WW-Portuguese-Cover

Capítulo 15 "Os Ensinamentos de Sua Mãe"

“Ouça, meu filho, a instrução de seu pai,
E não despreze o ensino de sua mãe:
Eles serão um enfeite para a sua cabeça,
Um adorno para o seu pescoço.”
— Provérbios 1:8-9

Hoje em dia há muita conversa sobre se devemos e como devemos corrigir nossas crianças com a punição corporal e muito pouco sobre ensinar, treinar ou amar. Muitos ficam imaginando qual o método de disciplina eles devem usar. Certamente, um que funcione e que traga muitos frutos! Deus diz que qualquer coisa que não seja fundamentada em Sua Palavra está na areia movediça. Mas como podemos decidir se o método que seguimos é baseado nas Escrituras? Você pode discernir a verdade conhecendo a Palavra de Deus. Vamos pesquisar nas Escrituras e buscar a Verdade.

Ame Suas Crianças

No papel de pais, nós devemos disciplinar a nós mesmos primeiramente e começar a construir uma forte fundação de amor por nossos filhos. Se falharmos ao investir amor em nossos filhos, nós teremos resistência e rebelião aos nosso ensinamentos, treinamentos e nossas correções. Então, o amor será a nossa fundação e o amor será a motivação para que nossos filhos nos obedeçam.

Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro. A fundação do amor é encontrada em 1 João 4:19: “Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro.” Nós somos amados primeiramente por Deus; nós em retorno, O amamos. Semelhantemente, nossas crianças não podem dar amor sem serem amadas primeiro. Quando eu sou a primeira a dar amor às minhas crianças, minhas crianças, em retorno, aprenderão a amar.

Um exemplo. O Senhor nos deu um exemplo para seguirmos. “Para isso vocês foram chamados... deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.” (1 Pedro 2:21). Foi o amor que o Senhor tinha por Seu Pai que resultou em Sua obediência à vontade de Seu Pai. “E dizia: ‘Aba, Pai, tudo te é possível. Afasta de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres.’” (Marcos 14:36). O amor motiva a obediência. Conforme vamos crescendo mais em amor com o nosso Senhor, nós nos tornamos mais motivadas a viver de forma correta.

Eu sempre me perguntei por que os filhos de pais piedosos (os pais que, sem dúvida, seguiram a Palavra de Deus sobre a disciplina) ainda se extraviaram. Poderia, alguma vez, ter a ver com uma expressão inadequada de amor? Claro, a maioria dos pais ama seus filhos, mas eles demonstram isso? Como é que eles olham para seus filhos? Será que eles expressam palavras de amor? Quanto tempo eles passam com seus filhos? A questão na verdade é: os seus filhos se sentem amados?

Bênção ou maldição? No capítulo 12, “Fruto do Ventre,” nós aprendemos na Palavra de Deus que crianças são uma bênção, mesmo que a nossa sociedade diga o contrário. Mas no que você acredita em seu coração? Você não pode dar o mais profundo amor sincero para seus filhos, se você pensa em filhos como uma maldição.

O que você diz na frente deles? O que você diz nas suas costas? O que a sua atitude para com os seus filhos transmite a eles? Você diz uma coisa para os seus filhos, mas diz alguma outra coisa para os outros, e, ao mesmo tempo, teme o pensamento de ter mais filhos? “Não suponha esse homem esperar que ele vai receber alguma coisa do Senhor, sendo um homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.” (Tiago 1:7-8).

O que então é amor? Somos ensinados sobre o amor em nossos livros, nossos filmes e nossos meios de comunicação. Todos nos mostram o que ele ou ela pensa o que é o amor. Mas não devemos ir para o Autor do amor para a verdadeira definição? “Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amornada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amornada disso me valerá. O amor é paciente, o amor é bondosoNão inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltratanão procura seus interessesnão se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha.” (1 Cor. 13:2-8). É bastante claro que o amor é mais do que apenas um sentimento, como já foi dito. O amor é uma ação ou reação que temos em relação aos outros. Vamos olhar mais profundamente sobre as palavras que estão em negrito na Escritura anterior.

Paciência. A paciência é uma reação. Paciência é definitivamente mais do que uma necessidade quando se trata de crianças. Nós só precisamos olhar para os pais que vemos em público com os seus filhos para ver que a paciência é muito pouca hoje em dia. Se esses pais estão fartos de seus filhos em público, como é que eles agem em particular? O versículo seguinte é uma receita perfeita para uma esposa e mãe usar com seus filhos. “Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimadosauxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos. (1 Tessalonicenses 5:14)” “Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar, paciente...” (2 Timóteo 2:24).

Bondoso. Bondade é um longo caminho quando se trata de crianças. Às vezes, no entanto, parece que esquecemos. “Ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar, paciente...” (2 Timóteo 2:24). “...a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus próprios maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada.” (Tito 2:5). Devemos falar bondosa e gentilmente, com os nossos filhos. Ao treinar os seus filhos, é importante obter a atenção deles em primeiro lugar, chamando pelo nome. Em seguida, olhe para eles com amor nos olhos e fale gentilmente com eles. Isso não significa que estamos tentando defender ou implorar por sua obediência, é apenas a diferença entre falar palavras gentis e gritar ordens.

Não inveja. Devemos estar conscientes de que o favoritismo pode causar ciúme entre irmãos. Se uma criança apresenta hábitos desfavoráveis​​, manias ou similares, isso pode nos levar a favorecer seus irmãos. Em vez disso, ame seu filho problemático o suficiente para trabalhar com ele em seus pontos fracos. Ou você esqueceu a discórdia na família de José causada por favoritismo? Isso resultou em um ciúme notório! “E seus irmãos tinham ciúmes dele, mas seu pai...” (Gên. 37:11).

Não maltrata. Agir de forma inconveniente tornou-se comum em muitas de nossas casas, assim como em público. Grandes “cenas” ou “descontrole e delírios” frequentes acontecem, em vez do espírito manso e tranquilo que Deus ama tanto. Amem seus filhos o suficiente para controlar o seu espírito. Em seguida, controle o deles até que você possa ensiná-los a controlarem-se a si próprios. “Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se.” (Prov. 25:28). “esteja no ser interior, que não perece, beleza demonstrada num espírito dócil e tranquilo, o que é de grande valor para Deus.” (1 Ped. 3:4).

Procura seus próprios interesses. Nós, mulheres, somos bombardeadas todos os dias com o incentivo para “fazermos nossas próprias coisas” e termos “a nossa própria vida”. Apenas alguns anos atrás, teríamos chamado essa atitude de “egoísta e egocêntrica”. Mas pode ter certeza que o egoísmo só vai colher tristeza e arrependimento. A Palavra de Deus diz: ”Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos.” (Filipenses 2:3).

Não se ira facilmente. O seu pavio é curto? Você perde a paciência rápido? A maioria do que fala é elevando sua voz? “O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão.” (Prov. 15:18). “Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade.” (Prov. 16:32). “A sabedoria do homem lhe dá paciência; sua glória é ignorar as ofensas.” (Prov. 19:11).

Nós devemos aprender a ser discretas quando somo ofendidas ou desapontadas. “Como anel de ouro em focinho de porco, assim é a mulher bonita, mas indiscreta.” (Prov. 11:22). A realeza é ensinada a controlar seus sentimentos em público. Senhoras, somos filhas do Rei, devemos, portanto, agir em conformidade na presença de todos os outros e ensinar nossos filhos a fazerem o mesmo.

Tudo sofre. Deus espera que suportemos os fardos com a Sua ajuda. Os fardos de uma mãe às vezes podem parecer insuportáveis. Este é o momento de correr para Ele. “Bendito seja o Senhor, Deus, nosso Salvador, que cada dia suporta as nossas cargas.” (Sl 68:19). “Porque é louvável que, por motivo de sua consciência para com Deus, alguém suporte aflições sofrendo injustamente.” (1 Pe 2:19).

Tudo crê. Para seguir as Escrituras na hora de treinar, disciplinar e corrigir nossas crianças será preciso fé. Mas, glória a Deus! Nós temos a Sua promessa de que nós não seremos desapontadas! “...Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação.” (Romanos 10:10). Como diz a Escritura: “Todo o que Nele confia jamais será envergonhado” (Romanos 10:11). Autores e fabricantes nos dizem que se seguirmos as suas direções ou comprarmos seus produtos isso mudará nossas vidas. Confie no nosso Criador e autor da vida para receber Suas Promessas!

Tudo espera. Nossa esperança para as nossas crianças deve estar no Senhor. Conforme você O segue em obediência à Sua Palavra e tem fé que Ele irá completar o que Ele começou em nós e em nossos filhos, sabemos que Ele irá completar a obra. Esta é a nossa esperança! “O que o justo almeja redunda em alegria, mas as esperanças dos ímpios dão em nada.” (Prov. 10:28). “Saiba que a sabedoria também será boa para a sua alma; se você a encontrar, certamente haverá futuro para você, e a sua esperança não vai decepcioná-lo.” (Prov. 24:14).

Tudo suporta. Maternidade é muito difícil algumas vezes. Quando achamos que estamos no fim do nosso limite, Deus nos encoraja a nos segurarmos Nele. “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Mat. 24:13). “Todos odiarão vocês por minha causa; mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Marcos 13:13).

O amor nunca falha. Essa é a nossa maior promessa: Seu amor por nós e nosso amor pelos outros, especialmente suas crianças, nunca falhará! “O ódio provoca dissensão, mas o amor cobre todos os pecados.” (Prov. 10:12). “Melhor é a repreensão feita abertamente do que o amor oculto.” (Prov. 27:5). “Quem é comparável a ti, ó Deus... Tu (Deus) que tens prazer em mostrar amor.” (Miquéias 7:18). Sempre que eu não sei como devo lidar com minhas crianças, eu escolho lidar com amor, já que eu tenho a promessa de que o amor nunca falha!

 Como eu posso transmitir meu amor para os meus filhos?

Muitas mães dão aos seus filhos coisas materiais, mas crianças precisam de algo mais. Elas precisam de você!

Seu tempo. A coisa mais importante que você pode dar ao seu filho é o seu tempo. Quando nós gostamos de alguém, ou amamos alguém, queremos gastar nosso tempo com eles. Onde a maioria do seu tempo é gasto? Onde o seu filho se torna menos importante para você? Se você espera que apareça algum tempo para os seus filhos, então quando isso acontecer, talvez eles não sejam mais crianças! Em seguida, eles irão mostrar gratidão a você tendo pouco ou nenhum tempo para gastar com você. O que poderia ser mais importante do que seu menino ou menina? Sabemos que perdemos tanto tempo precioso em coisas que não significarão absolutamente nada daqui a alguns anos. Há uma recompensa tão grande em gastar nosso tempo com nossos filhos. É o maior investimento que você pode sempre fazer. Você estará investindo no futuro deles e no seu futuro também.

Olhe nos olhos. “Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos.” (Salmos 32:8). Precisamos ensinar e instruir nossos filhos com os nossos olhos. Mas como podemos fazer isso quando a maior parte do nosso tempo é gasto colocando nossas crianças em uma infinidade de atividades? Mesmo se participamos assistindo, muitas vezes estamos em uma profunda e animada conversa com outra mãe. Nossas vidas são apressadas, estressantes, muito cheias de compromissos, e muito muito cansativas.

Se nossos filhos não estão por perto por causa da escola, esportes, aulas de música e outras atividades, como podemos instruir ou orientá-los? Devemos ter tempo para olhar em seus olhos, para mostrar nosso amor por eles e para instruí-los. Eles devem saber que eles são a menina dos nossos olhos! “Guarda-me como à menina do olho...” (Sl. 17:8). Todas as atividades e talentos que parecem nos manter tão ocupadas, usualmente são temporários; então, isso tem apenas um valor temporário. “Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” (2 Cor. 4:18).

Seu toque. Tocar é muito importante. Há poderes de cura e de conforto.

Considere esses versos:

“E traziam-lhe também meninos, para que ele lhes tocasse...” (Lucas 18:15).

“E traziam-lhe meninos para que lhes tocasse...” (Marcos 10:13).

“E chegou a Betsaida; e trouxeram-lhe um cego, e rogaram-lhe que o tocasse.” (Marcos 8:22).

“E toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele virtudee curava a todos.” (Lucas 6:19).

“E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude.” (Lucas 8:46).

O primeiro toque. A decisão de amamentar é uma decisão que é feita na primeira consulta pré-natal da maioria das mulheres. Veremos que a amamentação não é só para comida, mas também para o primeiro toque do seu bebê. As empresas de papinhas são agora obrigadas por lei a dizer a verdade em seus anúncios que o leite materno é o melhor para o bebê. Como mães, queremos o melhor para nossos bebês. Por causa de nossos fracassos passados ​​de cuidados, pois pretendemos voltar ao trabalho, ou apenas porque queremos “deixar” o bebê, às vezes, podemos escolher uma imitação de leite e sucção substitutos para os nossos bebês. Muitas vezes é a nossa própria mãe ou os nossos amigos que nos encorajam a usar a mamadeira. Como uma mulher mais velha, eu quero encorajar as mulheres mais jovens a alimentar com leite materno todos os seus bebês, já que as mulheres mais velhas devem “... encorajar as mulheres mais novas a amarem seus maridos, a amarem seus filhos...” (Tito 2:3-4).

Nós devemos confortar ou não? “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.” (2 Cor, 1:3-4). A resposta natural de uma mãe cujo bebê ou a criança está chorando é confortar. Especialistas vêm e vão, juntamente com as suas recomendações sobre responder a uma criança chorando. Estamos neste momento sendo ensinadas que nossos filhos devem confortar-se a si mesmos, para ajudá-los a tornarem-se independentes.

Crianças são confortadas abraçando um bicho de pelúcia, balançando-se, chupando o polegar ou os dedos, ou com uma chupeta. Crianças cujas necessidades foram frustradas nunca parecem “desmamar” completamente ou no momento adequado. Isso faz com que aquelas a quem foi dado um “substituto” para a provisão de Deus tornem-se inseguros. Estas crianças estão sugando mais e mais. Se você parar para olhar ao redor, você vai notar que elas não são apenas bebês sugando seus polegares, mas também crianças em idade escolar primária e mais velhos! Isto agora é comum e aceito em escolas de hoje! Este deve ser um aviso para nós que algo se desviou do plano e projeto perfeito de Deus. Os caminhos de Deus são sempre perfeitos.

Devemos ouvir e responder às crises de nossas crianças ou não? Nós imploramos a Deus, pedimos a Ele para nos ouvir, para nos confortar e para nos ajudar? “Ouve, Senhor, a minha voz quando clamo; tem também piedade de mim, e responde-me.” (Sl 27:7). “Ouve... quando a ti clamar, quando levantar as minhas mãos para o teu santo oráculo.” (Sl 28:2). “... e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas...” (Sl 39:12). Não vamos ignorar os gritos de nossos filhos por nós! Queremos “especialistas” ou homens mais velhos dizendo aos nossos maridos para ignorar os nossos gritos e que é bom para nós chorarmos sozinhas? Claro que não! Mesmo que nada funcione quando você tenta consolar seu filho, o seu filho ainda pode sentir o seu amor. NINGUÉM quer ouvir o marido dizer algo sobre suas lágrimas, como “Oh, isso é só porque você está grávida” ou “Você apenas teve um dia ruim” ou “É só aquele período do mês.” Queremos compreensão e conforto. Queremos estar nos braços de nossos maridos.

Técnicas de maternidade vêm e vão. Diferentes psicólogos e peritos da criança nos dizem coisas diferentes. Vamos manter os seus conselhos a “luz” da Escritura para ver claramente a Verdade. Então, estaremos fundamentadas sobre a Rocha.

O toque na hora do banho. Em nosso mundo apressado, estamos banhando nossas crianças cada vez menos. Vemos essas crianças nos mercados, sem banho e descuidadas. Tomar banho, quando feito sem pressa, vai dar-lhes um tempo para relaxar e se acalmar. Quando lavamos nossas crianças com “carinho”, isso ajuda o nosso filho a se sentir amado. Após o banho, a criança está tão macia e cheirosa que naturalmente abraçamos e as mantemos perto. Mães, nossos filhos precisam desse tipo de amor sem pressa de nós. E quando você já estiver terminado de segurá-los ou de ler um livro de histórias para eles, diga para eles se sentarem calmamente no colo do papai para incentivar um toque de amor dele. Você não pode dar aos seus filhos um presente melhor.

Eles são grandes. Você pode estar lendo isso e pensando que é tarde demais, porque seus filhos estão crescidos. Não, nunca é tarde demais para mostrar amor. Comece agora mesmo a amar seus filhos crescidos. Comece com suas palavras. Eles são amados, aceitos e cuidados? Estabeleça as bases com um abraço carinhoso e um “eu te amo”, não importa qual seja sua idade.

Eles são muito grandes. Ninguém é grande demais para precisar de carinho e um toque suave. Se eles estão em seus anos de adolescência, comece com uma cutucada amorosa, um arranhão costas, um aperto carinhoso em seu braço, ou um abraço rápido. Dê-lhes um sorriso com os olhos e os elogie por alguma coisa. Peça a Deus que crie a oportunidade perfeita para você dizer algo amável, carinhoso e sincero.

Arrependimento. Você já cometeu erros ou você tem arrependimentos sobre sua maternidade? Você compartilhou esses arrependimentos com o seu filho crescido? É humilhante, mas gratificante. “A soberba do homem o abaterá, mas a honra sustentará o humilde de espírito.” (Prov. 29:23). Se a sua família precisa de cura, há uma receita das escrituras. “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16).

Talvez você devesse começar confessando suas falhas a uma amiga próxima, de modo que ambas possam banhar-se em oração. Ore por uma oportunidade, pelas palavras certas a serem ditas e para que o coração de seu filho adulto seja receptivo a ouvir. Esteja preparada para ouvir suas mágoas. Deus nos diz: “O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte, e contendas são como os ferrolhos de um castelo.” (Prov. 18:19). Mas não desanimamos. Prov. 10:12 diz: “O ódio excita contendas, mas o amor cobre todas as transgressões.” E 1 Pedro 4:8 diz: “Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados.” Certifique-se de que você aceita toda a responsabilidade. Pode ser sábio rever os capítulos 3 e 4, “Espírito Manso e Tranquilo” e “Bondade em Sua Língua” antes de seu encontro.

Disciplina amorosa. Nós também devemos expressar o nosso amor pelos nossos filhos com a disciplina amorosa. “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.” (Ap. 3:19). Nossas crianças precisam de nossa disciplina para que outros possam amá-los também. Temos ouvido o ditado: Ele é um filho que só uma mãe poderia amar. Uma criança que é indisciplinada, rebelde e com falta de auto (ou parental) controle tem feito um grande desserviço por seus pais. É especialmente vergonhoso para a mãe. “A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança que segue o seu próprio caminho envergonha a sua mãe.” (Prov. 29:15). Nossos filhos precisam de nós para treiná-los para que eles possam tornar-se adultos responsáveis. Isso tudo leva tempo, paciência e bondade. Você terá de suportar muitas coisas, acreditar em muitas coisas, esperar muitas coisas e superar muitas coisas, mas esse tipo de amor nunca falha!

A Nossa Fundamentação para a Disciplina Deve Ser a Palavra Dele

Para ensinar, para reprovar, para corrigir, para treinar. Disciplina é citada 90 vezes no Antigo Testamento, quando Deus disciplina Seus filhos e quando os filhos de Deus disciplinam seus próprios filhos. Disciplina é encontrada 36 vezes em Provérbios, quase sempre referindo-se à relação pai-filho. Se queremos ser bem instruídos na educação das crianças, devemos ler e marcar estes versos em Provérbios como nossa base para formação dos nossos filhos. “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” (2 Tim. 3:16-17). Conforme veremos nos versos seguintes, a disciplina é uma ferramenta para a restauração, ao invés da condenação, para trazer uma pessoa de volta para o seu correto lugar espiritual.

Saber o que estava em seu coração. Correção nem sempre denota a imposição de dor ou decepção. Como mães, devemos viver vidas disciplinadas, a fim de disciplinar corretamente e corrigir os nossos filhos. Devemos estar determinadas a vencer todos os conflitos com o nosso auto-controle e não “ceder” ou ignorar o comportamento ou atitude. “…Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade,mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” (Gal. 5:22). Você tem sido negligente na hora de corrigir pois você não quer ser incomodada? “Deus o deixou, para prová-lo e para saber tudo o que havia em seu coração.” (2 Crôn. 32:31).

Sua Palavra é Verdade. Nós também descobrimos que Deus sempre precede a Sua puni-ção física avisando primeiramente com Sua Palavra. “A verdade é a essência da tua palavra, e todas as tuas justas ordenanças são eternas.” (Salmos 119:160). Isso é chamado de correção. O dicionário define disciplina como “treinamento que deverá produzir um caráter ou padrão de comportamento especificado.” Como pais, devemos usar a disciplina ou o castigo físico para mudar o padrão de comportamento da criança e provocar uma mudança de caráter.

O que tem nos impedido de seguir a Palavra de Deus?

Não saber as Escrituras. É nossa responsabilidade conhecer as Escrituras bem o suficiente para impedir que sejamos enganados. “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da Verdade.” (2 Tim. 2:15).

Andará cambaleando. A falta de instrução apropriada proveniente da Palavra de Deus em nossas escolas dominicais e do púlpito tem resultado na repercussão de grandes quantidades de crianças rebeldes. “Certamente morrerá por falta de disciplina; andará cambaleando por causa da sua insensatez.” (Provérbios 5:23).

Falta de conhecimento. Nos falta o conhecimento Bíblico para treinar corretamente e disciplinar nossas crianças. Então, “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento.” (Oseias 4:6).

Voltando-se para discussões inúteis. Muitos Cristãos seguem os “experts” mais populares de hoje. Entretanto, é dito nas Escrituras que não devemos dar atenção a eles. “...ordenar a certas pessoas que não mais ensinem doutrinas falsas, e que deixem de dar atenção a mitos e genealogias intermináveis... Alguns se desviaram dessas coisas, voltando-se para discussões inúteis...” (1 Timóteo 1:6).

Mitos. É dito que nós iremos procurar o que nós “queremos” ouvir. “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.” (2 Timóteo 4:3-4). Alguns dos mitos mais populares que prevalece nos livros cristãos e são teorias de disciplinas aceitas de disciplina entre os cristãos:

A criança teimosa. Ao procurar a Escritura, você vai achar que Deus não faz distinção entre tipos de personalidade, tais como força de vontade, a melancolia, o leão, etc para disciplinar, treinar ou ensinar crianças. Certamente, uma criança que não obedece quando repreendida deve ser tratada com cuidado para que não seja negligenciada a Palavra de Deus. Devemos ter muito cuidado e resistir para não acrescentarmos nada à Palavra de Deus. “Nada acrescentem às palavras que eu lhes ordeno e delas nada retirem, mas obedeçam aos mandamentos do Senhor, o Deus de vocês, que eu lhes ordeno.” (Deuteronômio 4:2).

Outra coisa que nos é dito erroneamente é não partir o “espírito” da criança. Mas o objetivo da punição é destruir o “espírito” da rebelião. Se você diz para a criança não fazer alguma coisa e ela faz isso, você deve punir a rebelião. Ameaçar não vai destruir um “espírito” da rebelião. Na verdade, a constante ameaça só irá intensificar o espírito de rebelião. Você deve castigar com a vara. Nunca “ameaçar”. Você deve sempre falar sério e realizar o castigo depois de ter avisado. Se você não fizer isso, você estará mentindo para o seu filho! “A rebelião está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela.” (Provérbios 22:15).

Desafio deliberado. Outro equívoco encontrado em livros populares sobre a disciplina é que devemos somente disciplinar a “provocação deliberada.” No entanto, nós claramente encontramos na Escritura que esta não é a Verdade. “Insensatez” é também um apelo para a punição, por exemplo, se uma criança se esquece de fazer as coisas que lhe disseram para fazer. “A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela.” (Provérbios 22:15). Mas por que nós adotamos algo que é falso e não encontrado nas Escrituras? Será que nós queremos ouvir algo falso sobre a disciplina da criança? Isso poderia ser o nosso medo da Verdade?

Temor ao homem cai em armadilhas. Mas se aplicarmos a disciplina da forma que a Escritura nos diz, bem, o que dizer dos Direitos das Crianças e abuso infantil? Mais uma vez, vamos olhar para as Escrituras para a Verdade. “Quem teme ao homem cai em armadilhas, mas quem confia no Senhor está seguro.” (Provérbios 29:25).

Não tema a censura de homens. O que os outros (família e amigos) vão dizer? “Ouçam-me, vocês que sabem o que é direito, vocês, povo que têm a minha lei no coração: Não temam a censura de homens nem fiquem aterrorizados com seus insultos.” (Isa. 5:17). (Insultos significa ataque verbal. Censura é definido como repreensão, desonra ou descrédito). Nós não devemos então nos preocupar com os ataques ou com o descrédito e desonra dos outros para conosco. “E você, filho do homem, não tenha medo dessa gente nem das suas palavras. Não tenha medo, ainda que o cerquem espinheiros, e você viva entre escorpiões. Não tenha medo do que disserem, nem fique apavorado ao vê-los, embora sejam uma nação rebelde.” (Ezequiel 2:6).

Não acrescente às Suas Palavras. Afaste-se das “teorias” e “técnicas” de correção do mundo de hoje, ou seja, “pausa”, “castigo” ou remoção de privilégios, etc, que são usadas em vez de usar a vara. “Nada acrescente às palavras Dele, do contrário, Ele o repreenderá e mostrará que você é mentiroso.” (Provérbios 30:6).

Seus caminhos. Faça uma aliança com Deus se comprometendo a seguir os Seus caminhos independente do que o mundo diga.

A Verdade na Disciplina

Vamos olhar para as referências específicas nas Escrituras para obtermos sabedoria:

Quando você pune uma criança, isso prova a ela que você a ama. “Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo.” (Provérbios 13:24). Eu expliquei aos meus filhos que eu não disciplino outras crianças, só as minhas. Isso é porque eu os amo da mesma forma como o Pai Celestial nos ama e Ele só disciplina aqueles que são Seus. “Aqueles a quem o Senhor ama Ele disciplina, e ele castiga todo aquele a quem aceita como filho.” (Heb. 12:6).

A hora de repreender é no começo. Não espere para tirar seus filhos de seus maus caminhos. “Corrija os seus filhos enquanto eles têm idade para aprender (cedo); mas não os mate de pancadas.” (Provérbios 19:18). Isso significa disciplinar cedo em idade e em desobediência. Então, muitos pensam que você não pode ou não deve treinar um bebê para fazer a coisa certa. No entanto, você ficaria surpresa com o que uma criança muito pequena é capaz de entender. A coisa mais difícil de mudar é o comportamento (ou atitude) que um bebê ou uma criança mais velha foram autorizados a desfrutar. Pare e puna o mau comportamento a primeira vez que eles fizerem isso.

O Tolo despreza a sabedoria e instrução. Podemos ver que não devemos apenas coagir a “vontade” da criança, mas temos de romper o “espírito” de rebelião. Mas como podemos saber se é a vontade ou o espírito que tem gritado? Se a criança demonstra algum tipo de raiva, ressentimento ou sarcasmo após a punição, isso significa que o espírito de rebelião ainda está lá! “O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução.” (Prov. 1:7). A rebelião se opõe à autoridade e então se opõe a Deus.

Ele não morrerá. A dor temporária é proveitosa para a mudança de caráter permanente. Quem é mais forte e mais determinado, você ou seus filhos? “Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá.” (Provérbios 23:13). Na vida, nós enfrentamos dor “por uma temporada” para desfrutar o que Deus quer nos dar para a vida toda.

Quais são os benefícios de corrigir seus filhos corretamente? Os benefícios reais da punição são espirituais. “Discipline ela com a vara e você salvará sua alma da sepultura.” A “Living Bible” diz, “Elas não morrerão se você usar a vara neles; a punição os livrarão do inferno.” (Prov. 23:14).

Novamente, quando você disciplina uma criança, isso prova que você a ama. “Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo.” (Provérbios 13:24).

O propósito da punição é o redirecionamento da vida. “O chicote é para o cavalo, o freio, para o jumento, e a vara, para as costas do tolo!” (Provérbios 26:3). Não use um chicote já que seu filho não é um cavalo, nem um cinto já que seu filho não é um burro. Para seguir as Escrituras, devemos usar uma vara “verde” na parte traseira. Nós usamos uma chave que traz o verdadeiro arrependimento. “A vara da correção dá sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.” (Provérbios 29:15). Evitar punição acabará por trazer vergonha para você como mãe. Todas as Escrituras são claras sobre a punição: a vara é a única “cura” para a rebelião. Outras “técnicas” podem ser utilizadas depois da vara, mas elas raramente são necessárias e devem ser usadas ​​com moderação e cautelosamente.

O ministério da reconciliação. “Você está de Castigo!” Muitos pais acreditam e praticam o método do castigo. Durante um determinado período de tempo, a criança deve ficar “na casa de cachorro”, por assim dizer. Mas isso não é bíblico. Temos de aplicar castigos físicos (a vara) e, em seguida, treinar nossos filhos para pedir perdão. Então devemos perdoar! “Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação.” (2 Cor. 5:18-19).

Perdoe e os conforte. Mostre seu amor por eles depois. “...vocês devem perdoar-lhe e consolá-lo, para que ele não seja dominado por excessiva tristeza. Portanto, eu lhes recomendo que reafirmem o amor que têm por ele.” (2 Cor. 2:7-8). 

Aplicando a Vara:

Ele que os ama, os disciplina. Você ama suas crianças o suficiente para usar a vara? “Discipline seu filho enquanto há esperança, e não deseje a sua morte.” (Prov. 19:18). “O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga.” (Prov. 13:24). E, “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.” (Apocalipse. 3:19).

Muitos pais deixam seus filhos agirem com desobediência porque eles não conseguem dizer-lhes o que é esperado deles e não acham que é “justo” aplicar a vara. Em vez disso, eles alertam, alertam e alertam. Quando você diz aos seus filhos o que eles devem fazer ou não fazer, veja se há uma referência para o seu ensino na Bíblia. Se houver uma escritura específica que se aplica, em seguida, abra a Bíblia e leia (você ou eles) em voz alta. Senhoras, este é um bom motivo para conhecer a Palavra!

Seu objetivo no uso de uma vara (uma batida) é para a criança associar o pecado com a dor. O que é mais importante é que a criança saiba, através de suas ações, que você não está com raiva dela, mas que você odeia o pecado. Isso não é seguir o mesmo padrão que o nosso Pai celestial usa com a gente? Deus nos disciplina, mas Ele nunca deixa de nos amar.

Quando você chama uma criança para que ela venha até você, e ela opta por não cumprir, simplesmente caminhe até ela e bata na parte de trás de sua  pequena perna, o que vai encorajá-la a se mover. Quando uma criança é instruída para não chamar quando quer uma bebida ou qualquer outra coisa depois que ela foi colocada na cama, é tão simples como ir até ela, puxar as cobertas e aplicar uma pequena batida com a vara. Em seguida, se abaixe, dê um beijo novamente e diga-lhe gentilmente e amorosamente para não chamar de novo. Quando duas crianças foram orientadas a não lutar, é tão simples como caminhar até elas e dar em cada uma delas uma rápida batida com a vara. Não há necessidade de gritar, ficar com raiva ou explicar!

Se elas parecerem chocadas, você pode explicar depois que você já tiver aplicado a vara. Há muitos pais que gastam tempo discutindo com seus filhos. Mães, a sua família não é uma democracia. Deus, em sua infinita sabedoria, criou uma linha de autoridade para um propósito. Não mine a sua autoridade com debates verbais com seus filhos. E não espere até que você esteja com raiva. “O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos” (Prov. 17:22). Se você esperar, achando que eles vão vir, ou obedecer, ou parar o que estão fazendo, então há uma boa chance de que você fique com raiva. Se, em vez disso, você aplicar a vara logo em seguida, o que traz dor, você poderá manter o seu semblante alegre.

A tristeza os levou ao arrependimento. O uso de uma vara é para trazer obediência e arrependimento. “Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa.” (2 Coríntios 7:8). “Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.” (Provérbios 23:14). Se neste momento você quer me dizer que seus filhos não vão reagir a uma vara ou qualquer outra correção física, então você não está aplicando o suficiente disso ou não está sendo fortes o suficiente! Você simplesmente deve se certificar de que doa.

Muitos pais têm medo de danos permanentes, ou eles estão com medo de se tornarem abusivos. Tudo o que uma criança precisa é sentir os “efeitos completos” de uma vara uma vez, para que eles respeitem sempre a vara e seus pais. Abuso decorre de raiva. Se você “cortar o mal pela raiz” toda vez, em vez de ignorar o comportamento inadequado, então você nunca vai chegar ao ponto de abuso. Abuso está aumentando porque os pais deixaram de usar o castigo físico com seus filhos. No momento em que a criança tenha esgotado totalmente a paciência do pai (porque todos os outros métodos simplesmente não funcionam), então o pai esgotado age perdendo o controle.

Fala do que está cheio o coração. É importante pedir para que seja dito um “me desculpe, por favor me perdoe por...” já que “O coração do sábio ensina a sua boca, e os seus lábios promovem a instrução.” (Provérbios 16:23). “O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração”. (Lucas 6:45). Isso deve ser sincero, sem qualquer ressentimento, raiva ou persuasão. Se novamente a criança se rebela contra a sua autoridade, recusando-se a cumprir com o seu pedido com o coração certo, então, repita as batidas até que elas sintam os “efeitos completos”.

Serás aceito. Você deve ver o verdadeiro arrependimento. “...Por isso Caim se enfureceu e o seu rosto se transtornou. O Senhor disse a Caim: “Por que você está furioso? Por que se transtornou o seu rosto? Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo”.” (Gênesis 4:5-7). Se você está com muito medo de seguir adiante, e se você permitir que exista a raiva secreta deles em relação à sua autoridade, você um dia verá que a amargura deles em direção a você irá destruir seu relacionamento.

Perdoe e console. Se você tem um filho cujo espírito rebelde foi quebrantado, então reafirme seu amor por ele, verbal e fisicamente. Abrace-o ou o mantenha em seu colo, se ele não for muito velho ou muito pesado. “Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor.” (2 Coríntios 2:8). “A punição que lhe foi imposta pela maioria é suficiente. Agora, pelo contrário, vocês devem perdoar-lhe e consolá-lo, para que ele não seja dominado por excessiva tristeza.” (2 Coríntios 2:6-7). Neste ponto, não deve haver nenhuma necessidade de você “colocá-los de castigo” ou “mandá-los para o seu quarto”, “tirar os seus privilégios” ou usar qualquer outro meio de punição.

Refirme o seu amor por eles. Após usar a vara em sua criança, tenha a certeza de mostrar o seu amor por ela.  “Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor.” (2 Coríntios 2:8). Nunca corrija ou use a “vara” na frente de outras pessoas que são de fora da família imediata. Nós nunca devemos envergonhar nossas crianças enquanto deixamos quem está vendo embaraçados. “Façam tudo com amor.” (1 Coríntios 16:14). “O sábio de coração é considerado prudente; quem fala com equilíbrio promove a instrução.” (Provérbios 16:21). O amor é um importante fundamento que você precisa demonstrar para seus filhos. “O objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera.” (1 Tim. 1:5). Tenha a certeza de que a sua atitude demonstre que tudo está perdoado e esquecido.

Aviso: Se você como mãe seguir as medidas adequadas de correção, então não haverá necessidade de puni-los uma segunda vez “quando seu pai chegar em casa”. Se você quiser que seu marido fique ciente de um problema que aconteceu durante o dia, então diga a ele em particular. Mesmo o nosso sistema judicial não permite que qualquer pessoa seja julgada duas vezes pelo mesmo crime!

Paz e prazer à sua alma. A Palavra de Deus é verdade. Você confia Nele ou você confia nos conselhos ou avisos do mundo? “Discipline seu filho, e este lhe dará paz; trará grande prazer à sua alma.” (Prov. 29:17).

Faça um Compromisso

Não espere demais. Comece a treinar e disciplinar seus filhos enquanto eles são jovens. Não espere para corrigir o mau comportamento. Entre em ação tão logo ele comece a desobediência ou a atitude desagradável.

Autor da rebelião. Lembre-se que o autor da rebelião é Satanás. Deus é o autor da disciplina e da autoridade. A quem você servirá? A quem suas crianças irão servir?

Gera respeito. Disciplina gera respeito por você e por toda autoridade. Além disso, a falta de correção adequada gera desrespeito por você e por toda a autoridade.

Confesse seus pecados. A correção dos pais é apenas temporária, você só tem alguns anos! Então comece cedo, enquanto o barro está mole. Se você esperar até que eles sejam adolescentes, você terá que usar uma marreta para quebrar o concreto. Se os seus filhos estão crescidos e você não os disciplinou e treinou biblicamente, então você provavelmente já teve muita dor de cabeça e muitas noites sem dormir. Seu conforto está na oração! Deus é um Deus de milagres. Confesse sua falta de obediência à Sua Palavra e Seus caminhos em relação ao seu filho adulto. “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.” (Tiago 5:16).

Energia e comprometimento. Será necessário energia e comprometimento de sua parte, mas os resultados valem a pena! Pague o preço agora ou ore mais tarde! 

Treinamento

Educar uma criança para ser um adulto Divino leva mais do que disciplina; é preciso treinamento. “Ensina a criança no caminho em que deve andar, mesmo quando envelhecer não se desviará dele” (Prov. 22:6). Este versículo diz para treiná-lo no caminho em que deve andar, e não no que “não deve” andar. Muitas vezes nós gastamos todo o nosso tempo dizendo a criança “não” ou o que não fazer, em vez de usar o tempo para treinar. Ao seguir a Palavra de Deus, você vai evitar a necessidade de muita disciplina. Treine seus filhos para que eles saibam o que fazer

Falta de conhecimento. As Escrituras dizem: “O Meu povo pereceu por falta de conhecimento.” (Oséias 4:6). As suas crianças estão perecendo por causa da falta de informação sobre o que elas devem fazer? (Para mais informações leia e aplique o livro “Workers@Home”. Isso irá te ajudar a dar direções CLARAS às suas crianças, o que irá resultar em crianças bem treinadas que até outras pessoas irão comentar!).

O que o homem plantar. Nós mandamos nossos filhos para a escola ou para a escola dominical para eles obterem conhecimento, mas Deus deu eles para nós. Eles estão aprendendo o que nós iríamos ensinar, se tivéssemos tempo para isso? Vamos lembrar: “Não erreis, Deus não se deixa escarnecer; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.” (Gal. 6:7).

Ele deve andar. Se eles não forem treinados e disciplinados, podemos honestamente afirmar: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, mesmo quando envelhecer não se desviará dele.” (Prov. 22:6).

Deixei para trás as coisas de menino. Portanto, se quisermos reivindicar a promessa de Prov. 22:6, temos de ensinar e treinar nossos filhos. Ajude-os a acabar com as coisas de menino à medida que crescem até a idade adulta. “Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino. (1 Coríntios 13:11). Ensine e treine seus filhos para terem essas qualidades de caráter:

Trabalhar com Empenho

 Ensine a trabalhar com diligência. Diligência é entusiasmo, prazer, excitação, devoção e fervor. Ajude seu filho a aprender a boa ética de trabalho. Dê-lhes tarefas que eles devem fazer todos os dias. As mulheres que têm apenas um ou dois filhos muitas vezes não necessitam de ajuda de seus filhos com o trabalho doméstico ou com o trabalho no quintal. Por não ensiná-los a fazer a “sua” parte, você irá comprometer muito o futuro de seus filhos.

Desejado e necessário. Quando você pede a ajuda de uma criança, isso mostra a ela que ela é desejadanecessária. Há um capítulo no livro Workers@Home que irá ajudar a implementar um sistema com suas crianças que manteve a minha casa em ordem por mais de 20 anos! Eu tive tantos resultados positivos com esse sistema que eu espero fazer um vídeo algum dia!

Responsabilidade! Trabalho ensina a apreciar o que eles têm e, por sua vez os ensina responsabilidade! Se eles ganham o que eles têm, eles irão cuidar e apreciar tudo o que Deus os dará no futuro. Exigimos que os nossos filhos paguem por seus uniformes esportivos ou matrículas, currículo escolar, aparelhos ortodônticos, e muitas de suas próprias roupas. Agora que meus filhos são adolescentes eles são tão gratos por esta lição. Eles realmente me disseram isso na semana passada; incrível!

Emprego Remunerado

Trabalhos. Empregue os seus filhos criando trabalhos para eles ganharem dinheiro. Isso deve estar acima e além de suas funções normais. 

Quando são jovens. Comece primeiro olhando ao redor da casa para encontrar coisas que eles são capazes de fazer. Você não deve esperar até que eles estejam muito grandes; comece quando eles são jovens. Pagamos nossas crianças mais jovens com guloseimas ou privilégios ou umas meras moedas por um bom trabalho.

Do lado de fora. Depois, conforme eles crescem, eles podem começar a trabalhar no jardim, na garagem, ou no carro. O lado de fora é o passo seguinte após eles terem dominado as responsabilidades do lado de dentro da casa.

A vizinhança. Finalmente, depois que eles dominaram o trabalho dentro e fora de casa e deles estarem trabalhando bem, eles estão, então, prontos para trabalhar na vizinhança. Eles podem lavar carros, fazer o trabalho de quintal, alimentar os animais, levar latas de lixo para a rua e ajudar as mulheres mais velhas com as suas tarefas, conforme seus pais procuram por necessidades em seu bairro. 

Nota: Certifique-se de que ajudar você ou um vizinho nem sempre é por dinheiro; eles devem ser úteis para você, às viúvas e aos pobres.

Dinheiro que eles ganharam. O que eles fazem com o dinheiro que eles ganharam? É importante que você não pare com o processo de instrução, uma vez que eles ganharem dinheiro. Você deve instruí-los sobre como gastar o dinheiro que eles ganharam.

Desejo das crianças. A pior coisa que você pode fazer é realizar todos os desejos de seus filhos. Além disso, não substitua as coisas que eles tenham perderam ou danificaram, ou que tenham sido roubadas; isso aconteceu por irresponsabilidade deles.

Levar para a vida adulta. Tudo o que você ensina a fazer com o dinheiro que eles ganharam agora será transferido para a vida adulta. Você quer que eles confiem em você, quando eles estiverem fora, supostamente por conta própria?

Deus supre todas as nossas necessidades. Primeiro o dízimo! Ensine seus filhos que Deus supre todas as nossas necessidades. Deus só nos pede para dar-lhe 10% e ficamos com 90%! O dízimo é dado por tudo o que ganhamos. O dízimo não é dado quando a criança recebe o dinheiro como um presente de alguém.

Economize 10%. Economize! Ensine suas crianças a economizarem os próximos 10%.

Necessidades futuras. Pagar por suas necessidades. Olhe para frente por suas necessidades futuras, como já dissemos (dívidas, equipamento ou vestuário) ou, eventualmente, um presente de aniversário, presente do dia das Mães, etc.

Ensine a comprar de maneira sábia. Por último, a criança pode gastar em seus “desejos”. A cautela aqui é ensinar a compra sábia. Isso só pode ser feito se você exercer a compra sábia. A MELHOR maneira de começar a comprar o que você realmente precisa e vai usar, é lendo o Capítulo 2 do livro Workers@Home. Quando me livrei de TUDO o que eu tinha comprado, mas não usava, isso mudou a minha forma de comprar e isso tem feito o mesmo por inúmeras mulheres que tiveram os mesmos resultados.

Seu próprio dinheiro. Não permita brinquedos, jogos ou livros que tenham uma má influência sobre seu filho, só porque ele está usando o seu “próprio dinheiro.” Além disso, não permita que eles comprem roupas rebeldes (coisas que você não compraria para eles), só porque é o dinheiro deles.

A melhor compra. Ajude seus filhos a comprar coisas que irão durar, encontre a melhor compra e não se deixe levar por coisas da “moda”.

Organização

 Ensine organização. Você deve treinar uma criança para ser organizada, mas você não pode ensinar o que você mesma não aprendeu! Minha mãe, que Deus a abençoe, era a pessoa mais desorganizada que eu já conheci. Quando me casei eu não tinha ideia de como manter a minha casa organizada e funcionando perfeitamente. Se você tiver problemas nesta área, há esperança. Eu escrevi a maioria das ideias de como eu mantenho minha casa e família (de nove pessoas) funcionando perfeitamente. Uma mulher que possui todos os meus livros disse à amiga, “o livro Workers@Home é o MELHOR livro que eu já li. Ele funciona!” Boca Rotton, FL.

Da maneira que quiserem. Seja diligente sobre eles manterem os seus quartos em boa ordem. Muitas mães pensam que porque este é “o seu quarto” eles podem mantê-lo da maneira que quiserem, desde que a porta esteja fechada.

A casa delas. Portanto, um dia suas filhas irão manter a casas delas assim!

Foi autorizado a manter seu quarto! Muitas mulheres permitem que os seus filhos sejam relaxados. Eu não acho que você será muito popular com sua nora, quando o seu filho mantiver a casa dele da forma que ele foi autorizado a manter seu quarto!

Cuidado: Tenha cuidado sobre a criação de “atitudes territoriais” sobre o seu quarto e suas coisas. Você precisa ensinar e expor aos seus filhos que “não somos donos de nada”. Somos mordomos sobre tudo o que Deus nos confiou.

Como fazer isso. Ensine a eles como fazer todas as tarefas e deveres que são pedidos que eles façam.

Feito corretamente. Trabalhe junto da primeira vez, então depois, quando eles tiverem aprendido, periodicamente cheque o trabalho deles e tenha certeza de que esteja sendo feito corretamente.

Tudo está maravilhoso. Muitos especialistas dizem que vamos estragar a auto-estima de nosso filho se não dissermos “tudo está maravilhoso”. Então, depois que eles foram para o quarto, nós podemos “consertar” o que eles deixaram de fazer ou fizeram errado. As crianças querem e precisam da verdade. Não tenha medo de corrigi-los. Apenas certifique-se que isso seja motivado pelo amor, não por um desejo de provar-lhes um fracasso.

Construir a estima. Você não quer construir a estima de seu filho. (Se você não está convencida, releia a lição Humildade versus auto-estima.) 

Querendo melhorar. É importante treiná-los com o desejo de “querer melhorar”. Este deve ser um processo contínuo. Fazer as coisas corretamente deve ser buscado, não é uma questão de derrota.

Pronto para inspeção, Senhora. Minhas crianças dizem “Pronto para a inspeção, Senhora.” Então eu aponto as coisas que eles deixaram de fazer. Eu, então, volto mais tarde para verificá-las novamente. 

Prepare com antecedência. Ensine-os a se prepararem antes pondo a mesa na noite anterior para o café da manhã, colocando as roupas para o dia seguinte, fazendo as malas esportivas após as roupas estarem limpas e secas, e colocando as coisas na porta para serem levadas quando eles saírem. Você vai encontrar algumas dicas sobre isso no livro Workers@Home.

Trabalhos Domésticos

Diminua suas expectativas. Quando se trabalha com crianças, a paciência é mais necessária, juntamente com expectativas mais baixas do que poderíamos ter por nós mesmos.

Investimento no futuro. Pode ser mais fácil agora fazer tudo sozinha, mas, através da formação de seus filhos, você está investindo no futuro: seu e deles.

Não basta arrumar depois deles. Ensine-os a manter a sua casa limpa e arrumada. Chame-os (no quarto ou na casa), quando eles deixaram algo fora do lugar. Não basta arrumar depois deles!

Difícil de ser paciente. Fazer com que eles ajudem na cozinha pode ser útil também. Atenção: não faça este investimento quando o jantar está atrasado ou se você está esperando convidados; será difícil de ser paciente!

Treine seus jovens homens. Treinar os meninos a lavarem a roupa. Os trabalhos domésticos não são apenas para as meninas, pois a maioria dos homens vive por conta própria antes de casar. É terrível quando as mães não treinam os seus jovens homens. Será que a nora não irá simplesmente amar quando ela tiver seu primeiro bebê e seu marido for capaz de manter a casa limpa e toda a roupa lavada? Os meninos que tem cerca de 9 ou 10 anos podem facilmente aprender isso. Se você esperar até que eles estejam em seus anos de adolescência, você esperou muito tempo. Não espere até que eles sejam adolescentes para ensinar essas tarefas. Rebelião será mostrada, especialmente se você teve pouco ou nenhum controle sobre eles quando eram mais jovens.

A maneira mais fácil de “dizer” às crianças mais velhas (e menores também!) é implementar o método do cartão 3x5 que está no livro Workers@Home. Os jovens não parecem gostar de serem mandados a fazer as coisas. Este método está dizendo a eles sem lhes dizer.

Sugestão: Tire o título de “adolescente” de seu vocabulário. Ele conota rebelião. Eles são “jovens homens” ou “ jovens senhoras “ e você deve esperar que eles ajam dessa forma.

Espiritual

Fale sobre Deus. Converse com seus filhos sobre Deus, o Senhor, e como Ele desempenha um papel na sua vida cotidiana.

Orações diárias. Ore com eles sobre suas necessidades e medos. Peça-lhes para orar por suas necessidades, especialmente durante uma provação familiar. As orações diárias são o melhor remédio para as preocupações diárias.

Compartilhe suas provações. Você não está “empurrando religião goela abaixo” quando você compartilha suas provações e como o Senhor ajudou em todas elas. Não esconda tudo o que você atravessa enquanto um adulto para que eles não estejam despreparados para a vida. Mas, ao mesmo tempo, não os envolva em seus segredos e em detalhes que eles nunca deveriam ter de enfrentar enquanto crianças.

Atenção: As crianças têm ouvidos e ouvem tudo! Cuidado com o que você diz na presença delas e, sobretudo, observe a sua língua quando você estiver no telefone. Seus filhos não são seus melhores amigos. Eles precisam de você para ser a mãe e para protegê-los enquanto eles são jovens! Não transmita medo aos seus filhos.

Deus responde às orações. Use uma árvore de oração para mostrar como Deus responde às orações.

Veja a sua alegria! Viva a sua fé! Seja gentil e tranquila. Deixe-os ver a sua alegria no Senhor! Outra coisa que eu fiz com os meus filhos pequenos todos os dias foi colocar neles a armadura de Deus. Peça-lhes para representar, como se eles estivessem colocando cada pedaço da armadura. Meus meninos costumavam fazer a sua armadura com capacetes e espadas. Eles proclamavam em alta voz: “Esta é a minha espada do Espírito: a Palavra de Deus” “Eu estou vestindo sandálias da paz, para que eu possa ser um pacificador quando vejo problema” “Este é o meu escudo da fé, para que eu possa apagar todos os dardos inflamados do diabo quando ele atirá-los em mim!”

Leve-os ao Senhor cedo. (Não deixe esta bênção para um professor de escola dominical ou outro alguém). Se eles aprenderem com você que Deus é um Deus de AMOR, pela forma como você os trata, seus filhos vão querer a mesma relação com o Senhor que você tem com Ele e com eles.

Escondendo a Palavra de Deus em seus corações. Faça-os memorizar as Escrituras todos os dias. Esconder a Palavra de Deus em seus corações fará com que eles tenham o fundamento de que necessitam para um caráter verdadeiramente grandioso e de Deus. Você encontrará algumas dicas sobre memorização da Bíblia no livro Workers@Home.

Disciplinar e treinar. Ao seguir a Palavra de Deus disciplinando, treinando e corrigindo os seus filhos, você está dando um exemplo para que eles façam o mesmo com seus netos.

Respeito

“Honra a seu pai e sua mãe.” (Efésios 6:1). Essa deve ser o primeiro versículo que toda criança deve memorizar, a partir dos 2 ou 3 anos de idade.

Seguem seu exemplo. Tenha cuidado com a forma como você fala dos seus pais em frente dos seus filhos; eles seguirão o seu exemplo. Certifique-se de que você trate ou fale com seus pais do jeito que você quer ser tratada por eles quando envelhecer.

Glorificar crianças desrespeitosas. Não permita que seus filhos sejam desrespeitosos com outros adultos. Se você permite que eles assistam televisão em sua casa, você está treinando-os para serem rebeldes. O desrespeito por adultos é enfatizado em todos os seriados de comédia que eles assistem e em filmes que eles vêem. A glorificação de crianças desrespeitosas é muito popular nos dias de hoje.

Responder. Você permite que seus filhos lhe respondam? Se eles não responderem coisas como “sim senhora” ou “não senhor”, eles estão respondendo.

Nunca permita. Interrompa-os imediatamente (Leia o capítulo 4, “Bondade em Sua Língua”)

Sim senhora. Ensine-os lhe responder com “sim senhora” ou “sim mamãe”.

Espere até que as coisas se acalmem. Não grite com eles se eles lhe responderem uma vez que isso provavelmente fará com que eles gritem com você. Interrompa-os calmamente, e explique que isso, lhe responder, não acontecerá novamente.

Você é mentirosa. Se eles fizerem isso novamente e você não puni-los, você é mentirosa e você é uma abominação a Deus. Todas as vezes que você simplesmente ameaça seus filhos e não cumpre a sua ameaça, você é mentirosa. Substitua as ameaças por avisos e cumpra-os! Veja a lição 4 “Bondade em Sua Língua” e “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorarei seus filhos. ” (Oséias 4:6.)

Quantas vezes eu chamo? Nunca chame duas vezes. As crianças sabem quantas vezes você está disposta a chamá-los. Toda criança espera até o momento que vocês estejam prestes a “explodir” antes de vir.

Estou indo! Ensine-os a responder o seu primeiro chamado com “estou indo”! Isso começa ao ensinar seu bebê a dizer “estou indo mamãe” e depois pegar sua mão e trazê-lo até você, louvando-o durante o caminho.

Repentinamente incapazes de andar. Eles ficarem com “os joelhos fracos” e de repente não conseguirem andar, eles devem receber uma pequena batidinha.

Venha de boa vontade. Quando eles conseguirem pronunciar as palavras “estou indo mamãe”, eles pensarão que isso foi ideia deles e virão correndo e de boa vontade.

Você é muito preguiçosa? Não os chame se você está com preguiça para ir buscá-los quando os chamar da primeira vez. Lembre-se: obediência demorada é desobediência! Ensine-os a respeitar os outros reforçando o que você diz para eles.

Baseie todas as lições em um fundamento da Palavra. Não fale mal dos outros e não tolere isso em seus filhos. Eu sempre tento basear todas as lições na Palavra. Há muitos versículos sobre calúnia.

Demonstre respeito. Demonstre respeito pelas coisas e propriedades dos outros. Investir em outros os ensinará isso. Ajude-os a procurar por oportunidades de ajudar um dos seus vizinhos em seus lares. Você também pode fazê-lo ajudar um dos seus irmãos a arrumar o quarto, consertar a bicicleta deles ou fazer suas tarefas.

Conduta

 Apresentando-se. Ensine aos seus filhos a forma educada de apresentarem-se com “prazer em te conhecer”, com um sorriso (e um aperto de mão para os meninos). Minhas filhas viram um filme da Shirley Temple em que ela fez uma reverência. Elas fizeram isso ao serem apresentadas a um conhecido da sua avó. O senhor nunca esqueceu isso e contou a dezenas de pessoas sobre as adoráveis e bem-comportadas meninas que eram educadas em casa.

Etiqueta ao telefone. Ensine-os como se comportar ao telefone. Peça que eles identifiquem-se e falem “quem está falando, por favor?”. Depois, ensine-os a cobrir o telefone ou ir até você – nunca gritando!

Faça contato visual. Olhe-os nos olhos para que eles aprendam a fazer o mesmo. O fato de não conseguir fazer contato visual pode afetar a percepção de outros em sua sinceridade. As pessoas que eles conhecerem podem acha-los desonestos, sorrateiros ou pouco a vontade.

Você deixa seus filhos interromperem? Você encoraja interrupções permitindo que seus filhos consigam o que eles querem quando interrompem? Nunca permita que eles interrompam quando você ou outros estiverem falando. Ensine-os a:

Permanecerem quietos. Ensine-os a ficarem perto de você em silêncio. Após uma pequena espera, desculpe-se e pergunte em voz baixa o que eles precisam. Meus pequenos colocam a mão em meu braço para chamar minha atenção, sem dizer nenhuma palavra.

Vá e volte. Se eles interromperem, faça-os ir e voltar e fazer como você pediu – diversas vezes se for necessário!

Não ouça. E não ouça o que eles querem ou você estará criando interrupções!

Esperar até que você não esteja ocupada. À medida que envelhecem, o tempo que eles esperam deve aumentar. Quando tiverem mais ou menos 6 anos, eles precisam esperar até que você não esteja muito ocupada, a não ser que seja uma emergência. É claro que eles sempre podem lhe “dar um bilhete”. Quando você os responder, certifique-se de que você “pediu licença” à pessoa com quem você estiver conversando!

A atitude correta dever ser para toda a vida. Não use frases como “enquanto você estiver em minha casa você vai fazer isso...”. Seu objetivo não é desenvolver um homem ou mulher de Deus? O bom comportamento ou atitude correta deve ser para toda a vida. É importante desenvolver o caráter de uma criança e não simplesmente suprimir uma atitude da carne.

Não. Não fale mau dos seus filhos, nunca! Não diga que são mimados ou pior. Não diga que você mal pode esperar para que eles cresçam ou voltem para a escola. Você colherá o que plantou. Essa mesma atitude voltará para você depois. E também, você terá uma criança mimada em suas mãos nesse exato momento!

Escola em Casa

Muitas pessoas estranham o fato de eu ensinar meus filhos em casa. O Senhor sabe que não é meramente um compromisso, mas uma convicção. Embora não achemos que somos professores por não cabermos no molde típico, nós NUNCA entregaríamos nossos filhos nas mãos de outros para ensiná-los. Sejam quais fossem as dificuldades que encontramos durante nossos 16 anos de ensinar nossos próprios filhos, as BÊNÇÃOS que colhemos foram MUITO maiores do que quaisquer dificuldades que experimentamos.

Eis abaixo apenas alguns dos meus motivos e convicções para ensinar meus próprios filhos. Se você não está ensinando seus filhos em casa, espero que após essa leitura você sinta que é algo sobre o qual deva orar com seu marido. Pelo fato desse ser um capítulo escrito e ter trazido tantas perguntas de pais sobre educar seus filhos em casa E também pelo fato de Dan e eu termos um coração voltado para que pais ensinem seus próprios filhos, fizemos uma série de vídeos e um livro de caderno de atividades chamado Ensinando em Casa para Ele! (não disponível em português).

Você deve ensiná-los diligentemente. Deus lhes deu seus filhos para que você possa educa-los até a vida adulta. Como adultos, eles precisam saber, entre outras coisas espirituais, a ler, escrever e matemática. Uma pessoa só precisa ligar no noticiário, ler um jornal ou pegar uma revista para ver que aqueles que estão se graduando do colegial não possuem habilidades básicas. Grandes empresas agora precisam gastar dinheiro para corrigir habilidades dos jovens adultos da nação porque eles não aprenderam o básico em mais de 12 anos de escola. “Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar” (Deut. 6:7).

Deus lhes deu conhecimento e inteligência. Você investe anos para trabalhar na moral e sabedoria e então a escola desfaz tudo que eles aprenderam. E pra acabar com tudo, eles voltam seus filhos contra você mesma e coloca-os do lado dos seus pares. Daniel nunca teria conseguido permanecer sozinho se seus pais não o tivessem ensinado quando pequeno. Declaramos o versículo de Daniel 1:17 que diz: “A esses quatro jovens (Daniel, Hananias, Mizael e Azarias) Deus deu sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspectos da cultura e da ciência. E Daniel, além disso, sabia interpretar todo tipo de visões e sonhos.”

Decida-se. Assim como com todas as promessas, temos condições que devem ser cumpridas. As condições de Deus, que esses jovens encontraram, é que eles permanecessem imaculados. “Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles.” (Dan. 1:8). Se mantivermos nossos filhos imaculados como os pais desses jovens conseguiram, podemos então confiar que Deus dará aos nossos filhos o que eles precisam.

Pergunte-se a si mesmo: se seus filhos estão cercados pelo mal, eles permanecerão imaculados? O conhecimento do mundo é mais importante do que a condição de suas almas? Você quer que seus filhos aprendam religiões diferentes? O humanismo secular é ensinado em todas as escolas públicas e está entremeado em todos os assuntos. “Tirarei dos seus lábios os nomes dos baalins; seus nomes não serão mais invocados.” (Oséas 2:17).

Nossos dias. Você já considerou o tempo gasto na escola em comparação com o tempo deles em casa, com você, seu pai, irmãos e irmãs? “…Os nossos dias na terra são como uma sombra…” (1 Crônicas 29:15).

Um amigo do mundo é um inimigo de Deus. Você quer que seus pares tenham o primeiro lugar em suas vidas? Você quer que seus pares sejam as pessoas que eles mais querem agradar? Você não prefere que seja você e o Senhor em primeiro lugar em suas vidas? Você não quer que eles queiram agradar mais a Deus? “Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus.” (Tiago 4:3).

É vergonhoso até mesmo mencionar essas coisas. Todos conhecemos os problemas na escola: a pressão dos pares, drogas, sexo, bebidas e violência. Não só nossos filhos estão expostos a essas coisas, como as escolas estão agora educando nossos filho no mau! Estão ensinando nossos filhos sobre a AIDS, homossexualidade, controle de natalidade, denunciar os pais por abuso sexual e a lista continua. “Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz. Porque aquilo que eles fazem em oculto, até mencionar é vergonhoso.” (Efésios 5:11-12).

Afasta-se. Ao invés disso, ensine-os “Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança.” (1 Pedro 3:11). Eis uma história engraçada: Quando Cooper, que na época tinha apenas cinco anos de idade, estava aprendendo a ser um cavalheiro (quando suas irmãs ou eu estávamos nos trocando), ele se afastava e começava a cantar a melodia de “Dixie,” “Look away, look away, look away, godly man!” (afaste-se, afaste-se, afaste-se, homem bondoso!). 

Mantenha-se longe do tolo. Vamos considerar a Palavra de Deus quando Ela nos alerta, “Mantenha-se longe do tolo, pois você não achará conhecimento no que ele falar.” (Prov. 14:7).

Para que ele não caia. Você gostaria que seu marido trabalhasse em um bar ou algum outro lugar onde há imoralidade, drogas, violência e álcool desenfreados? Quanto tempo ele conseguiria “aguentar” antes que isso começasse a afetá-lo? “Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!.” (1 Cor. 10:12).

As más companhias corrompem os bons costumes. Seus filhos têm menos poder para resistir uma influência ruim do que um homem ou mulher adultos. “Não se deixem enganar: As más companhias corrompem os bons costumes.” (1 Coríntios 15:33).

Levar alguém ao tropeço. Se você colocar seus filhos em um ambiente que é mau e que corrompe a boa moral, esse versículo então não está direcionado a você? “Jesus disse aos seus discípulos: É inevitável que aconteçam coisas que levem o povo a tropeçar, mas ai da pessoa por meio de quem elas acontecem. Seria melhor que ela fosse lançada no mar com uma pedra de moinho amarrada no pescoço, do que levar um desses pequeninos a pecar.” (Lucas 17:1-2).

Eis apenas mais alguns dos benefícios de educar seus filhos em casa:

O ensino de sua mãe. Uma vez que você é a professora do seu filho, você pode ter certeza de que seu filho ou filha aprenderão tudo que eles precisam saber. Você não estará tentando ensinar 30 crianças, então você pode demorar-se para explicar cada criança o que ela estiver ou não estiver entendendo. Você não precisará seguir para uma nova lição até que ele a tenha entendido por completo. Isso é ensino pessoal, um método com o qual todas as crianças sobressaem-se. “Ouça, meu filho, a instrução de seu pai e não despreze o ensino de sua mãe. Eles serão um enfeite para a sua cabeça, um adorno para o seu pescoço.” (Prov. 1:8-9).

A sabedoria entrará em seu coração. Você pode gastar o tempo ensinando “acadêmicos” ao invés de gastar tempo ensinando sobre controle de natalidade, abuso sexual, reciclagem ou adoração à “mãe terra”. O tempo deles será gasto com sabedoria. Eles também terão a habilidade de tornarem-se líderes já que Deus separou aqueles que Ele escolheu para liderança, por ex.: Abraão, José, Moisés, João Batista e Jesus. “Pois a sabedoria entrará em seu coração, e o conhecimento será agradável à sua alma.” (Prov. 2:10).

Busque primeiro o Reino de Deus. Você poderá colocar a leitura da Bíblia e a memorização desta em primeiro lugar. Se você priorizar esses assuntos, então você poderá declarar o versículo: “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” (Mateus 6:33). Não se esqueça de que o livro Workers@Home, tem um ótimo método para memorizar a Palavra.

A qualidade que não perece, de um espírito dócil e tranquilo. Seu objetivo para suas filhas deve ser diferente daqueles dos seus filhos. Cada uma das suas filhas deve ser capaz de ensinar seus próprios filhos e ajudar o seu próprio marido. Você não deve encorajá-las a buscar carreiras, o que colocaria em jogo seus casamentos. Ensine-as a gerenciar uma casa, cuidar de crianças, costurar e exercer ministério em seus lares. Use Provérbios 31 como seu guia. “Que ela receba a recompensa merecida, e as suas obras sejam elogiadas à porta da cidade.” (Prov. 31:31). Mas o mais importante, você pode educar suas filhas “Ao contrário, esteja no ser interior, que não perece, beleza demonstrada num espírito dócil e tranqüilo, o que é de grande valor para Deus.” (1 Pedro 3:4). Um espírito dócil e tranquilo só será aprendido com seu exemplo. Além disso, não acredito que esse tipo de espírito seja um dos objetivos das escolas públicas!

Sem o espírito. Meus objetivos para meus filhos são para serem poderosos no espírito, ao mesmo tempo em que aprendem diligência e uma forte ética de trabalho. “Assim como o corpo sem espírito está morto, também a fé sem obras está morta.” (Tiago 2:26).

Ele a exaltará. Ambos, suas filhas e seus filhos precisam aprender a viver suas vidas para o Senhor. “Humilhem-se diante do Senhor, e ele os exaltará.” (Tiago 4:10).

Destruir a alma. A forma de direcionar a vida de nossos filhos não é para entrar na faculdade ou conseguir um bom emprego onde ganharão muito dinheiro. Uma pesquisa recente reportou que, daqueles que se professam cristãos (nossos filhos e filhas) e entraram na faculdade (seculares assim como cristãs), 80% abandonaram a fé! O que é pior é que apenas 40% desses eventualmente retornam para Deus. Pais, um diploma de faculdade é mais importante do que a alma eterna de seu filho? “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.” (Mateus 10:28). A busca por dinheiro não deve ser o objetivo. Todos nós devemos buscar ao Senhor para encontrar qual é o “chamado” que está sobre a vida dos nossos filhos.

Meu Deus suprirá. Muitas vezes é o “orgulho” dos pais que faz com que eles enviem seus filhos para a faculdade. Tome cuidado com todas elas, especialmente aquelas que são longe de casa. Você pode estar pagando para que seu impressionável filho (ou filha) seja carregado para a luxúria e outros pecados como bebida ou drogas. Jesus não saiu de debaixo da autoridade de seus pais até ter 30 anos! Muitos ensinos perversos têm sido plantados nas mentes de nossos jovens até mesmo em faculdades teológicas e deram “frutos ruins” em suas vidas em anos posteriores. Um fato interessante é que Charles Darwin, o pai da evolução, tinha um diploma teológico! “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19). Cuidado: eu aconselhei pessoalmente mulheres cujos maridos aprenderam teorias inimagináveis, perversas na verdade, de seus professores em faculdades teológicas.

Contar nossos dias. O benefício mais importante é a “QUANTIDADE”, não a qualidade de tempo que você passa com seus filhos. Você se lembra das pessoas mais velhas contando para você do “quão rápido o tempo passa”, e “aproveite enquanto seus filhos são jovens”? Aceite esse conselho porque ele está certo. Eu não acredito no quão rápido o tempo passou desde que meu filhos mais velhos eram pequenos. Nunca conseguirei aquele tempo de volta. Planejo olhar para trás, para cada momento que tive com meus filhos sem me arrepender do tempo que eu possa ter desperdiçado. “Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria.” (Salmos 90:12).

 Benefícios da Educação em Casa

Uma recompensa de alegria. Se você gastar tempo ensinando, treinando, disciplinando e corrigindo seus filhos, você colherá uma recompensa de alegria!

Filhos bem comportados. Tomando o tempo para criar filhos bem comportados trará louvor e não vergonha dos outros. E também, seus filhos são a sua declaração e testemunha a outros, quer eles estejam com você ou sozinhos.

Não tenho maior alegria que esta. Se você gastar mais tempo “disciplinando, ensinando e educando”, haverá menos necessidade de correção. Não dê lugar ao mau comportamento. Lembre-se, “é melhor prevenir do que remediar”! Você também terá ajudantes e não fardos. Mas o mais importante é que eles serão fortes na fé. “Não tenho alegria maior do que ouvir que meus filhos estão andando na verdade.” (3 João 1:4).

Amor duro. Se você os ama o suficiente para treiná-los cedo, você não precisará usar o “amor duro” com eles, quando alcançarem a adolescência. O “amor duro” é necessário para pais que não disciplinam e educam seus filhos quando são jovens. Eles tinham medo de usar a vara porque não temiam a Deus, mas ao contrário, temiam aos homens. E sim, eu recomendo o “amor duro” para adolescentes muito embora não concorde com isso para o relacionamento matrimonial. Pais são ordenados a punir e controlar seus filhos; contudo, nem o marido ou a esposa são instruídos a responder às ações de seus cônjuges com nada além de amor e respeito.

Advertência: O “amor duro ou amor difícil” nunca deve ser usado com seu marido. Isso não está na Palavra e as consequências são desastrosas! Veja Como Deus Pode e Vai Restaurar Seu Casamento” para aprender os resultados de alguém que já tentou isso!

Amor e respeito por você. Quando você ama, ensina, treina e disciplina seus filhos, eles serão parte da sua vida mesmo após o casamento deles. Pois você instilou o amor e respeito por você neles, eles escolherão estar perto de você quando adultos.

Suportá-los financeiramente. Outra bênção é que você não precisará suportá-los financeiramente em sua vida adulta se você os educou diligentemente com uma boa ética de trabalho.

Demonstre interesse neles agora. Não espere para conversar com seus filhos; se você demonstrar interesse neles agora, eles demonstrarão interesse por você depois.

Compromisso pessoal: amar, ensinar, treinar, disciplinar e usar a vara com meus filhos com toda diligência. “Baseado no que aprendi da Palavra de Deus, comprometo-me a seguir o plano de Deus para pais que está escrito em Provérbios. Sempre me lembrarei de que esses filhos são do Senhor e de que foram confiados a mim. Deverei treiná-los e discipliná-los em amor para que eles estejam prontos para o serviço de Deus, estando dispostos e sendo capazes de obedecê-Lo.” 

Se você está pronta para se comprometer com DEUS em terminar o curso, em concordando e clicando aqui você então estará pronta para documentar esta próxima etapa ao longo de sua jornada de restauração no formulário "Meu diário". Não se apresse, sente-se, pegue seu café ou chá e derrame seu coração no seu Diário.

 Como “Semelhantemente, as mulheres mais velhas ...devem ensinar o que é bom. Devem instruir as mulheres mais jovens...” (Tito 2:3), você terá a oportunidade de falar com as mulheres mais jovens que ainda são solteiras como parte de seu ministério.