Era agosto de 2012. Eu estava grávida de 8 meses e meu marido estava retornando de uma viagem de três meses que ele fez a trabalho. Do nada ele me disse que não tinha mais sentimentos por mim, fiquei arrasada, conversamos, achei que passaria, mas depois que meu filho nasceu eu descobri que na verdade, ele se envolveu com o.m. durante a viagem. Meu mundo parecia ter acabado, eu só não desisti de viver naquele momento porque tinha um bebê que dependia totalmente de mim. Ele disse que estava arrependido, decidi perdoá-lo, mas nada foi como antes. Passei a perseguí-lo, mexer no seu celular, revirar seus bolsos e gavetas. Virei uma pedinte, implorando por amor e carinho, coisas que sempre tive à minha disposição. Achava injusto isso ter acontecido conosco pois nosso casamento era ótimo.

No final desse mesmo ano ele teve que viajar novamente e me mandou pra casa dos meus pais que fica em outro estado. As festas de final de ano se passaram e nada dele nos trazer de volta, até que recebi uma ligação de uma mulher, a o.m. Viajei furiosa e sem meu filho pronta pra acabar com tudo e se pudesse acabaria com ele também. Mais uma vez ele se mostrou arrependido e dessa vez procurei ajuda do nosso pastor, que conversou muito com ele. Fiz ele ligar para a o.m. na minha frente e terminar tudo com ela. Aparentemente estava tudo resolvido, ele se reconciliou com Deus e viajamos para a casa dos meus pais para passar as férias dele e buscar nosso bebê.

A insegurança dentro de mim continuou. Em várias situações eu tocava no assunto. Voltamos para casa e a coisa só piorou. Ele ía para o trabalho e não voltava, dizia que estava de serviço mas eu tinha certeza que não. Cheguei até a trocar mensagens ofensivas com a o.m., como me arrependo disso e de tantas outras coisas que fiz. O fundo do poço foi quando ele sumiu por um mês, deixou a mim e a nosso filho sem um centavo, não pagou o aluguel. Só mandou uma mensagem. Eu recebi ajuda de algumas pessoas que também estavam orando por nós. Fui atrás dele no serviço, ele disse que voltaria para casa, quando voltou pediu pra eu retornar para a casa dos meus pais pois para ele não dava mais para me sustentar. Recebi orientações de não sair de casa, mas mesmo antes de seguir os princípios do livro, Deus colocou em meu coração deixá-lo pois ele é Deus de perto e Deus de longe. Fui embora (meus pais pagaram a passagem). Meu bebê já estava com nove meses. Só nos falávamos muito raramente por telefone e nas conversas eu sempre dava um jeito de cobrá-lo e ofendê-lo. Sentia muito ódio da vida por ter feito isso comigo. Eu pensava: existem tantas mulheres sem escrúpulos, que desonram seus esposos, mentem, traem e porque isso aconteceu comigo que sempre fui honesta com ele? Achava que o ofendendo me sentiria melhor. Mas eu nunca encontrava a paz para minha dor.

Então tomei uma decisão que mudaria minha vida. Busquei ao Senhor de todo o meu coração e de toda a minha alma e de todo o meu entendimento e entreguei todas as aflições nas mãos dele e abri mão de lutar com as minhas armas. Entendi que aquela família me foi dada pelo Senhor e se Ele permitiu que tudo aquilo acontecesse era porque Ele tinha algum propósito nas nossas vidas. Coloquei-me a Sua diposição para que ele fizesse a vontade Dele na minha vida. A principal mudança que eu senti foi a paz que eu tinha mesmo nos momentos de tristeza, mesmo recebendo as más notícias. Doía muito mas Deus me consolava.

Utilizei muitos princípios como instrumento de fé nessa jornada:

Deixar ir: esse princípio vai muito além de ter saído do caminho dele. Significou não procurá-lo mais, não ligar para cobrar os depósitos que não eram feitos, não cobrar atenção dele em relação ao filho. Tudo isso era muito justo de ser exigido mas Deus me ensinou a abrir mão dos cuidados dele (marido terreno) e confiar na providência do Senhor.

Abrir mão de redes sociais: uma das formas que o diabo utilizou para me ferir era o facebook pois a o.m. postava fotos dos dois, eu nunca tive coragem de ver, mas pessoas viam e me falavam. A o.m. também me mandava mensagens mas eu não lia. Primeiro a bloqueei e depois me desfiz da minha página.

Deixei de ser contenciosa: deixei de criticar, de aconselhar, de tentar ser o Espírito Santo na vida do meu marido e passei agir com mansidão e gentileza.

Quando ele ligava, o tratava com gentileza e carinho. Se ele não ligasse eu também não o procurava, mesmo se demorasse um mês. Ficava preocupada mas entregava a situação a Deus.

As horas mais difíceis eram aquelas em que meu filho precisava da presença do pai. Eu pensava, meu filho tem um pai, ele não foi feito acidentalmente, nem por um erro, ele foi sonhado, amado e agora vive como se fosse órfão. Mas Deus não nos deixa desamparados nem órfãos. Nada faltou ao meu filho, nem coisas materiais, nem amor, nem atenção. Ele era rodeado de afeto por todos da minha família. Ele nunca teve tanto leite e tanta fralda em estoque quanto nessa época. Deus providenciou tudo. Como o convênio ao qual ele tinha direito estava bloqueado por falta de providências do pai terreno, Deus lhe deu um médico particular. Biscoitos, frutas, iogurtes, ele dividia com o primo porque não dava conta de consumir tudo até o prazo de validade.

O ponto de virada é muito difícil definir exatamente mas posso dizer que foi aproximadamente em setembro de 2014. Pela primeira vez ele falou em passar as férias aqui, porém eu já tinha comprado passagem para passar minhas férias com minha irmã. Perguntei gentilmente se ele poderia vir depois, ele aceitou. Fiquei meio apreensiva mas deu tudo certo, aproveitei minhas férias e após alguns dias ele chegou. O tratei com muito carinho e não o questionei em momento nenhum sobre nada do que ele havia feito durante esse ano que ele passou longe. Apesar de sentir "muita" vontade de fazê-lo. Quando conversávamos ele fazia planos e meu filho e eu estávamos incluídos. Glorificava a Deus no meu coração e concordava com o que ele dizia. Nos tratamos o tempo todo como amigos, nenhum tipo de intimidade física mas, no dia da despedida minha mãe viu lágrimas nos olhos dele e ele me surpreendeu com um selinho.

Na última visita ele disse que voltaria em dezembro mas, maldito o homem que confia no homem, então descansei em Deus. Se fosse plano Dele, aconteceria. Interessante que eu me lembro da Erin citar no seu livro que quando as coisas parecerem estar piorando é porque Deus está prestes a nos surpreender e assim foi. Ele ficou sem ligar por quase um mês, eu achei que era o fim porque depois de ter estado conosco, feito planos derepente some de novo, mas me segurei em Deus. Falei com o Senhor:

“Tu tens sido o meu rochedo, meu marido, meu amigo, eu não preciso de mais nada. Minha vida tem sido até mais tranquila assim, só nós três (Deus, meu filho e eu) Senhor, se é Tua vontade restaurar minha família faça por tua misericórdia porque minhas forças estão no fim. Se não, coloque um ponto final nessa espera e eu prosseguirei minha vida”.

Eu fiz essa oração no dia 11 de dezembro e ele chegou no dia 17/12. Me deu um longo abraço. No dia seguinte foi aniversário dele, passamos todos juntos, ele deixou meu filho e eu na casa dos meus pais e quando fui levá-lo até o portão, ele me deu um beijão que me deixou sem ar, glória a Deussssssssss. Depois disso, selinho pra lá, selinho pra cá, voltamos a ter intimidades e num desses momentos perguntei como seria depois quando ele voltasse, ele disse que nunca mais vai nos deixar e que se ele não conseguir a transferência pra cá, ele vem nos buscar para vivermos todos juntos. Mais uma vez minha confiança está depositada no Senhor Jesus.

Eu recomendo os livros Como Deus pode e vai restaurar seu casamento e “Mulher Sábia” que nos dão uma boa base para prosseguirmos associada a busca incessante de sabedoria da parte de Deus. Os encorajamentos diários também me ajudam a cada dia.

Nunca, nunca lute com as armas da carne. Não deposite sua confiança no seu marido terreno mas sim em Deus. Eu sei o quanto é difícil mas entregue a Deus e descanse Nele. Descansar em Deus significa, confiar Nele e enquanto espera fazer a Sua vontade, buscar o Seu querer, entregar-se como um vaso nas mãos do oleiro e deixar Deus fazer de você a mulher que Ele sonha.

~ Uma leitora dos Encorajamentos Diários