somos responsáveis. Por outro lado, nossos maridos são responsáveis perante o Senhor por seus pecados. E ainda, lembre-se que se o seu marido está no caminho do pecado, saia do seu caminho! (Salmos. 1:1) Além disso, é dito que nós não devemos nem dizer nenhuma palavra para eles sobre isso! (1 Pedro. 3:1).

As Consequências

 A primeira consequência foi a decepção. “...E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.” (Gênesis 3:13). “E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.” (1 Timóteo 2:14).

A maldição. Para a mulher Ele disse, “À mulher, ele declarou: 'Multiplicarei grandemente o seu sofrimento na gravidez; com sofrimento você dará à luz filhos; e ainda o seu desejo será para o seu marido, e ele a dominará'“. (Gênesis 3:16). A definição das palavras e ainda é importante. Isso significa: todavia, entretanto ou mas. Sua “maldição” não é seu marido dominar sobre você. Deixe-me explicar. O que esse texto está dizendo é: “Já que você pecou, Eu irei multiplicar grandemente suas dores de parto, e com dores você terá filhos; entretanto, todavia, mas, Eu irei te proteger colocando o seu marido sobre você, então você não será enganada novamente.” Deus podia ver que a mulher precisaria de uma proteção contra a decepção. Nós mulheres temos a tendência de tomar decisões baseadas em como nós nos sentimos, porque nós parecemos ser o coração do relacionamento de “uma só carne”.

Sua proteção. Então, nós temos proteção conforme nós ficamos abaixo da autoridade dos nossos maridos. “A mulher deve aprender em silêncio, com toda a sujeição. Não permito que a mulher ensine, nem que tenha autoridade sobre o homem. Esteja, porém, em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, e depois Eva. E Adão não foi enganado, mas sim a mulher, que, tendo sido enganada, tornou-se transgressora.” (1 Timóteo 2:11-14)

Um em Cristo Jesus. Agora, quando somos instruídas a nos submeter a um homem, este homem não é qualquer homem, nem é todo homem. Nós devemos nos submeter aos nossos próprios maridos. Também devemos nos sujeitar aos homens (e mulheres) que estão sobre todos os homens e mulheres, como chefes ou a polícia, etc. Muitos cristãos têm tropeçado nesta área de mulheres ensinando homens. Quando uma mulher é chamada para ensinar, seu marido não deve ser o seu aluno. Jesus veio para que pudéssemos viver sob a graça, não vamos nos tornar legalistas. “Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus.” (Gálatas 3:28).

Uma nota: o termo “ajuda que auxilie” é da versão NVI da Bíblia. “Ajudadora idônea” é da versão ACF. “Ajudadora auxiliadora (adequeada, adptada, complementar) para ele” é da versão Amplificada. (Gênesis 2:18).

Nossa segunda proteção. Nossos maridos são a nossa proteção principal, no entanto, a Bíblia diz que as mulheres têm uma proteção adicional: “Mas as mulheres devem ser preservada por meio da geração de filhos se elas permanecerem na fé e no amor e santidade com bom senso.” (1Tm. 2:11-15). A palavra preservada é da Bíblia ACF. Na NVI a palavra é “salva”, traduzida da palavra sozo, o que significa: salvar, proteger ou curar ou manter em segurança. Mais uma vez, como já vimos como devemos obedecer aos nossos maridos, sem qualquer medo (1 Pedro 3:6), devemos também continuar a gerar filhos pela fé. Fé, como sabemos, é o oposto do medo. (Veja o capítulo 12, “Fruto do Ventre”).

Outro resultado interessante de Eva comer o fruto é que Deus disse a ela que seu “desejo” seria para o marido. A palavra desejo é traduzida da palavra tshuwqah (8669), que é definida como: um alongamento, um anseio, um desejo. Mas ela é derivada da palavra shuwq (7783), que é “a correr atrás”. Nós sabemos que há mais mulheres que permanecem firmes por seus casamentos falidos e por cônjuges infiéis do que homens. Não é interessante que há uma canção que foi muito popular (antes do feminismo mudar a nossa forma de pensar) chamada de “Stand By Your Man” (em Português, “Permanecer Pelo Seu Homem”)?

Adão culpou sua mulher. Se você se pergunta por que seu marido culpa você, deixe-me te dizer que foi assim desde o começo da humanidade! “A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.” (Gênesis 3:12). Nossos maridos são aconselhados a “...amar suas mulheres e não as tratarem com amargura.” (Colossenses 3:19). E também, “Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus. Que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando a muitos.” (Hebreus 12:15). Mas por causa da tendência dos maridos culparem suas esposas, Deus nos deu proteção através do princípo que deve ser seguido: “Mulheres, sede vós, igualmente, submissas a vosso próprio marido, para que, se ele ainda não obedece à palavra, seja ganho, sem palavra alguma, por meio do procedimento de sua esposa, ao observar o vosso honesto comportamento cheio de temor... Mas deixe ser o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.” (1Pe. 3:1-2,4).

O erro dele. Então para Adão Ele disse, “Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: ‘Não comerás dela...’” (Gênesis 3:17). Por que foi a desobediência dele e o engano dela? A última vez que o mandamento de não comer o fruto é mencionado acontece quatro versos antes de Eva ter sido criada! No entanto, ela não se submeteu à autoridade de seu marido quando ela comeu o fruto proibido. No entanto, ela não desobedece diretamente o mandamento de Deus, porque o mandamento foi dado a Adão antes de Eva ter sido criada. É por isso que o pecado é transmitido a partir de Adão e não de Eva. Eva não pecou conscientemente, ela foi enganada! Adão sabia o que estava fazendo quando ele pegou o fruto dela e comeu. Sua queda foi escutar sua esposa. Vemos também que o pecado foi passado para Abraão quando Sara pediu-lhe para tomar Hagar, a fim de cumprir a promessa de um filho de Deus. “E Abraão ouviu a voz de Sara”. (Gênesis 16:2). Pergunte-se a si mesma se você tem sido “a voz” da tentação para o seu marido fazer o mal. Eu sei que eu fui culpada disso. Isso é uma ótima forma de derrubar os seus lares, senhoras!

A maldição dele. “...Maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirá; e comerás a erva do campo. No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás.” (Gênesis 3:17-19). Você está “com dores comendo”, recebendo a punição dele por trabalhar por si mesma? A maldição de trabalhar foi para o marido. (Veja o capítulo 13, “Os Costumes de Sua Casa” para que você seja aliviada do “suor” que nunca foi dito para você derramar para comer o pão).

Agora, vamos ver algumas outras esposas na Bíblia para que aprendamos mais sobre o papel da esposa. Nós veremos ambos, os bons e os maus exemplos.

Abigail

O que nós sabemos sobre Abigail? “... e o nome de sua mulher era Abigail, mulher inteligente e bonita.” (1 Samuel 25:3).

Ela não era discreta. Nós veremos, conforme estudamos as Escrituras que Abigail não era uma mulher discreta. “Como jóia de ouro no focinho de uma porca, assim é a mulher formosa que não tem discrição.” (Provérbios 11:22). “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.” (Provérbios 31:30).

O testemunho de Abigail. A história começa em 1 Samuel 25 quando entendemos a situação. Um bando de homens tinha fielmente protegido os grandes rebanhos de ovelhas e cabras de seu marido; nenhum animal estava faltando. Quando os homens ouviram que seu marido estava tosquiando as suas ovelhas, Davi enviou um grupo de dez homens para sugerir que ele lhes desse uma recompensa pelo trabalho que tinham feito, o que era o costume. Mas Nabal (marido de Abigail) zombou deles e de seu líder e alegou que ele não era obrigado a reembolsá-los de qualquer forma. Isto irritou Davi, e ele planejava matar Nabal e todos os homens de sua família. Quando Abigail ouviu falar do plano de Davi, ela levou cinco ovelhas e grandes quantidades de alimentos e correu ao encontro de Davi. Muitos pregadores têm usado Abigail como um exemplo para nós seguirmos, no entanto, ela violou as Escrituras.

Quais os princípios que Abigail violou? A violação de vários princípios por Abigail nas Escrituras causou a morte de seu marido. Isso também fez com que ela se tornasse “mais uma” das muitas esposas de Davi.

O marido é a cabeça da mulher. Um dos primeiros relatos que nós vemos é: “Mas ela não disse a seu marido, Nabal”. Abigail não deu a seu marido a sua correta posição no casamento e tomou a situação em suas próprias mãos. Ela violou o princípio, “Porque o marido é a cabeça da mulher... ele próprio é o salvador do corpo.” (Efésios 5:23). Ela deveria ter permitido que seu marido fosse o “salvador” nessa situação, “Pois... insubordinação é como o pecado da iniquidade e idolatria”. (1 Samuel 15:23). Insubordinação é definido como: não se submeter a autoridade, rebelião, se opor a autoridade, e desafiar de maneira teimosa o controle.

Se submeter àqueles que não são razoáveis. Ela justificou sua interferência olhando para as ações de seu marido: “... mas seu marido, era rude e mau...” (1 Samuel 25:3). Nós não devemos usar como desculpa para rebelião as atitudes das nossas autoridades; a Palavra é clara. “... sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não somente aos bons e humanos, mas também aos maus.” (1 Pedro 2:18). “O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas o que abre muito os seus lábios se destrói.” (Provérbios 13:3).

Ela trouxe condenação sobre si mesma. “Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação.” (Romanos 13:1-2). Quando ela ficou preocupada de que ocorreria algum mal, ela deveria ter falado sobre suas preocupações gentilmente e de forma respeitosa para o seu marido. Isso é deixar nas mãos de Deus. “Os lábios dos sábios derramam o conhecimento”. (Provérbios 15:7). “O justo é mais excelente do que o seu próximo, mas o caminho dos ímpios faz errar.” (Provérbios 12:26). Se Nabal ainda assim persistisse em sua teimosia, ela deveria então rogar a Deus, não a Davi, por misericórdia.

Ela se envolveu numa disputa que não pertencia a ela. Tomando a situação em suas próprias mãos, ela estava limitando as possibilidade de Deus lidar com seu marido e com a situação. “Como alguém que pega pelas orelhas um cão qualquer, assim é quem se mete em discussão alheia.” (Provérbios 26:17)

 Ela violou o princípio de 1 Pedro 3. Eu sei que Abigail nasceu antes que 1 Pedro fosse escrita; entretanto, sua violação prova que nós não devemos olhar para Abigail como a heroína que outros dizem que ela é. Abigail não honrou seu marido, ela não o ganhou “sem uma palavra”, e ela não o chamou de senhor (como Sara fez com Abraão). Se Abigail tivesse honrado seu marido, Deus a teria protegido como Ele fez com Sara. “... então ele [Faraó] tratou Abrão bem, por causa de dela [Sara]...” (Gênesis 12:16). E também, “E o SENHOR visitou a Sara, como tinha dito; e fez o Senhor a Sara como tinha prometido.” (Gênesis 21:1).

Ela foi podridão em seus ossos. Abigail não apenas interferiu na autoridade de seu marido, mas ela também o envergonhou. “Meu senhor [Davi], não dês atenção àquele homem mau, Nabal. Ele é insensato, conforme o seu nome significa; e a insensatez o acompanha...” (1 Samuel 25:25). “A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que o envergonha é como podridão nos seus ossos.” (Provérbios 12:4). Ela chamou Davi de seu “senhor” e chamou seu marido de “insensato”. Tolice é definida como um comportamento decorrente de estupidez.

Ela era orgulhosa. Ela deixou que soubessem que ela lidaria com a situação de uma forma diferente de seu marido. Abiagail foi motivada por orgulho; “...Contudo, eu, tua serva, não vi os rapazes que meu senhor enviou.” (1 Samuel 25:25). E ainda, não caberia a ela ter visto. A posição dela deveria ter sido de “fazer-lhe o bem e não o mal por todos os dias de sua vida.” (Provérbios 31:12). E “O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo.” (Provérbios 31:11).

A vergonha matou o seu marido. A violação dos princípios das Escrituras por Abigail causou a morte de seu marido. “... sua mulher lhe [Nabal] deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu o seu coração, e ficou ele como pedra. E aconteceu que, passados quase dez dias, feriu o Senhor a Nabal, e este morreu. (1 Samuel 25:37-38). “A ansiedade no coração deixa o homem abatido.” (Provérbios 12:25). “Mas a língua dos sábios é saúde.” (Provérbios 12:18).

Seu marido morreu pois seu coração foi partido. A conseqüência das ações de Abigail foi a morte de seu marido após ouvir sobre a traição de sua mulher. Ela acreditava que ela era melhor para lidar com essa situação perigosa.

As consequências. “Paracia” que ela tinha sido bem sucedida em seus palnos, mas no final ela colheu o que ela plantou. “O Senhor derruba a casa do orgulhoso.” (Provérbios 15:25)

Abigail perdeu sua proteção. Ela perdeu a proteção que Deus colocou ao redor dela, então, “Davi nos tem mandado a ti, para te tomar por sua mulher.” (1 Samuel 25:40). Isso foi tudo, menos uma bênção. Ela viveu como um exilada com Davi e sua primeira mulher na Filístia (1 Samuel 27:3). Ela (a primeira esposa de Davi) foi capturada pelos Alaequitas por um pequeno período (1 Samuel 30:5). Ela foi uma das seis mulheres de Davi, e mais tarde em Jerusalem ela foi apenas uma das muitas mulheres dele. (2 Samuel 5:13).

Sabemos pelas Escrituras como miserável Lia estava com seu casamento porque ela sabia o quanto seu marido Jacó amava Raquel. (Gên. 29).  Poderia qualquer uma de nós imaginar ser apenas uma das seis esposas? Nós sabemos sobre Davi e Bate-Seba. E não nos esqueçamos de que ele tinha outras mulheres na época. Eu sei que quando meu marido estava com apenas uma outra mulher, isso praticamente me matou! A minha pergunta para aqueles que dizem que Abigail foi abençoada por ser esposa de David é esta: “Você quer seu marido dormindo com outras cinco mulheres, especialmente se ele era ruivo e bonito?” (1Sam. 17:42 diz que Davi era ruivo, com uma bela aparência).

A vergonha dela foi repassada para o seu filho. O único filho de Abigail nem sequer é mencionado mais tarde nas Escrituras, mesmo ele devendo ter se tornado o príncipe coroado após o assassinato de Amnon. Ela, obviamente, tinha arrependimentos sobre sua vida quando ela mudou o nome de seu filho de Quileabe que significa “repressão do pai” para Daniel, que significa “Deus é meu [Abigail] Juiz.” (1 Crônicas 3:1). (Os nomes são muito importantes na Bíblia. Veja nomes dos filhos de Lia e Raquel em Gênesis 29 e 30).

Sua falta de prudência. Se Abigail tivesse se mantido em silêncio, Deus poderia ter movido a seu favor. “Até o insensato passará por sábio, se ficar quieto, e, se contiver a língua, parecerá que tem discernimento.” (Provérbios 17:28). “…mas a esposa prudente vem do Senhor.” (Provérbios 19:14). Você pode se perguntar o que Deus poderia fazer por ela, ou talvez o que Ele pode fazer por você, se você é casada com um tolo. “O coração do rei é como canais de água na mão do Senhor, Ele o inclina a todo o Seu querer.” (Prov. 21:1). Deus foi fiel para transformar o coração de Davi, e até mesmo o coração do seu marido. Mas, em vez disso, Abigail caiu no desejo da carne e seu coração voltou: “Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem e faz da carne a sua força, e cujo coração se afasta do Senhor.” (Jeremias 17:5). E você, vai tomar a situação em suas próprias mãos, quando você vir o perigo se aproximando de você e sua família? Ou, você confiará em Deus, permitindo que o seu marido salve a família?

Sara

 A voz de Sara. “E disse Sarai a Abrão: Eis que o Senhor me tem impedido de dar à luz; toma, pois, a minha serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai.” (Gênesis 16:2). “Quem é cuidadoso no que fala evita muito sofrimento.” (Provérbios 21:23). O erro de Sara gerou uma guerra que continua no Oriente Médio entre Judeus e Muçulmanos, até hoje!

Indo adiante de Deus. “Assim tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão, seu marido. E ele possuiu a Agar, e ela concebeu; e vendo ela que concebera, foi sua senhora desprezada aos seus olhos.” (Gênesis 16:3-4). Toda vez que passamos adiante de Deus, nos apressando, e concebemos um “Ismael”, nós desprezamos o que criamos em meio a nossa pressa.

Mal por Mal e insulto por insulto. “Então disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti; minha serva pus eu em teu regaço; vendo ela agora que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos; o Senhor julgue entre mim e ti. E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E Sarai tanto maltratou Hagar, e ela fugiu de sua face.” (Gênesis 16:5-6). Agora aqui nós vemos Sarai em uma nova violação. 1 Pedro 3:9 diz: “Não retribuam mal com mal nem insulto com insulto; pelo contrário, bendigam; pois para isso vocês foram chamados, para receberem bênção por herança.” (1 Pedro 3:9). Quando ela foi falar com o seu marido queixando-se da bagunça que ela tinha causado, ele a encorajou novamente a agir pela carne. Lembre-se, “Na multidão de palavras não falta pecado”. (Provérbios 10:19). Novamente, quando você estiver com um problema, não corra para ninguém – corra para Deus!

Sara cometeu erros; mas mesmo assim, Sara é o nosso exemplo de uma esposa submissa: “Assim Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, e você se tornou suas filhas, se você fizer o que é certo sem ter medo... pois desta forma, em tempos anteriores, as santas mulheres também, que esperavam em Deus, constumavam adornar-se, e eram submissas a seus maridos.” (1 Pedro 3:3, 5). Deus é tão bom. Sara errou seriamente por muito tempo, mas Deus transformou a situação conforme ela começou a agradar ao Senhor. Eu também errei por muito tempo. Eu não tinha idéia de como uma esposa deveria fazer, dizer ou ser. Mas quando comecei a seguir o Senhor e Sua Palavra, Ele transformou tudo e Ele me exaltou! Ele vai fazer isso por você também. Quanto mais você seguir Suas orientações, com um coração puro, mais bênçãos Ele vai derramar sobre você!

A Esposa de Jó

 A “auxiliadora idônea” de Jó”? “Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre. Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?” (Jó 2:9-10). Pobre Jó, ele perdeu tudo e ele estava coberto de furúnculos. Mas ter a sua “auxiliadora idônea” tentando-o a pecar com a boca, isso já era demais! Isso me lembra de quando eu tive meu primeiro filho no hospital. Eu estava determinada a fazer o parto “natural”, sem drogas. No entanto, a cada poucos minutos, uma enfermeira me perguntava se eu queria algo para a dor. Eu senti como se estivesse rastejando no deserto enquanto alguém ficava me perguntando se eu gostaria de um copo de água fresca. Eu senti como se quisesse bater nela. Eu não fiz isso, no entanto. Esta, por sinal, foi a “velha Erin” que meu marido deixou! Louvado seja o Senhor! Ele me mudou!

Jó sabia que o que sua mulher dizia era tolisse. “A boca do justo jorra sabedoria, mas a língua da perversidade será cortada.” (Provérbios 10:31). Foi muito ruim para Jó quando Deus tirou tudo dele, menos sua esposa. Deus obviamente tem senso de humor! “O que atenta prudentemente para o ensino achará o bem.” (Provérbios 16:20). Jó prestou atenção no que ele dizia e foi abençoado. “Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.” (Mateus 12:37). Não é interessante como a esposa de Jó nunca é citada pelo seu nome? Nós porém, a conhecemos pelo seu comentário tolo. Não é dessa forma que eu gostaria de ser lembrada; e você? Ao invés disso...

 Vamos obedecer como Sara fez, sem temer coisa alguma.

 Compromisso Pessoal: Ser submissa ao meu marido assim como ao Senhor. “Baseada no que eu aprendi da Palavra de Deus, eu me comprometo a obedecer meu marido para que a Palavra de Deus não seja blasfemada.”

Se você está pronta para se comprometer com DEUS em terminar o curso, em concordando e clicando aqui você então estará pronta para documentar esta próxima etapa ao longo de sua jornada de restauração no formulário "Meu diário". Não se apresse, sente-se, pegue seu café ou chá e derrame seu coração no seu Diário.

 Como “Semelhantemente, as mulheres mais velhas ...devem ensinar o que é bom. Devem instruir as mulheres mais jovens...” (Tito 2:3), você terá a oportunidade de falar com as mulheres mais jovens que ainda são solteiras como parte de seu ministério.