Leia o Testemunho de Casamento RESTAURADO
"Aprendi Princípios Preciosos"

Esse testemunho foi tirado de um de nossos muitos livros
Palavra de Seu Testemunho
Para ajudar VOCÊ
A superar qualquer medo e dúvidas na
Habilidade e Desejo de Deus em
Restaurar SEU Casamento!

* Em Breve Palavra dos Seus Testemunhos.
Leia ao seu Encorajamento diário para o anúncio.

Capítulo 9 "Espírito Manso e Quieto"

 

“Seja o adorno da esposa...
o homem encoberto no coração;
no incorruptível traje de
um espírito manso e quieto,
que é precioso diante de Deus.”
—1 Pedro 3:3-4

 

wRYM-Portuguese-Cover

Mulheres tempestuosas são comuns nos dias de hoje. Tempestuoso é definido como “ofensivamente barulhento e insistente”. Isto não é somente aceito, mas também encorajado através da nossa mídia.

Infelizmente, atualmente este comportamento também tem influências na igreja e nos Cristãos. É de  assustar que a taxa de divórcio seja maior na igreja do que a taxa entre os não-cristãos?

Uma mulher com um “espírito manso e quieto” é chamada de capacho. É dito a ela que seu marido não a respeitará se ela mesma não se impuser.

Maridos até mesmo dizem a suas esposas que elas devem lutar e defender a si mesmas e ao mesmo tempo dão entrada no divórcio e ficam com a outra mulher. Deus diz que um espírito manso e quieto é precioso para Ele e é o único caminho em direção à cura e restauração.

De qualquer forma, quando um marido se desvia da verdade e cai em pecado, você ouve Cristãos, até mesmo pastores, aconselharem esposas a agirem com um ‘amor difícil’, embora isto seja anti-bíblico e destrua casamentos. Além do mais, isto resulta em uma ‘coração endurecido’ que, inevitavelmente, resultará numa esposa sem vontade ou incapaz de perdoar seu marido. Somente um coração de carne, um coração quebrantado, é capaz de realmente perdoar.

Neste capítulo buscaremos a verdade a respeito do chamado ‘amor difícil’ e da cura que vem através do perdão.

Amor Difícil?

O amor é paciente. Deus nos dá uma descrição do amor. Veja se consegue achar a palavra ‘difícil’ ou qualquer palavra similar: “O amor é sofredor (paciente), é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha...” (1 Coríntios 13:4-8).

Este versículo prova que não há lugar para ‘amor difícil’ num casamento, de ambos os lados. O amor que Jesus viveu e para o qual nos chamou é ‘difícil’ de viver, mas nunca ‘difícil’ em resposta ao outro a quem amamos.

Isto Eu vos ordeno. Outra frase popular na igreja atualmente é: ‘O amor é uma escolha’. Leia comigo o seguinte versículo para ver se Deus diz que podemos ‘escolher’ amar. Ou Deus nos ordena que amemos, como imitadores de Cristo? “Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros” (João 15:17). Temos sim uma escolha: de obedecer a Seu comando ou não. Isto não é exatamente o que os psicólogos Cristãos estão nos dizendo, é?

Ame seus inimigos. Nossos amigos encorajam-nos a ‘protegermos a nós mesmas’ ou a ‘não amar aqueles que são difíceis de amar’. Devemos amá-los ou não? “Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam” (Lucas 6:27-28).

Nesta passagem Deus é até mais claro. Ele até admoesta aqueles que só amam aos que são amáveis: “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem (...) Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?” (Mateus 5:44-46).

Dê lugar à ira de Deus. No livro que diz para sermos ‘difíceis’ com nossos maridos, é dito para confrontarmos, causarmos uma crise. Em outras palavras, temos que tomar o assunto em  nossas próprias mãos. O que Deus nos instrui a fazer?

“Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração. (...) Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. (...) A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens. Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens. Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira (de Deus), porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor” (Romanos 12:12-19).

Não ameaçava. Você pode se perguntar: ‘Por que devo suportar tanto sofrimento e nem ter a satisfação da vingança?’ Leia a explicação de Deus para seu sofrimento:

“Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as Suas pisadas. (...) quando O injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se Àquele (Deus) que julga justamente” (1Pedro 2:21-23).

Vence o mal com o bem. “Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem” (Romanos 12:20-21).

Bem-aventurados são os mansos. Se você não tomar o assunto em suas próprias mãos e esperar confiantemente em Deus, os outros (até mesmo Cristãos), dirão que você é um capacho. Entretanto, deixe-me lembrar-lhe quem Jesus disse que são “bem-aventurados”: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra” (Mateus 5:5). Jesus escolheu entregar Sua vida e permitir que Seus inimigos o ferissem. Devemos seguir Seus passos ou não?

A justiça de Deus. As pessoas podem até lembrar-lhe de quando Jesus derrubou as mesas no Templo. Vão usar este exemplo para dizer que você tem o ‘direito’ de ficar com raiva dos outros. Deus diz que Ele é um Deus ‘ciumento’. Podemos ser ciumentas também? “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.” (Tiago 1:19-20).

Para que você não faça o que quer. Quando tivermos um impulso para fazer ou dizer alguma coisa que não seja gentil a alguém, então estamos andando na carne e não no Espírito. “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. (...) Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança” (Gálatas 5:16-17 e 22-23). “E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também” (Lucas 6:31).

A benignidade de Deus. É um engano pensar que confrontar e ser indelicada e dura vá fazer a outra pessoa se arrepender. Se isto funcionasse, porque Deus usaria benignidade para nos conduzir ao arrependimento? Pecadores não se voltam em direção a Jesus porque pensam que serão criticados ou castigados, não é? “Ou desprezas tu as riquezas da Sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” (Romanos 2:4).

Ninguém verá o Senhor. Outra razão extremamente importante para seu espírito manso e quieto ao lidar com seu marido (ou outros), é que devemos permitir que os outros vejam a Cristo em nós. “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).

Não ache que você pode agir com mansidão com seu marido, mas agir terrivelmente com seus filhos, parentes ou colegas de trabalho. Deus está vendo e Ele é o único que converterá o coração de seu marido. Nada está oculto para Ele. Não nos esqueçamos de que Ele está olhando nossos corações, desta forma, mesmo se você tentar controlar sua raiva, Ele está olhando mais profundamente! Você deve “morrer para si mesma”.

O ministério da reconciliação. Devemos ser embaixadoras de Cristo na reconciliação. “E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação. Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus” (2 Coríntios 5:18-20).

Para que você não seja tentada também. O seguinte versículo é uma advertência para quando não somos mansas com outros que pecaram contra nós. “Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado. Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo” (Gálatas 6:1-2).

Para que o Senhor não veja isto e Se desagrade. Muitas mulheres ficaram tão felizes ao verem seus maridos ‘receberem o que mereciam’ quando Deus os puniu com dificuldades financeiras ou outras provações. E então, viram a situação de seus maridos serem transformadas para melhor. Porque isto acontece? “Quando cair o teu inimigo, não te alegres, nem se regozije o teu coração quando ele tropeçar. Para que, vendo-o o Senhor, seja isso mau aos Seus olhos, e desvie dele a Sua ira” (Provérbios 24:17).

Praticantes da palavra. É importante que nós aprendamos a verdade e concordemos com o que lemos na Bíblia, mas não devemos parar por aí. “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos... não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1:22,25). “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4:17).

o engano dos homens abomináveis. Deus adverte-nos de que não devemos ouvir ou seguir pessoas que digam algo contrário à Palavra de Deus. “Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza. Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” (2 Pedro 3:14-18).

‘Amor difícil’ é errado e contradiz totalmente os ensinamentos e o exemplo de Jesus. Ao invés disto, vamos aprender de Jesus, que descreve a si como “manso e humilde de coração”. “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11:29-30).

Perdão

Somente uma mulher que é mansa e quieta pode perdoar seu marido. Entretanto, muitas mulheres têm sido enganadas e não perdoam seus maridos porque não entendem completamente as graves conseqüências de sua falta de perdão. Vamos pesquisar as Escrituras para ver o que Deus diz sobre perdoar aos outros. Eis algumas questões que devemos perguntar:

Q. Por que devo perdoar meu marido e as outras pessoas envolvidas?

Cristo também lhe perdoou. Nós perdoamos porque Deus nos perdoou. “Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” (Efésios 4:32).

O precioso sangue da aliança. Jesus derramou seu sangue para o perdão de pecados - até mesmo o pecado de seu marido! “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão (perdão)” (Hebreus 9:22). “Porque isto é o meu sangue; o sangue (da aliança) do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados” (Mateus 26:28).

Reafirme seu amor por ele. Para aliviar o pesar do ofensor: “...deveis antes perdoar-lhe e consolá-lo, para que o tal não seja de modo algum devorado de demasiada tristeza. Por isso vos rogo que confirmeis para com ele o vosso amor” (2 Coríntios 2:7-8).

Não permita que o ‘inimigo’ ganhe vantagem sobre nós. Satanás pode usar a falta de perdão contra você para ganhar vantagem. “E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; porque, o que eu também perdoei, (...) por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás,  porque não ignoramos os seus ardis” (2 Coríntios 2:10-11).

Nosso Pai não perdoará SEUS pecados. Deus disse que não nos perdoaria se não perdoássemos aos outros. “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas” (Mateus 6:14-15). “Assim vos fará, também, Meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas” (Mateus 18:35).

Q. Mas o ofensor não deve estar arrependido para que eu perdoe?

Pai, perdoa-lhes. Aqueles que crucificaram a Jesus nunca pediram perdão, nem estavam arrependidos pelo que estavam fazendo ou pelo que fizeram. Se nós somos Cristãs, somos imitadoras de Cristo, desta forma, devemos imitar Seu exemplo. “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:24).

Quando Estevão estava sendo apedrejado, ele clamou pouco antes de morrer: “Senhor, não lhes imputes este pecado” (Atos 7:60). Você pode fazer menos do que isto?!

Q. Mas com que freqüência Deus espera que eu perdoe?

Setenta vezes sete. Muitas mulheres exclamam: ‘Mas meu marido fez isto comigo antes, durante todo o nosso casamento!’ Quando Pedro perguntou quantas vezes ele deveria perdoar, Jesus disse: “Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete” (Mateus 18:22). Isto é 490 vezes para a mesma ofensa!

Não lembre nunca mais. Perdoar significa realmente que esquecerei aquele pecado, mesmo numa discussão, mesmo no divórcio? “Porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais Me lembrarei dos seus pecados” (Jeremias 31:34). “Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões” (Salmos 103:12). “Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção” (1 Pedro 3:9).

Esteja preparada; Satanás tentará trazer antigas transgressões em sua mente, mesmo que você tenha perdoado. Muitas mulheres, cujos maridos foram infiéis, vivenciaram ‘flashbacks’, mesmo após seus maridos voltarem para casa, quase como um trauma de guerra ‘espiritual’. Elas dizem que precisam perdoar continuamente, às vezes diariamente.

Q. Como posso perdoar da forma como Deus me pede para fazer em Sua Palavra?

Somente Deus. Somente Deus pode ajudá-la a perdoar. Você deve humilhar-se e pedir que Ele lhe dê a graça. “Quem pode perdoar pecados, senão Deus?” (Marcos 2:7).

Peça. “...nada tendes, porque não pedis” (Tiago 4:2). Peça a Deus que perdoe seu marido através de você enquanto clama a Ele.

Deus dá graça aos humildes. Como consigo a graça que preciso? “Revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte.” (1 Pedro 5:5-6).

Abateu seu coração. Como posso ganhar humildade? “Porquanto se rebelaram contra as palavras de Deus e desprezaram o conselho do Altíssimo. Portanto, lhes abateu o coração com trabalho; tropeçaram, e não houve quem os ajudasse. Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades” (Salmos 107:11-13).

“Mas, quanto a mim, humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio” (Salmos 35:13). Algumas vezes poderá ser através de uma enfermidade que Ele aquietará e humilhará você. Não lute contra isto - é Deus operando!

Vai reconciliar-te primeiro com teu irmão. Quando preciso perdoar aqueles que me feriram? Não devo sentir-me convencida disto primeiro? “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta” (Mateus 5:23-24). Se você não perdoou alguém, especialmente seu marido, você deve pedir perdão.

Amargura. Não perdoar alguém gera amargura. A definição de amargura é ‘veneno’! “Toda a amargura, e ira, e cólera (...) sejam tiradas dentre vós.” Efésios 4:31. Não perdoar alguém é corrosivo para você mesma, não para a outra pessoa! “O coração conhece a sua própria amargura” (Provérbios 14:10). “Porventura não esquadrinhará Deus isso? Pois Ele sabe os segredos do coração” (Salmos 44:21).

Um irmão ofendido. Esteja certa de que você siga as diretrizes bíblicas. Ouvi muitas mulheres dizerem que as coisas ficaram piores quando pediram perdão ou que isto não causou nenhuma melhora. Eu posso falar por experiência. Às vezes, quando pedi perdão para alguém, declarei isto da forma errada e ofendi ainda mais a outra pessoa. “O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio” (Provérbios 18:19).

Para agradar aos homens. Tenha em mente que você pode enganar a seu marido, mas Deus conhece suas motivações e seu coração. “O Senhor olha para o coração” (1 Samuel 16:7). “...Na sinceridade de vosso coração, como a Cristo. Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus” (Efésios 6:5-6).

Toda palavra em vão. Prepare todas as palavras que você irá dizer! Toda palavra que você disser deve ser escolhida cuidadosamente. “O tolo não tem prazer na sabedoria, mas só em que se manifeste aquilo que agrada o seu coração” (Provérbios 18:2). “Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa (em vão) que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo” (Mateus 12:36).

Tente escrever o que você irá falar. Então leia em alta voz o que escreveu, colocando-se no lugar da outra pessoa e ouvindo do ponto de vista dela. Isto soa como acusação? Peça a Deus para colocar as palavras certas na sua boca e falar através de você.

Muitas palavras. “Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio” (Provérbios 10:19). Apenas diga o que você fez; não comece a frase com algo do tipo ‘Quando você fez isto, e isto e isto, bem, então eu...’.

Ele não ameaçou. Se a outra pessoa começar a atacá-la, não abra sua boca, exceto se houver algo para concordar. “O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava...” (1 Pedro 2:23).

Cada palavra. O filho pródigo preparou suas palavras após sua decisão de voltar para casa: “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros” (Lucas 15:18-19).

Garanta que suas palavras sejam doces e suaves TODA VEZ que tiver a oportunidade de ver ou falar com seu marido! Lembre-se: “A doçura dos lábios aumentará o ensino (persuasão)” (Provérbios 16:21). E: “As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos” (Provérbios 16:24).

Q. Como posso ter certeza de que realmente perdoei?

Você saberá e terá confiança de que realmente perdoou, quando seus pecados e fraquezas saltarem aos seus olhos de forma tão grande que será incapaz de ver os pecados e fraquezas de seu marido. Você estará cega para suas falhas passadas, presentes e futuras.

Quando as mulheres escrevem ou falam sobre TUDO que seus maridos estão fazendo errado, então eu sei que estão longe da restauração. Muitas que têm buscado a restauração não vêem nenhum progresso porque falharam em assumir a responsabilidade completa pelos pecados cometidos no casamento que causaram a separação, o divórcio ou o adultério.

Elas, erroneamente, querem ‘dividir’ a sua parte nisto, o que é para sua própria destruição. Jesus assumiu a responsabilidade completa e suportou TODOS os nossos pecados. Nós, também, devemos assumir tudo e suportar tudo. Então, como crentes, podemos buscar o Senhor e deixar os pecados do casamento aos pés da cruz, sabendo que o débito já foi pago.

Também, se você ainda está irritada com o que seu marido diz, faz ou não faz, ou pior, se você fica com raiva, então você não o perdoou. Raiva é uma condição mortal do coração, que aparece numa provação.

Compromisso Pessoal: desejar e esforçar-me para ser mansa e quieta. “Baseada no que aprendi da Palavra de  Deus, comprometo-me a fazer tudo que aprendi ao ser rápida para ouvir e tardia para falar; a perdoar àqueles que me ofenderam e fazer o que puder para reconciliar-me com os que ofendi.”

Se você está pronta para fazer esse compromisso com Deus, de começar a seguir os princípios que aprendeu nesta lição, então Clicando Aqui você concorda com o que aprendeu, e está pronta para documentar essa parte de sua Jornada da Restauração no formulário “O que Eu Aprendi”.