Pois virá o tempo em que

não suportarão a sã doutrina;

ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos,

juntarão mestres para si mesmos,

segundo os seus próprios desejos.

 Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade,

voltando-se para os mitos.

—2 Timóteo 4:3-4

 

Na noite passada eu recebi um telefonema que normalmente me deixaria abalada por vários dias, ou até mesmo por semanas. Minha irmã basicamente “perdeu a cabeça” quando eu fiquei no caminho do que ela estava desesperada para fazer. A conversa acabou com ela gritando palavras profanas e indelicadas ao telefone antes de desligar na minha cara.

Quando tudo terminou, fiquei admirada ao me dar conta de que eu me encontrava perfeitamente calma. Por ela ser a minha irmã mais velha, pude me lembrar facilmente de como aquilo costumava me afetar. Eu tenho a personalidade que desejo e trabalho para ter em relação à paz; eu costumava encontrar paz a qualquer custo. Mas meu foco mudou de buscar a paz com os outros para buscar a paz com Deus, e não me importar com o que as pessoas dizem ou tentar agradá-las. Minha vida com o Senhor tem sido uma jornada fantástica e tem me trazido recompensas inacreditáveis. Meu desejo neste capítulo é te preparar para que você também faça a sua própria maravilhosa jornada com o Senhor, a qual vai muito além da liberdade e te guiará, mais uma vez, à sua Vida Abundante!

O que me manteve em paz enquanto aquelas palavras me foram lançadas (e muitas outras que as precederam antes que minha irmã terminasse) foi saber como meu Senhor e meu Marido se sentia a meu respeito. Assim, quando toda e qualquer situação grave como esta surge, e eu vou até Ele imediatamente depois (como eu fiz na primeira vez que ela ligou), ou O busco bem no meio do ataque, eu encontro paz. O Senhor me ensinou a perguntar a Ele o que ELE pensa de mim ou como ELE se sente sobre mim, e foi o que eu fiz assim que ela desligou.

O que ELE me disse foi completamente diferente do que eu ouvi ao telefone. Além de encontrar paz, eu amo ver como Deus realmente tem senso de humor e amo sentir a Sua calma, que é o que muitas de nós carecemos quando estamos em meio a uma crise. O Senhor na verdade me disse, “Você está brincando?”, quando perguntei a Ele se o que ela dissera era verdade. Deus também me preparou um “caminho de fuga”, fazendo com que alguém me ligasse bem no meio do primeiro ataque, o que me deu tempo de pedir a uma amiga íntima para que, por favor, orasse (sem compartilhar qualquer detalhe com ela, já que isto traz conselhos indesejados e não solicitados). Isto também era parte do plano de Deus para que eu não focasse no problema depois que minha irmã desligou; eu tive que retornar a minha ligação prévia, o que levou a minha amiga a orar comigo para que minha irmã fosse abençoada.

Antes eu costumava sentir que tinha uma “obrigação” com o meu problema, ou com o meu inimigo, de meditar sobre a questão e pelo menos sofrer um pouco antes de liberá-la! Que absurdo! Agora, porque eu sou Sua noiva, eu mantenho todos os problemas o mais longe possível do meu coração e das minhas emoções com a ajuda do Senhor. Quando insultos ou ataques são lançados contra mim, eu me separo emocionalmente e me escondo atrás do meu Amado e do Seu amor. Então, se você estiver passando por um ataque emocional neste momento, pare de ouvir (e também de ficar repetindo de novo e de novo na sua cabeça) o que ele ou ela te disseram, e em vez disto sintonize-se com o que o Senhor está dizendo a você.

Se você não estiver em uma posição em que possa ouvir a Deus, ouvir o Senhor falando com você, então pegue a sua Bíblia e leia o que Ele pensa a seu respeito. Continue lendo até que você encontre aquela paz que ultrapassa todo o entendimento. E enquanto busca, certifique-se de perguntar a Ele, “É isso que você pensa de mim?”. Deus falará a verdade, mas é você quem irá escolher a quem você dará ouvidos!

A maioria de nós se sente mais confortável em saber como viver, e reagir em situações infelizes e desconfortáveis, apenas porque fizemos isso com mais frequência em nossas vidas. Então, ao invés de deixar ir a situação e meditar sobre como Deus é bom e sobre o quanto o Senhor nos ama, nós escolhemos relembrar e ficar repetindo as palavras indelicadas em nossa mente. Muito do que aprendemos vêm da nossa infância e das mentiras em que acreditávamos, e infelizmente, ainda escolhemos acreditar como mulheres adultas em vez de escolher crer na verdade. Qual é a verdade? Deus é a verdade, a Sua Palavra é a verdade, e qualquer coisa que não se alinhe com Ele e com Sua verdade não passa de uma mentira.

Na minha última viagem de encontros com muitas missionárias da nossa igreja, e mesmo com membros do RMI que vivem em outras partes do mundo, eu encontrei mulheres na costa leste e no Canadá, e não pude deixar de rir diante de um comentário que tantos membros faziam. A primeira surpresa delas ao me conhecerem é a minha altura, por eu ser bem alta. Mas a segunda é que elas diziam que eu sou “linda”.  A ironia disto é que por TODA a minha vida eu ouvi minha família dizer que eu NÃO era bonita, mas que, por outro lado, havia sido abençoada com uma personalidade boa ou fácil de se conviver. Isto nunca me prejudicou de forma alguma, pelo contrário, só me manteve focada em que eu era por dentro ao invés de me preocupar com o que me diziam que me faltava em aparência.

Quando me casei, meu EM ficou chocado ao ouvir a opinião da minha família sobre a minha aparência. Um dia, no começo do nosso casamento, eu contei para a minha mãe que ele, na verdade, achava que eu era a mais bonita das irmãs, e ela me respondeu, “Que gentil… o amor é tão cego.” Honestamente, deve ter sido Deus que me protegeu todo este tempo de ficar marcada ou prejudicada por aquele tipo de palavras, já que eu sei que há muitas de vocês que sofrem devido ao que lhes foi dito sobre a sua aparência quando era criança. Embora isto não tenha causado o dano que o inimigo pretendia, o que eles diziam sobre o meu caráter teve efeito, provavelmente porque eu achava que isto era tudo que eu tinha. Por isso que quando minha irmã atacou o meu caráter, isso “teve potencial” para me ferir de verdade.

Uma das senhoras me disse (quando perguntei por que ela não sorriu na foto que tiramos naquele dia) que o pai havia dito a ela que nunca sorrisse, porque ela “parecia estúpida quando sorria”. Ficou claro que ela nunca havia perguntado ao Senhor como ELE se sentia a respeito do seu lindo sorriso, mas, em vez disso, havia permanecido trancada em uma prisão acreditando em uma mentira que fora plantada muitos anos atrás. 

E não será racionalizando, ou olhando para os fatos, que você será libertada daquilo que te disseram no passado. Não importa quantas vezes meu EM me disse que eu era bonita, “além do fato” de que por três anos o Senhor envolveu a minha família (inclusive EU mesma) em uma série de comerciais, outdoors e panfletos como (você acredita?) modelos, nunca pensei por um único minuto que eu fosse bonita. Foi somente quando meu Amado me disse isso que eu acreditei que eu era linda para ELE—e isso é tudo que importa para mim!

Você pode não ser o que a sociedade considera bonita, mas não há dúvida de que é assim que Ele se sente a seu respeito! O padrão de beleza da sociedade muda o tempo todo, então por que fixar a nós mesmas e os nossos sentimentos em algo transitório—que, assim como os estilos de roupa, muda sempre? Ficarmos presas nestas variações da opinião popular não é apenas tolice, mas é também muito perigoso, já que nossas filhas e todas as mulheres mais jovens em nossas vidas começarão a fazer o mesmo, seguindo o nosso exemplo.

Isto não significa que não devemos fazer nada para nos ajudar a nos sentirmos mais bonitas. Quando nos sentimos bonitas nós agimos diferente. É por isso que precisamos buscar a Deus, mais uma vez, e perguntar a Ele o que Ele pensa de nós. Quando abraçamos o fato de que Deus nos criou perfeitamente, então teremos confiança para começar a nos vestirmos e nos mimarmos de acordo. Sim, pode haver um desequilíbrio, especialmente se a aparência se tornar tudo com que nos importamos e tudo em que nos concentramos. Mas negligenciá-la seria tentar nos enganar, pensando que não deveríamos nunca nos importamos com o nosso exterior. Se a aparência não importasse, então Deus não teria nos dito como Sarai era linda (o fato dele atrair um faraó naquela idade ainda me deixa perplexa!), ou a rainha Ester, e como Davi e José também eram bonitos.

Algumas mulheres são seguras de sua aparência, mas por outro lado são atormentadas com outros problemas como, por exemplo, o fato de terem ouvido que são estúpidas ou desastradas, ou que sempre estarão acima do peso porque puxaram a sua mãe ou a sua avó que também eram assim. Nada disso precisa impedir a vida abundante que Jesus morreu para te dar. Você pode se libertar da prisão que tem te limitado parando de ouvir as mentiras do seu passado (ou do seu presente) e em seguida começando, em vez disso, a perguntar ao Senhor qual é a opinião DELE. É a verdade que nos libertará! Então, quando o nosso Marido nos disser que somos lindas ou inteligentes (porque temos a mente de Cristo), devemos parar de repetir as velhas mentiras e começar a caminhar com fé na verdade que acabamos de descobrir.

Quando escolhemos acreditar em um mito, o qual pode ser definido como uma falsidade, nós impedimos a nossa vida abundante. Nossa família, nossos amigos ou marido podem ter plantado a mentira, mas, quando continuamos a acreditar nela, nós mesmas nos tornamos aquelas que aguamos e a manteremos viva. 

Permanecer Quieta

Há outros perigos em se dar ouvidos a outras vozes ao invés da de Deus. Sabemos pelas escrituras que Saul perdeu a sua coroa por dar ouvidos à voz do povo, que o encorajou a desobedecer a Deus (leia 1 Samuel 15:24). O jovem profeta perdeu ainda mais, ele perdeu a vida quando deu ouvidos à voz do velho profeta que o convidou para jantar ao invés de fazer o que Deus havia lhe dito que fizesse (leia 1 Reis 13; 11-32).

Onde estaria Jerusalém se Neemias tivesse sucumbido à zombaria e dado ouvidos à voz dos líderes da igreja que queriam que ele parasse os esforços de reconstrução dos muros e descesse para conversar com eles a esse respeito? (leia Neemias 6:1-9)

Todas nós precisamos aprender a ouvir e obedecer à voz de Deus acima da de qualquer outra pessoa, incluindo a nossa própria voz. Isto começa com nossa vida cotidiana, e não somente diante das decisões importantes que tomamos. E o que continuará a complicar a nossa habilidade de ouvir e obedecer à voz de Deus são as opiniões que ouvimos de todo mundo à nossa volta, tudo porque NÓS tolamente dizemos às pessoas o que estamos fazendo ou o que estamos prestes a fazer!

Deixe-me confessar que esta tem sido a lição mais difícil que eu já tive que aprender em minha vida! Parece que quase todo dia eu tolamente compartilho alguma coisa sobre a minha vida, algo que eu deveria permanecer quieta a respeito. Nós mulheres amamos dividir as nossas vidas com os outros, mas eu não estou certa se quero continuar sofrendo por causa disso.

Recentemente eu fui atingida por uma grande provação na minha vida ao lidar com a minha irmã mais velha, que mentalmente tem 14 anos, emocionalmente teria uns 4 e na idade natural fez 65 este ano. Uma das minhas outras irmãs mais velhas que cuida dela me ligou, quando eu estava prestes a sair em viagem por duas semanas, insistindo que eu precisava “ficar com ela”. Foi essa situação que instigou as palavras duras que me foram ditas, como mencionei no início deste capítulo. Contudo, eu sabia que não poderia recebê-la aqui enquanto eu estivesse viajando, porque eu não tinha contado a ela que meu marido havia ido embora outra vez. Foi por ignorância e tolice que eu então compartilhei a minha situação com alguns dos meus outros irmãos, depois de ter ouvido de Deus o que eu deveria fazer. Você ficaria surpresa de saber que o que os meus irmãos me aconselharam a fazer não tinha nada a ver com o que Deus me disse que fizesse?

Esta minha atitude então criou uma correnteza, contra a qual eu tive que nadar, e que fez com que seguir o plano de Deus se tornasse muito mais difícil! Algumas das dificuldades vieram do fato de eles questionarem o que eu estava planejando fazer em seguida, já que todas as suas “sugestões” (que na minha família geralmente são dadas como ordens) começaram a se misturar com o direcionamento de Deus a respeito do que Ele queria que eu fizesse.

A conclusão de que eu não tinha que ter compartilhado a minha situação presente, o meu divórcio recente (e todos os detalhes que as pessoas esperam que você explique), veio de testemunhos de membros do RMI que sabiamente permaneceram quietas sobre a situação dos seus casamentos (separação, o adultério do marido, e até mesmo o divórcio). E por não terem compartilhado detalhes sobre as suas vidas, elas conseguiram ouvir a Deus mais claramente e também seguir a Sua orientação, sem a confusão ou oposição que se seguiria quando a família ou amigas bem intencionadas teriam se envolvido. E isto também deu a elas tempo para lidar com a própria perda (do marido ou do casamento) e todas as emoções que vêm junto com essas situações. Então, mais tarde, quando a família “descobriu”, elas foram capazes de lidar com a raiva dos familiares muito mais facilmente porque elas já estavam estabelecidas (sobre a Rocha).

Embora eu tenha tido este bom senso em relação ao meu divórcio desta vez, eu continuo falhando em outras crises e em algumas outras decisões cotidianas que enfrento. Está claro que há muito mais que preciso aprender sobre um “espírito quieto e gentil”. Quando nós “ponderamos as coisas em nossos corações” como Maria (mãe de Jesus) fazia, os nossos pensamentos nos pertencem inteiramente para buscarmos a Deus e sermos capazes de seguir a Sua direção ou de lidar com eles—com a Sua ajuda. Não é preciso que acrescentemos a tudo isso a opinião das outras pessoas, ou as emoções que ficam no caminho e frequentemente nos deixam confusas, derrotadas ou simplesmente cansadas.

O desejo do meu coração é buscar mais a Deus para obter a Sua liberdade conforme Ele me concede uma habilidade ainda maior de permanecer em silêncio e compartilhar as coisas somente com Ele. Isto se aplica também ao fato de dar mais informações do que é necessário quando converso com as pessoas. Em outras palavras, eu sei que preciso de mais discrição em minha vida. Todos os meus problemas recentes, eu agora vejo, são provenientes da minha boca e do que eu falo. Muitas vezes, aquela área em que somos mais ungidas, e que na minha vida é minha habilidade de me comunicar, é também a nossa maior perdição; portanto, eu pessoalmente preciso entregá-la totalmente ao direcionamento do Senhor e do Espírito Santo.

Querida amiga, seja onde ou com o que for que você esteja tendo dificuldades (sua falta de discrição, sua boca, suas emoções ou quaisquer outras áreas com que você esteja lidando), o seu Noivo deseja ajudá-la neste sentido. Ele não quer nunca que você lute carregando estes fardos que você assumiu ou a sobrecarga que alguém despejou em cima de você. Ao invés disso entregue-a para que Ele a carregue para você. Isto deixará os seus braços completamente abertos para abraçá-Lo com a apreciação e o amor que Ele merece e está ansiando para receber de você!

Diário